O poderoso: test-drive do novo Audi R8

A segunda geração do superesportivo Audi R8 faz motorista de fim de semana posar de destemido piloto — ou quase

Ainda que me vendassem, para eu não saber em qual carro iria entrar, ainda que me colocassem no banco do passageiro, para eu não me deslumbrar na acomodação do motorista (piloto, melhor dizendo), e ainda que me orientassem a só olhar para o lado de fora, para eu não ficar boquiaberto com a beleza interior, ainda assim eu teria certeza de que estava a bordo de um bólido muito especial. Por conta de dois momentos reveladores:

1) Assim que saí com o carro e parei em uma faixa de pedestre, um atento observador fez questão de continuar ali, parado, para que eu desfilasse (na verdade, o carro) e ele pudesse observar as curvas (do carro, claro); 2) Em um farol, um rapaz boa-praça, acompanhado de duas belas moças, pediu, gentilmente, para que o motor fosse despertado e ele pudesse “sentir” o ronco. Não precisou falar duas vezes: o som de um vulcão em erupção saiu do escapamento e fez os admiradores sorrirem e colocarem as mãos na cabeça, como quem diz: “Que carro é este???”.

Audi R8
Motor
V10 5.2
Potência
610 cv
Velocidade de 0 a 100 km/h
3,2 s
Velocidade máxima
330 km/h
Preço
R$ 1.170.990

— É o R8, meu amigo – respondi mentalmente. O superesportivo que dá tanto orgulho à Audi e faz este motorista se achar um privilegiado. Ao volante de um esportivo como este, que, além de algumas discretas mudanças no visual, nesta segunda geração está ainda mais pontente, qualquer homem volta a ser menino. Ao mesmo tempo em que a gente se sente um ser especial por estar (achando que está, para ser preciso) domando uma fera, rodar com esse monstro em circuitos urbanos pode provocar frustração. Afinal, não estamos numa Autobahn na Alemanha. Como você se sentiria rodando a no máximo 120 km/h, em um carro que pode passar dos 300 km/h?

O instrutor ao meu lado percebeu minha decepção e tratou de arrumar uma forma de me divertir. Paramos o R8 em uma rua mais afastada, com seus 500 metros de distância.

— Sabemos que é proibido andar acima de 100 km/h aqui, mas nada nos impede de chegar a esse limite no menor tempo possível, disse ele.

— Mas como?

— Coloque o câmbio em modo esportivo. Isso. Com o pé esquerdo pise firme no freio; com o direito, castigue o acelerador, até 6 mil rpm. Agora tire o pé do freio de uma vez e, assim que a rotação atingir 8 mil, mude de marcha, nas borboletas atrás do volante.

audi-r8-carro-motor-vip

(Divulgação/Reprodução)

Respirei fundo e fui. Um dois, três, quatro segundos, freei e, ato contínuo, gritei:

— Uhuuu!!!!

E, como uma criança, emendei:

— Vamos de novo???