/// Nós e nossas vitórias (e derrotas)

Sim, sou a louca das estatísticas. Ok, sei que números não vencem jogo (no caso, lutas), mas tem algo que me atrai naquela numeralha toda. Fora que elas são úteis a treinadores — com estatísticas é possível, por exemplo, saber quantos golpes um lutador deu em suas atuações, quantas quedas aplicou, quantas levou etc. e, assim, traçar uma estratégia para seu atleta que leve em consideração as deficiências e as qualidades do adversário. Por isso, sou viciada nos dados do FightMetric, o provedor oficial de estatísticas do UFC.

Resolvi pedir para Rami Genauer, um grande parceiro da VIP e o criador da empresa, que fizesse uma breve análise sobre a situação dos brasileiros no UFC. Até dezembro de 2012, éramos os felizes detentores de quatro dos sete cinturões da organização: Junior Cigano (peso-pesado), Anderson Silva (médio), José Aldo (pena) e Renan Barão (galo — era campeão interino na época). Fomos vendo nossos títulos caírem um a um. Primeiro com Cigano no UFC 155 (perdeu para Cain Velasquez), depois Anderson (sucumbiu para Chris Weidman no UFC 162, em julho de 2013) e, por fim, Barão (TJ Dillashaw o derrotou no UFC 173, em maio deste ano). Apenas José Aldo mantém sua cinta — ele a coloca em jogo neste sábado, no UFC 179, no Maracanãzinho (Rio).

Sabemos todos que nós, brasileiros, precisamos de heróis. Não quero nem entrar em questões antropológicas e históricas e seja lá quais mais para achar uma justificativa para isso, mas, mais do que apoiar mesmo um esporte, nós precisamos ter algum campeão mundial naquela modalidade. O Brasil já foi o país do tênis na era Guga Kuerten, entre 1997 e 2001. Já fomos o país da F-1 quando Senna era vivo. Agora somos o país do surfe porque Gabriel Medina está quase lá, papando o nosso primeiro título mundial (a decisão vai ser em dezembro, no Havaí). Acontece que, com os números que obtive de Rami, vi que nossa situação no UFC não é exatamente como parece. Perdemos três cinturões? Sim. Mas estamos mais bem ranqueados de forma geral do que estávamos quando o ranking oficial foi criado, em fevereiro de 2013, após o UFC 156.

Na época, tínhamos 15 lutadores entre os top 10 de cada categoria. Hoje, são 18. Se contarmos as categorias femininas, que não existiam, atualmente há 21 brasileiros entre os 10 melhores atletas de cada divisão de peso. Além disso, entre os ranqueados, oito subiram de posição no ranking, oito caíram e dois mantiveram-se. Não é lá mil maravilhas, mas também não quer dizer que estamos derrotados. E, até o meio do ano, os brasileiros mantinham, segundo o criador do FightMetric, uma porcentagem de vitória de 56,8%. Isso quer dizer que a gente mais ganha do que perde nas lutas, de uma forma geral. Confira os números abaixo e o tobogã em que vivem os lutadores:

 

Lutador Ranking Hoje Primeiro ranking (após o UFC 156)
Fabricio Werdum #1 peso-pesado #2 peso-pesado
Junior dos Santos #2 peso-pesado #1 peso-pesado
Antonio Silva #8 peso-pesado #4 peso-pesado
Glover Teixeira #4 meio-pesado #4 meio-pesado
Mauricio Rua #9 meio-pesado #7 meio-pesado
Anderson Silva #1 médio Campeão dos médios
Vitor Belfort #3 médio #2 médio
Lyoto Machida #4 médio #2 meio-pesado
Jacare Souza #2 médio #11 médio
Demian Maia #7 meio-médio #5 meio-médio
Rafael dos Anjos #3 leve #8 leve
Jose Aldo Campeão pena Campeão pena
Renan Barao #1 galo Campeão interino galo
Raphael Assuncao #4 galo #7 galo
Iuri Alcantara #8 galo #12 galo
Johnny Eduardo #9 galo Não era ranqueado
Jussier Formiga #4 mosca #5 mosca
John Lineker #6 mosca #8 mosca
Amanda Nunes #9 galo feminino Não existia a categoria
Jessica Andrade #10 galo feminino Não existia a categoria
Bethe Correia #8 galo feminino Não existia a categoria

