Estreia hoje Jogos Vorazes, um daqueles filmes inescapáveis que, em uma semana, você vai ter que ter uma opinião sobre para não ficar de escanteio na conversa do cafezinho.

Mas, se não está disposto a encarar mais uma adaptação para o cinema de mais uma série de livros infantojuvenis, veja Battle Royale e opine sobre como a americana Suzanne Collins, autora do livro adaptado, roubou descaradamente o mote do filme japonês lançado em 2000, que mostra um grupo de 40 adolescentes coagidos pelo governo a se enfrentarem até a morte, até que apenas um sobreviva.

Sendo japonês, o sangue não fica escondido longe das câmeras e a violência é tão explícita quanto possível. Quentin Tarantino é um dos fãs mais vocais da obra. Se você lembra da colegial que enfrenta a Noiva em Kill Bill I, ele basicamente fez com que ela reprisasse seu papel em Battle Royale.