Invista em… whisky!

Grupo de investidores ingleses olhou para o copo na hora de inovar e criou um mercado de ações baseado no destilado

Um produto de alta qualidade e valor agregado restrito a apenas um pequeno número de compradores, com a vantagem extra de só melhorar com o tempo. Com um quadro desses, parece estranho que ninguém nunca tenha visto o uísque como algo altamente “investível” (e lucrativo). Até agora.

O grupo financeiro Galmarley já tinha know-how em investimentos alternativos – é dono do maior mercado de ouro e prata físico do mundo – quando imaginou o WhiskyInvestDirect com um propósito simples: criar uma bolsa para se investir em uísque, só que não naqueles raríssimos e lendários, mas sim a commodity do produto, a bebida que acabou de entrar no barril e que vai demorar no mínimo oito anos para ficar pronta.

A lógica por trás é simples. Na primeira ponta da cadeia, os fabricantes conseguem aliviar custos de produção, uma vez que, investindo no barril, o novo dono é responsável pelas despesas de manutenção. No meio da cadeia, os investidores colocam seu dinheiro em um produto que só se valoriza com o tempo e que anualmente vê a taxa de consumo aumentar no mundo. Na parte final da equação, destilarias maiores compram os barris já envelhecidos para engarrafar e criar blends.

uisque-whisky-invista-negocios-bebida-investimento-vip

(WhiskyInvestDirect/Reprodução)

O negócio do uísque tem algumas vantagens que vão além da quase impossível depreciação. Primeiro, a possibilidade da criação de uma bolha é quase nula. Diferentemente do que aconteceu com o mercado da internet no início dos anos 2000, a indústria do uísque é consolidada, movimentando, só na Inglaterra, 4,5 bilhões de libras ao ano. Por ser novo, o mercado de investimento de uísque ainda está livre de taxações e restrições – estas acontecem somente após o engarrafamento do produto. A taxa de retorno anual também impressiona: segundo as projeções do WhiskyInvestDirect, nos últimos oito anos um uísque foi valorizado em 143%, número alto ante os “modestos” 48% de valorização do ouro. Apesar de parecer um negócio da China, a própria empresa admite que há riscos, como o uísque não envelhecer bem ou mesmo o preço das ações de determinada destilaria cair.

Hoje o WhiskyInvestDirect conta com barris das destilarias Ardmore, Blair Athol, Glen Spey, Inchgower e James Eadie, marca lançada pelo próprio grupo de investidores que será capitaneada pelo veterano Rupert Patrick, egresso das gigantes Diageo e Beam Suntory.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!