 


/// Renan Barão no UFC Barueri

O UFC anunciou ontem à noite a luta co-principal do UFC Barueri, oficialmente UFC Fight Night 58 Machida vs. Dollaway, que acontece na cidade da Grande São Paulo no próximo dia 20 de dezembro. No evento, Renan Barão enfrenta o canadense Mitch Gagnon, que está lááá embaixo no ranking dos galos, categoria que até maio deste ano tinha o brasileiro como dono do cinturão — Gagnon é o número 15 da divisão. A decisão foi tomada pelo UFC depois de Renan perder o título para o americano T.J. Dillashaw e na revanche, marcada para o UFC 177, em 30 de agosto último, ter tido problemas com a perda de peso e ser impedido de lutar pela comissão médica do evento. Desde que começou a atuar pelo WEC e pelo UFC, o lutador da Nova União nunca fez um combate no Brasil.

Renan Barão reforça o card do UFC Barueri contra o número 15 do ranking. Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto

Renan Barão reforça o card do UFC Barueri contra o número 15 do ranking. Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto

O card do UFC Barueri ainda não está totalmente formado e também não foi divulgada a data do início das vendas de ingressos. Mas ele já promete ser uma baita evento. A luta principal será entre o brasileiro Lyoto Machida e o americano CB Dollaway, respectivamente números 4 e 10 do ranking dos médios, que tem Chris Weidman como campeão. No mesmo evento, o campeão dos pesados do TUF Brasil 3 Antonio Cara de Sapato enfrenta Patrick Cummins na categoria de baixo da qual se sagrou vencedor. Ainda pelos meio-pesados, Marcos Rogério Pezão encara Igor Pokrajac. E, na divisão dos leves, o brasileiro Elias Silvério sobe no octógono com o russo Rashid Magomedov.


/// Anderson Silva, o retorno

Otimista, animado e brincalhão. Assim estava Anderson Silva na coletiva de imprensa que deu hoje à tarde, no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, para falar de sua volta ao octógono, no UFC 183 (em 31 de janeiro do ano que vem), contra o bad boy americano Nick Diaz. Não conseguiu ver? Clique abaixo na tela para assisti-la (tem uma hora de duração). Ou, se preferir, confira os highlights.

Sobre as lutas com Weidman
“No começo foi um drama, mas agora não mais, acontece. É como um dia de trabalho comum. Você tem seu dia de trabalho e ele não foi bom. Nas minhas duas últimas lutas, foi isso que aconteceu. E também tem um pouco de cansaço mental. Mas estou com meus treinadores, minha equipe não mudou absolutamentenada, a gente só trouxe pessoas com mais experiência pra ajudar que eu supere isso tudo que aconteceu. Estou renovando uma fase daminha vida que passou. Foi bom como experiência e eu acredito que não vá atrapalhar em nada.”

Sobre o momento que mais o marcou pós-luta
“Foi quando cheguei em casa. Não podia pegar avião por conta da pressão na perna [quebrada]. Quando desci do ônibus que o UFC disponibilizou para eu voltar pra casa, meus filhos estava me esperando. O menorzinho, o Joãozinho, disse: ‘Pai, tá tudo bem, tá tudo bem, a gente te ama’. Foi o momento mais marcante porque eu nunca imaginei na minha vida que ia chegar em casa com a perna quebrada e ver minha família naquela situação.

Sobre a carreira de ator
“Estou trabalhando isso, porque é uma coisa que eu sempre quis fazer desde garoto. Eu sempre achei que era o Homem Aranha. realmente eu tinha problemas, né? Minhas brincadeiras sempre foram de imitar as pessoas — inclusive já tomei várias broncas de imitar o Rogerião [Camões, preparador físico e líder da equipe X-Gym] na academia. Essa coisa de ser ator sempre esteve junto de mim. Eu gosto disso e estou buscando isso, estudando, correndo atrás. Já estou filmando alguns filmes em Los Angeles. Estou tendo oportunidade e quero fazer isso tão bem quanto fiz dentro da luta e faço ainda.

