Caminhões superam os 230 km/h em Interlagos na Fórmula Truck

Categoria de caminhões mais veloz do mundo volta a competir no autódromo paulistano depois de dois anos

Principal palco do automobilismo brasileiro, o autódromo de Interlagos recebe neste final de semana a sexta etapa da Fórmula Truck, uma das competições que mais leva público ao circuito paulistano, com média de 45 mil pessoas nos últimos anos. Com a ausência de São Paulo no calendário do ano passado, a expectativa é de casa cheia para este domingo.

Também pudera: as milhares de pessoas querem ver de perto caminhões de quatro toneladas superando velocidades incríveis — de 230 km/h – em plena reta dos boxes em Interlagos.

Isso torna a Fórmula Truck brasileira a mais veloz do mundo para este tipo de competição. Na Europa, as corridas de caminhão limitam a velocidade de 160 km/h em toda a pista. No Brasil, existe apenas um trecho de radar na reta onde os caminhões precisam passar nesta velocidade.

Divulgação

Divulgação

Os trucks recebem preparação especial para competir – assim como acontece nas categorias de monopostos (como F-1) ou mesmo de carros de turismo (como Stock Car).

“Usamos o chassis do caminhão original de fábrica e a equipe transforma em um caminhão de corrida, com preparação na carroceria, interior, suspensão, enfim, todas as partes”, explica Felipe Giaffone, tricampeão brasileiro e sul-americano e atual líder da competição, competindo com caminhão Volkswagen.

Com os motores preparados, os Trucks chegam a atingir a potência de 1.100 cavalos – superior aos F-1, por exemplo, que, por sua vez, são muito mais leves e portanto mais velozes. Seis marcas competem no campeonato – e veja só, a liderança nesta classificação também é da Mercedes-Benz, seguida por MAN Latin America (Volkswagen), Volvo, Ford, Iveco e Scania.

VEJA TAMBÉM:

Entre os 23 pilotos que já marcaram pontos neste ano, destaque para a participação da única mulher da categoria: Débora Rodrigues, que entrou para a Truck um ano depois de seu famoso ensaio para a Playboy.

“Sempre gostei deste universo, meu pai foi caminhoneiro e também já fui motorista de ônibus. Fiz uma reportagem para o programa do Gugu e me apaixonei pela categoria”, diz Débora. A paixão também rendeu fora das pistas o casamento com Renato Martins, recordista de vitórias da categoria e hoje chefe da equipe por onde Débora compete.

Os primeiros treinos livres começam a ser disputados amanhã, em Interlagos.  A corrida será no domingo, a partir das 14h. Os ingressos custam a partir de R$ 35.