O poder dos agentes de futebol é tamanho que eles podem desfigurar os times do Brasileirão no meio da disputa se negociarem seus jogadores com clubes europeus durante a famosa “janela de transferências” do Velho Mundo. Você gostaria de se tornar um? Pedimos dicas a uma mulher que vem atuando nesse ramo, a gaúcha Pollyana Morbach. Ex-apresentadora de programas esportivos na TV, ela é empresária de 12 atletas, entre eles Ricardo Goulart, revelado pelo Inter.

1 – DESCUBRA UM TALENTO DE VERDADE…
“Você acha que aquele moleque que joga no campinho perto da sua casa é um craque. E ele pode até ser. Mas tenha certeza: peça opinião de quem entende: um amigo treinador, um ex-jogador. O atleta tem que ter ótima resistência e excelente técnica. Gosto de apostar no jogo bonito, no futebol-arte.”

2 – …OU ORGANIZE UMA PENEIRA
“Organizei peneiras em clubes pequenos. Divulgava nas rádios da cidade. Como tenho amigos ex-campeões mundiais, eles participavam das peneiras. Se você não tem amigos, tente contratar um  ex-jogador. Não lucrei com isso. O dinheiro que cobrava da inscrição era para pagar as despesas com o clube.”

3 – CONHEÇA AS PESSOAS CERTAS
“O ideal é ter acesso a quem decide, como o diretor de negócios do clube. No começo, tem que dar a cara a tapa. E procurar se aproximar dessas pessoas. Se você não conhece ninguém do meio, certamente algum amigo conhece. Peça indicações.”

4 – CONSIGA UM TESTE
“Meus jogadores não passam por peneiras porque tenho credibilidade – eles já vão direto para a fase dos testes. Quem vai começar pode apresentar um DVD ao clube antes deles. Eu brigo para que os testes tenham três semanas. É o tempo ideal para avaliar um iniciante, principalmente se for bem jovem.”

5 – ANALISE MUITO BEM O CONTRATO
“Só com mais de 16 anos o jogador pode assinar um contrato profissional. Leia atentamente todas as cláusulas. O empresário cuida de todos os termos: o da imagem, o do salário (é um fixo mensal que  vai aumentando com os anos), o da luva (que pode ser um valor à vista ou parcelado) e o do bicho (que tem que estar estipulado em contrato).”

6 – SAIBA O SEU PRÓPRIO VALOR
“Quando um atleta vai para um clube, o empresário também fica vinculado a ele. Não há porcentagem padrão dos direitos econômicos (nome do antigo passe), mas ela costuma ser de 20%. Se o empresário for legal, dá 10% para o atleta e fica com 10% para ele. Mas isso só acontece quando o jogador for ‘vendido’ pelo clube. Então o atleta funciona como uma espécie de poupança. O empresário também tem direito a 10% sobre o salário. O melhor é, em vez de ficar cobrando mensalmente do atleta, já acertar à vista com o clube o valor que compete a você.”