Sobre a perna pós-cirurgia
“A perna tá legal. Até o Dr. Tannure [Marcio, médico e diretor da Confederação Atlética Brasileira de MMA] diz pra mim: ‘Cara, pode chutar, você não vai ter problema com essa perna, essa perna não quebra mais’. Aí eu brinco e digo que, na dúvida, vou chutar da cintura pra cima, pra não ter problemas. Mas acho que não vou levar nenhuma vantagem, não [pelo fato de a perna estar cheia de parafuso].  Vou ter que continuar treinando, como sempre fiz, focado. E agora com menos pressão. Não tenho mais a pressão de ter ficado sete, oito anos vencendo e ter que continuar fazendo aquilo porque eu me sentia pressionado. Não existe mais isso.”

Sobre a luta com Nick Diaz
Acredito que vai ser uma luta boa, porque ele vai estar na mesma condição que a minha, ficou um tempo sem lutar. Ele é especialista em jiu-jítsu também, tem um ótimo jiu-jítsu, luta bem em pé, é um cara que troca bem. E eu vou treinar para fazer uma luta bonita para meus fãs e espero fazer uma volta boa e que a gente consiga ter a vitória.”

Sobre querer o cinturão
“Na minha equipe, temos Jacaré. Na equipé da Black House, o Lyoto [Machida], o Kalil, um novo atleta que está chegando e tem todas as armas para disputar o cinturão. Eu passei dessa fase e tenho que respeitar isso. Jacaré está se destacando e trabalhando para disputar o cinturão. Então não tenho essa pretensão de disputar o cinturão agora. Acho que tenho que me credenciar novamente para que possa ter essa oportunidade de novo. Para deixar isso bem claro: a gente tem o Jacaré e outros ateltas do time que estão se destacando, estão se credenciando para lutar pelo título. Nada mais justo do que eu, que já passei por tudo isso e já passei pela experiência de ter o título, dar essa oportunidade e deixar as pessoas que querem fazer isso com propriedade. Nada mais justo do que deixar o Jacaré fazer isso.”

Sobre a terceira luta com Chris Weidman
“Nunca falei dos meus adversários, nem de quem gostaria de enfrentar. Aprendi na minha academia que você se credencia a chegar onde deseja, mas nunca desafia ninguém. Acho que, como atleta do UFC, as coisas vão acontecer. Se me credenciar de novo para lutar contra ele, vou lutar. Com quem eu não lutaria? Não lutaria é com o Jacaré, que é meu amigo, meu irmão, desde quando ele entrou na academia sei o quanto trabalha e quer isso. Ele quer muito e se credenciou pra isso. Se tiver que lutar com Weidman vou lutar, luta é luta. Mas não gosto de ficar falando vou lutar com esse, desafiando esse ou aquele.”

Sobre o contrato com o UFC
“Pretendo fazer todas as minhas sete lutas [previstas em contrato] e Dana [White, presidente do UFC] já falou que, antes das sete, para eu não fugir, a gente refaz o contrato de novo.”

Sobre Vitor Belfort x Chris Weidman
“Minha opinião sobre o Vitor é a seguinte: de todos da categoria até 84kg, Vitor é o atleta mais completo. É mais explosivo, tem o melhor boxe, tem um bom jiu-jítsu e um bom wrestling. Weidman é novo, não é da minha geração, não é da geração do Vitor, e está com todo o gás. Vai ser uma luta que todos vão querer ver. Com minha energia toda vou torcer para que o Vitor vença, óbvio. Sempre digo que quando o título estava comigo, ele não era meu, ele era nosso. Estando no Brasil, está tudo certo. Quando tem uma disputa de cinturão e dois brasileiros lutando por ele, é porque somos muito bons no que fazemos. Vou torcer para o Vitor sem demagogia, sem nada.”

