“Batido, não mexido.” É assim que o agente 007 pede seu martini no livro Diamantes São Eternos. Os manuais de coquetelaria recomendam justamente o oposto, com fundamento científico. Tudo o que se quer de um dry martini é que ele seja muito frio – mas nunca aguado. “Se você bate o gelo, ele se quebra. Os pedaços menores vão derreter mais rápido”, explica o bartender Marcelo Serrano, do MyNY Bar, de São Paulo. A seguir, outras dicas para fazer sempre o martini ideal.

  • O COPO É MUITO IMPORTANTE
    A taça de martini tem este formato para que você a segure pela haste, sem que o calor da mão acelere o aquecimento do líquido. Copos menores são mais aconselháveis.
  • O GIM É MAIS IMPORTANTE AINDA
    Esqueça o gim nacional. Como o dry martini é quase gim puro, você precisa de uma bebida de qualidade. Das marcas à venda no Brasil, todas as boas vêm do Reino Unido.
  • DEIXE TUDO GELADO
    Guarde o gim e os copos no congelador. Assim, vai precisar mexer o coquetel por menos tempo. O vermute, após aberto, deve fi car na geladeira para não fermentar.
  • USE PEDRAS GRANDES DE GELO
    Quanto maior elas forem, menos vão derreter – enquanto couber na coqueteleira, está valendo.
  • QUE VERMUTE?
    Apesar de se chamar martini, geralmente se usa o vermute francês Noilly Prat. Caso não ache, quebre o galho com o martini, desde que da variedade extra dry.
  • COMO GUARNECER?
    Você pode tanto usar azeitonas (verdes, até três por copo) quanto uma raspa de limão-siciliano. Ou os dois.
  • SECOS E MOLHADOS
    Quanto menos vermute, mais seco (“dry”) será o martini. Alguns apreciadores vão dizer que só se deve pôr quase nenhum vermute, mas a verdade é que dá para fazer o drinque ao gosto do freguês. Ao lado, a receita ofi cial da Associação Internacional dos Bartenders.

Dry Martini
Ingredientes: 55 ml de gim, 15 ml de vermute seco
Preparo: coloque todos os ingredientes no mixing glass com cubos de gelo. Mexa bem. Coe sobre uma taça gelada de martini. Esprema o óleo da casca do limão-siciliano sobre o drinque ou guarneça com azeitona.

Variações

=> Perfect martini: use 10 ml de vermute seco e 10 ml de vermute tinto. Guarneça com casca de limão-siciliano ou cereja ao maraschino
=> Dirty martini: acrescente uma colher da água do vidro da azeitona
=> Vesper: use três partes de gim, uma parte de vodca e meia medida de Kina Lillet ou Cocchi Aperitivo Americano. Guarneça com casca de limão-siciliano
=> Vodka martini: substitua o gim por vodca
=> Gibson: use 60 ml de gim, 10 ml de vermute seco e guarneça com uma cebolinha em conserva
=> Sweet martini: substitua o vermute seco por vermute tinto. Decore com uma cereja ao maraschino

Para fazer em casa

Gim Tanqueray: R$ 179 (750 ml), em submarino.com.br
Vermute Noilly Prat: R$ 67,99 (750 ml), em imigrantesbebidas.com.br
Azeitona verde gordal Raiola: R$ 13,80 (350 g), em paodeacucar.com.br
Taça Martini Clássico: R$ 39, em camicado.com.br