O plano Real vira filme em nova produção brasileira

Ao melhor estilo "A Grande Aposta" o filme narra os bastidores da criação do Plano Real durante o início dos anos 1990

Nos últimos anos, Hollywood vem se especializando em transformar biopics e histórias reais em grandes filmes. Se isso é sinal da escassez de histórias originais, não sabemos dizer, mas a verdade é que essas produções vem trazendo a tona grandes momentos que só chegaram ao conhecimento do grande público através da sétima arte.

Seguindo a onda iniciada por Hollywood, o audiovisual brasileiro vem aos poucos se adaptando a nova tendência. Primeiro foi a série do Netflix sobre a Operação Lava Jato, que será dirigida por José Padilha. Agora, uma novidade: o Plano Real vai virar filme nas mãos do diretor Rodrigo Bittencourt no filme Real: O Plano por Trás da História.

Baseado no livro de Guilherme Fiuza, 3.000 Dias no Bunker, o longa vai contar a história da equipe econômica do governo Itamar Franco responsável pela criação do Real e consequentemente da estabilização da moeda brasileira. O personagem principal da história é Gustavo Franco, o mais jovem economista da equipe que será vivido por Emílio Orciollo Neto. Idealizador do URV (unidade real de valor), ele terá que lidar com uma série de figuras históricas do país para colocar em prática seu modelo. 

Além do economista, o filme irá contar com Fernando Henrique Cardoso (Norival Rizzo), Itamar Franco (Bemvindo Sequeira), Fernando Eiras (Winston Fritsch), Giulio Lopes (Edmar Bacha), Tato Gabus Mendes (Pedro Malan), Guilherme Weber (Pérsio Arida), Wladimir Candini (André Lara Resende) e Carlos Meceni (Clóvis Carvalho).

equipe-economica-cinema-cultura-vip

Fernando Henrique Cardoso (sentado), Winston Fritsch (primeiro de pé), Gustavo Franco (segundo de pé), Pedro Malan (terceiro de pé), Pérsio Arida (quarto de pé) e André Lara Resende (quinto de pé) (Divulgação/Reprodução)

Produtor do filme, Ricardo Rihan comentou com VIP sobre o processo de criação do longa. Segundo ele, sua produtora foi procurada por um grupo de jovens ligados a FIESP que queriam fomentar projetos que ajudariam a engajar jovens brasileiros em temas nacionais. O produtor começou então a pesquisa até encontrar o livro de Fiuza. “Devorei o livro em um dia” conta Rihan, que, logo após a leitura, viu o tema de seu filme definido. Depois disso, a produção deslanchou. “O próprio Fiuza foi um grande parceiro do projeto, e nos ajudou muito na hora de escrever o roteiro”. Os roteiristas ainda entrevistaram toda a equipe econômica e nomes ligados ao Governo da época para deixar o texto verossímil e atento aos detalhes. Segundo o produtor, foram necessários 19 tratamentos de roteiro para chegar no produto final.

Rihan ainda completou dizendo que a escolha de Gustavo Franco como personagem principal foi perfeita para casar com o objetivo filme. Mais jovem da equipe econômica, o economista teve que galgar seu espaço dentro de um grupo de veteranos para ter seu projeto escutado e aprovado.

O filme estreia no dia 18 de maio.