 


/// Ronda Rousey na Ilha de Caras: os bastidores

Podia escrever aqui alguma introdução falando que Ronda Rousey é a campeã invicta dos galos do UFC, que nunca perdeu uma luta sequer de MMA na vida, sobre seu passado como judoca medalhista olímpica e campeã panamericana, sobre o fato de a mãe dela também ser um expoente do judô etc. etc. Mas basta você saber que loira está de biquíni em grande parte deste vídeo postado hoje pelo UFC, que mostra os bastidores da visita da atleta à Ilha de Caras, acompanhada de Rodrigo Minotauro Nogueira. Have fun.


/// TUF faz seletivas para quarta temporada brasileira

O UFC anunciou hoje a data das seletivas para lutadores interessados em participar da quarta temporada do The Ultimate Fighter Brasil, reality show exibido pela TV Globo em que dois times comandados por lutadores famosos se enfrentam, e o vencedor ganha um contrato com a organização. Elas acontecem no dia 27 de outubro no Hotel Windsor Barra, no Rio de Janeiro — dois dias depois do UFC 179, em que José Aldo enfrenta Chad Mendes.

As seletivas são para atletas que lutam nos pesos-galos (até 61 kg) e nos leves (até 70 kg). Para participar, o candidato deve ter entre 18 e 35 anos e no mínimo três lutas profissionais de MMA, com um saldo maior de vitórias do que de derrotas, não pode ser contratado de nenhuma outra organização profissional de MMA e também não pode ser ex-atleta do UFC. Os treinadores desta temporada do TUF não foram anunciados, mas há rumores de que sejam Maurício Shogun (que luta contra Jimi Manuwa em 8 de novembro, no UFC Uberlândia) e Rogério Minotouro.

Antes de irem ao Windsor, os candidatos a uma vaga no TUF devem preencher o formulário que está disponível neste link. E os atletas que são responsáveis por suas despesas (passagens, alimentação, hospedagem etc.). Lá, eles deverão demonstrar suas habilidades na trocação e no chão. Geralmente, Joe Silva, o matchmaker do UFC, que seleciona os aprovados nesta primeira fase — há mais uma; portanto, caso selecionados, os lutadores deverão permanecer no Rio por mais três dias (desta feita, a produção do programa banca as despesas).

Hotel Windsor Barra
Avenida Lúcio Costa, 2630, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro
Sala: Alvorada I
Segunda-feira, 27 de outubro de 2014
Início: 8h
Mais informações: tufcasting@ufc.com

TUF academia 6


/// Aldo e Chad Mendes repetem encarada

Mas hoje foi sem empurrão, sem provocação. Na coletiva de imprensa marcada no Kenzuur Spa para a promoção em São Paulo do UFC 179: Aldo vs. Mendes 2, que acontece em 25 de outubro no Rio de Janeiro, o único empurrão foi de Glover Teixeira em Phil Davis, que fazem a luta co-principal — e, mesmo assim, foi de brincadeira. Ontem, no Rio, o campeão dos penas do UFC José Aldo deu um chega-pra-lá no desafiante Chad Mendes durante a tradicional encarada. Depois, à noite, ele disse ter conversado com seu treinador, Dedé Pederneiras, e dito que o que fez não é seu estilo e que não deve se repetir.

 

Encarada tensa entre Aldo e Chad, momentos antes do empurrão, ontem no Rio.  Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/UFC

Encarada tensa entre Aldo e Chad, momentos antes do empurrão, ontem no Rio. Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/UFC

Segundo Aldo, a atitude de ontem teria sido não uma encenação, mas algo que ele pensou em fazer para ajudar a promover a luta. “Foi para dar uma esquentada na luta. Mas isso faz parte do show. Falei com o Dedé à noite e vi que aquilo não é da minha índole. Ontem eu vi uma multidão de crianças me chamando e pedindo para tirar foto comigo. E isso não é uma imagem boa que estou passando para eles. Posso ter errado. Tentar promover a luta empurrando ou xingando não é da minha índole. Não me arrependo, acho que foi bom, porque todo mundo se interessou por isso”, disse ele.

