O rodízio de estilos de Scarlett Johansson

Nos filmes mais recentes, a atriz encarnou personagens esquisitas ou mulheres retrô. Em Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell, ela é uma policial biônica

Uma policial biônica, mais robô que humana. Mais uma personagem esquisita no currículo de Scarlett Johansson, que é a estrela de Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell, com estreia prevista para 30 de março. Parece que um padrão vem se estabelecendo na carreira dela: seus papéis mais frequentes são criaturas esquisitas ou mulheres vintage [veja na tabela filmes que se encaixam nesses casos]. Está cada vez mais raro ver a atriz interpretando uma garota contemporânea razoavelmente normal – a última foi uma hostess de restaurante em Chef, de 2014.

Scarlett estranha… … ou Scarlett vintage
A policial biônica de Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell Uma estrela fictícia de Hollywood em Ave, César!
A heroína Viúva Negra em filmes da Marvel A atriz Janet Leigh em Hitchcock
Moça com poderes telecinéticos em Lucy Uma femme fatale em The Spirit: O Filme
Um serviço de voz de smartphone em Ela Uma assistente de mágico do século 19 em O Grande Truque
Uma alienígena serial killer em Sob a Pele Uma mulher dos anos 30 em Falsária
Uma clone em A Ilha Namorada de policial dos anos 40 em A Dália Negra

A beleza clássica de estrela da antiga Hollywood facilita que Scarlett seja escalada para filmes retrô. E sua capacidade de transformação do visual lhe garante as personagens fora da curva – da alienígena com cabelos pretos em Sob a Pele à russa ruiva com superpoderes nos filmes de heróis da Marvel.

Mais vintage ainda

Além dos retrô citados lá no topo, Scarlett fez filmes ambientados nos séculos 16 (A Outra) e 17 (Moça com Brinco de Pérola)

Em Vigilante do Amanhã, Scarlett novamente está com cabelo escuro. Afinal, o filme é inspirado nos quadrinhos japoneses Ghost in the Shell, criados em 1989, que já foram adaptados para games, filmes e seriados de animação. Como a personagem principal é nipônica (o nome é Motoko Kusanagi, que também atende pela alcunha de Major), alguns fanáticos por Ghost in the Shell criticaram a escolha de uma loira americana para interpretá-la. Para acalmar ânimos, Scarlett disse que o filme é uma internacionalização da franquia e que jamais aceitaria o trabalho se soubesse que estaria tirando o lugar de uma atriz oriental.