KondZilla, o mandachuva do Youtube

Esqueça o Porta dos Fundos. O canal do funkeiro Konrad, é hoje o mais popular do país

Em 2008, a mãe de Konrad Cunha Dantas morreu. Com o dinheiro do seguro de vida, o rapaz do Guarujá (SP) comprou sua primeira câmera. Com a ideia de produzir e divulgar clipes dos amigos funkeiros, abriu o Canal KondZilla no YouTube em março de 2012. Hoje, chegando a 5 bilhões de visualizações em cinco anos, o KondZilla é o canal brasileiro mais popular no ranking Social Blade – principal ferramenta de certificação de popularidade no YouTube.

O Social Blade dá uma nota após tabular número de inscritos, visualizações, likes e atividades do canal. O KondZilla é o único do país com a cotação A++.

Quanto ao número de inscritos no YouTube, há a previsão de que o funk do KondZilla (11,3 milhões até março) supere o humor do Porta dos Fundos (13 milhões) em maio. Assumiria a vice-liderança, atrás do recordista Whindersson Nunes (18 milhões).

Quanto isso dá em faturamento? Na estimativa do Social Blade, algo entre 157 mil dólares e 2,5 milhões de dólares mensais. Konrad jura que não é tudo isso: “Vai pelo valor mais baixo. acha que, se eu ganhasse 2 milhões e meio, eu tava aqui? Eu tava em Malibu!”.

Qualquer que seja o valor exato, é um enorme retorno do investimento inicial. “Antes de comprar a câmera, eu nunca tinha me interessado em filmar. Nem celular com câmera eu tinha”, afirma Konrad, 29 anos, em seu escritório no Tatuapé, na zona leste de São Paulo. Só que, desde o início, ele expressou um estilo visual próprio nos clipes de funk e seu nome cresceu.

Hoje Konrad delega muita coisa por causa da demanda de clipes e dos novos negócios dele. Para os clipes, ele tem quatro diretores de confiança. Gabriel Zerra, o mais experiente, fez o vídeo de Baile de Favela, sucesso do MC João. E o jovem Caique, de 18 anos, já montou e dirigiu cerca de 200 clipes, entre eles o megahit Deu Onda, do MC G15, que teve 225 milhões de views desde a estreia em dezembro até março – maior audiência do canal.

Konrad também fechou há alguns meses um contrato com a Conspiração Filmes para dirigir filmes publicitários. Ele conta: “Sempre quis fazer filmes de 30 segundos para TV. Só que percebi que tinha criado um negócio maior que isso e fiquei nos clipes”.

Como empresário, o próximo passo será o portal KondZilla.com, que deverá ir ao ar em breve com conteúdo para jovens da periferia. “Hoje vejo que meu trabalho é social e cultural. O site vai servir para que as pessoas conheçam a cultura do funk. Daqui a um ano, me vejo como o maior comunicador de periferia do Brasil”, ele arrisca.

Fora isso, Konrad virou empresário de dez artistas do funk, entre eles MC Bin Laden. “O problema é que agora eu trabalho tanto que mal vejo minha mina”, ri.