O campeão negou que tenha algo pessoal contra Chad — mas o americano pensa diferente. “Eu não gosto dele e ele não gosta de mim”, disse o americano. “A rivalidade é real, não existe publicidade.” Chad falou que está confiante em sua nova estratégia, montada com a ajuda do treinador da Alpha Male, Duane Ludwig. Segundo o atleta, em seu primeiro encontro com Aldo no octógono, em janeiro de 2012 também no Rio, ele não tinha um head coach, papel de Duane atualmente. E que agora, portanto, sente-se muito mais preparado.

Se entre os protagonistas da luta principal o bicho está pegando, o clima entre Glover Teixeira e Phil Davis era bem diferente. Phil disse, inclusive, que lutar contra alguém que ele não gosta pode atrapalhar sua concentração e estratégia. Glover chegou a dar um empurrão de brincadeira em Phil enquanto o americano dava uma entrevista. “Para de falar besteira”, disse o brasileiro.

Os ingressos para o UFC 179 estão sendo vendidos aqui desde hoje de manhã. Só que os bilhetes mais baratos, para a arquibancada, que custavam R$ 190, já esgotaram-se em três horas de vendas. Agora, só estão disponíveis os setores: Cadeira C (R$ 290); Cadeira B (R$ 650); Cadeira A (R$ 950); Cadeira Premium (R$ 1.200) e Octógono Premium (R$ 1.600), todos a preços cheios, além do setor para portadores de necessidades especiais, a R$ 95.


/// Ingressos para aquibancada do UFC Rio baixaram 30%

O UFC anunciou para amanhã, dia 27 de agosto, o início da venda de ingressos de sua edição de número 179, que acontece no dia 25 de outubro no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. A luta principal é uma revanche do americano Chad Mendes contra o campeão dos penas, José Aldo — o primeiro foi derrotado pelo brasileiro também no Rio no UFC 142, em janeiro de 2012. Boa notícia para quem reclama dos preços dos tíquetes do evento: os ingressos para a arquibancada estão 30% mais baratos do que os da arquibancada do UFC Brasília (que é, teoricamente, um UFC menos “estrelado”) e com valores 35% menores do que os cobrados em São Paulo, em maio, a última vez que o evento esteve no país.

Além de José Aldo e Chad Mendes, o evento tem até agora mais uma luta confirmada (e que luta): Glover Teixeira, quarto colocado no ranking dos meio-pesados, que vem de uma derrota por pontos na disputa do cinturão contra Jon Jones, e Phil Davis, sexto do ranking, que também perdeu sua última luta, contra Anthony Johnson. Os ingressos para o UFC 179: Aldo vs Mendes 2 serão vendidos aqui a partir das 10h de amanhã.

Aldo Mendes

Hoje pela manhã, na coletiva de imprensa que ocorreu no Maracanã, José Aldo e Chad Mendes, que já estão trocando farpas há algum tempo, se desentenderam na encarada, que começou tensa. O americano falou algo para Aldo, que deixou o brasileiro irritado. Depois, em uma nova encarada, Aldo deu um um empurrão no desafeto. Os dois tiveram de ser separados, como mostra o vídeo feito pelo site MMA Fighting, aqui.

Preços:

Arquibancada: R$ 190 (R$ 95 a meia-entrada)
Cadeira C: R$ 290 (R$ 145 a meia-entrada)
Cadeira B: R$ 650 (R$ 325 a meia-entrada)
Cadeira A: R$ 950 (R$ 475 a meia-entrada)
Cadeira Premium: R$ 1.200 (R$ 600 a meia-entrada)
Octógono Premium: R$ 1.600,00 (R$ 800 a meia-entrada)
Portadores de Necessidades Especiais: R$ 95 (meia-entrada).

 


/// Lendas do Pride em temporada de seminários

Duas lendas do finado e saudoso Pride, Rodrigo Minotauro Nogueira e Ricardo Arona, dão início hoje a uma série de seminários técnicos sobre MMA, submission e jiu-jítsu em São Paulo. Treze unidades da rede Team Nogueira da Grande São Paulo e do interior, além da capital, recebem os dois e também Rousimar Toquinho (campeão meio-médio do WSOF) e Rick Monstro (que chegou à semifinal do reality show TUF Brasil 3 e assinou com o UFC), entre hoje e o dia 27 deste mês. Os valores para interessados variam entre R$ 50 (caso sejam alunos da Team Nogueira) a R$ 100.

“Fico muito feliz com a chance de levar algumas coisas que aprendi ao longo da minha carreira para esse alunos”, diz Minotauro. “Acho fundamental que eles estejam em constante contato com atletas profissionais para que possam entender melhor nossa rotina de trabalho. Além disso, eles terão a oportunidade de aprender um pouco mais sobre os fundamentos e técnicas das artes marciais no geral, passando, inclusive, pelos mandamentos fundamentais para que sigam treinando em alto nível.”

Confira a agenda dos atletas:

Seminário de Grappling e MMA (Aberto para alunos e não-alunos)

Quando: 18/8, 19h
Quem: Rodrigo Minotauro e Ricardo Arona
Onde: Team Nogueira Santo André
Av. Industrial, 591, Jardim Santo André – SP
Tel.: (11) 4427-3648

Quando: 19/8, 19h
Quem: Rodrigo Minotauro e Ricardo Arona
Onde: Team Nogueira SP Zona Sul
R. Américo Brasiliense, 1393, Chácara Santo Antônio – SP
Tel: (11) 2507-3729

Quando: 20/8, 19h
Quem: Rodrigo Minotauro e Ricardo Arona
Onde: Team Nogueira SP Zona Norte
R. João Rudge, 294, Casa Verde – SP
Tel: (11) 3467-3564

Quando: 21/8, 20h
Quem: Rodrigo Minotauro e Ricardo Arona
Onde: Team Nogueira Guarulhos
Av. Dr. Timóteo Penteado, 2.832, Vila São Judas.
Tel: (11) 4970-4980

Quando: 22/8, 20h
Quem: Rodrigo Minotauro e Ricardo Arona
Onde: Team Nogueira Perdizes
Rua Ministro Ferreira Alves, 1030. São Paulo – SP
Tel: (11) 3871-0001 / 3875-4705

Quando: 22/8
Quem: Toquinho e Rick Monstro
Onde: Team Nogueira Campinas
Rua dos Contabilistas 131, Jd Novo Cambui, Campinas – SP
Tel: (19) 3305-9998

Quando: 23/08, 11h
Quem: Ricardo Arona
Onde: Team Nogueira SP Zona Oeste
R. Guaipa, 62, Vila Leopoldina, São Paulo – SP
Tel: (11) 3853-8312

Quando: 23/8, 9h
Quem: Rodrigo Minotauro e Toquinho
Onde: Team Nogueira São Carlos
Av. Miguel Petroni, 3309, Jardim Bandeirantes, São Carlos – SP
Tel: (16) 3419-8901

Quando: 23/8, 16h
Quem: Rodrigo Minotauro e Toquinho
Onde: Team Nogueira Ribeirão Preto
Av. Juscelino K. de Oliveira, 3761, São José do Rio Preto – SP
Tel: (17) 3500-1864

Quando: 24/8, 10h
Quem: Rodrigo Minotauro e Toquinho
Onde: Team Nogueira Bauru
R. Jayme Vicente Holloway, 1-20, Vila Aviação, Bauru – SP
Tel: (14)3223-0194

Quando: 25/8, 19h
Quem: Rodrigo Minotauro e Toquinho
Onde: Team Nogueira São José do Rio Preto
Av. Juscelino K. de Oliveira, 3761, São José do Rio Preto – SP
Tel: (17) 3500-1864

Quando: 26/08, 19h
Quem: Rodrigo Minotauro e Toquinho
Onde: Team Nogueira São Bernardo do Campo
Av. Cesar Magnani, 840, São Bernardo do Campo
Tel: (11) 4171-6446

Quando: 27/08, 19h
Quem: Rodrigo Minotauro e Toquinho
Onde: Team Nogueira Granja Viana
Av. São Camilo 899, Granja Viana
Tel: (11) 4559-1289


/// Jon Jones desiste de pelada em evento do UFC

O campeão dos meio-pesados do UFC Jon Jones admitiu ser perna de pau e não jogou uma pelada com a seleção brasileira de futebol social que o esperava hoje pela manhã, na zona sul de São Paulo. O americano chegou ao Arena Soccer Grass Neymar Jr. de calça jeans e tênis street e não deu nem um chute na bola. Limitou-se a cumprimentar e tirar fotos com os meninos do Futebol Social e saiu de campo rapidamente, dizendo que não entendia muito de futebol e preferia evitar passar vergonha. De fato, ao ser entrevistado logo depois, Jon Jones disse que sabia quem era Neymar, mas que não acompanha muito o esporte e que já jogou apenas “algumas vezes”. Falou ainda que, se tivesse que escolher uma posição, seria no gol, porque é ágil — sem contar a envergadura de 2,15m, a maior do UFC.

Jon Jones com o pessoal do Futebol Social, projeto da zona sul de São Paulo

Jon Jones com o pessoal do Futebol Social, projeto da zona sul de São Paulo

A visita do campeão do UFC inaugurou a maratona de eventos para a promoção do The Ultimate Fighter Brasil Final: Maldonado x Miocic, que acontece neste sábado, dia 31 de maio, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. O projeto que Jon Jones foi conhecer envolve jovens de 16 a 20 anos, que vivem em condições precárias de moradia ou na rua, e promove sua integração à sociedade por meio do futebol e de torneios que acontecem no Brasil e no mundo — há até um campeonato mundial de Futebol Social, a Homeless World Cup, da qual fomos campeões ano passado, na Polônia, sem dinheiro, sem patrocínio (a seleção conseguiu viajar depois de uma vaquinha feita pelos voluntários).

Na entrevista, Jon Jones contou que marcou um encontro de negócios com Vitor Belfort para esta sexta-feira, em Miami. “Ele me ligou ontem”, contou Jones. “Vou encontrá-lo em uma academia, vamos treinar juntos e ver se temos química.” Ele contou que, se der certo, os dois podem virar companheiros de treino em breve. “Breaking news”, brincou Jones.

Os eventos oficiais da semana do UFC em São Paulo continuam hoje à tarde, com uma sessão de autógrafos e fotos com o ex-campeão dos pesos-pesados Junior Cigano (que era quem lutaria com Miocic, mas acabou se machucando) e as ring girls Camila Oliveira e Jhenny Andrade (que já foi a Namorada Perfeita da VIP). O evento vai acontecer na FNAC do Morumbi Shopping (Avenida Roque Petroni Junior, 1089), a partir das 18h30, e será seguido por uma sessão de perguntas e respostas com Cigano, conduzida pela repórter do UFC Paula Sack.

Amanhã, dia 29 de maio, acontecem os treinos abertos para a imprensa — mas fechados ao público — com os atletas Fabio Maldonado, Stipe Miocic, Vitor Miranda, Antonio Carlos Junior Cara de Sapato, Warlley Alves, Marcio Alexandre Lyoto, Demian Maia e Rony Jason. Na sexta-feira, a pesagem acontece no Ginásio do Ibirapuera a partir das 15h. Pouco antes, às 13h, Chael Sonnen, um dos treinadores do TUF Brasil 3, participa de uma sessão de autógrafos ao lado das ring girls e, às 14h, Wanderlei Silva, o outro treinador, será o entrevistado de Paula Sack na Q&A (sessão de perguntas e respostas).


/// TUF Brasil 3 anuncia os 32 participantes

A Globo divulgou a lista dos 32 participantes de duas categorias (peso-médio e peso-pesado) que participam do primeiro episódio do TUF Brasil 3, que estreia dia 9 de março na grade da emissora, depois do Big Brother Brasil (quando o BBB acabar, o TUF será exibido logo após o Fantástico). O primeiro programa da temporada é movimentado: nele, há 16 lutas, das quais sairão os 16 participantes que continuam efetivamente na disputa. Os dois treinadores são os desafetos Wanderlei Silva e Chael Sonnen, o que dá um molho especial ao programa, e a luta entre eles está marcada para o dia 31 de maio, no Brasil, mas em local ainda não definido. Confira abaixo, nas imagens reproduzidas do globoesporte.com, quem são os 32 participantes. Para visualizá-las em formato maior, clique na imagem e depois na lupa.

Tuf pesados

TUF medios