Os trintões de Springfield: 15 curiosidades dos Simpsons

Em abril de 1987, surgiam Os Simpsons, que se tornariam um fenômeno cultural mundial

  • Os Simpsons começaram apenas como um acessório na série humorística The Tracey Ullman Show. Historinhas divididas em partes de 30 segundos cada uma pontuavam os blocos do programa da comediante inglesa Ullman no recém-criado canal Fox.
  • Matt Groening foi procurado porque fazia sucesso com o público alternativo com seus quadrinhos Life in Hell, estrelados pelo neurótico coelho Binky. O convite veio de James L. Brooks, produtor executivo da série de Ullman e um mito de Hollywood por seus Emmys na TV e pelos três Oscar que ganhou com Laços de Ternura.
  • A ideia original era usar os personagens de Life in Hell nas animações. Quando descobriu que teria de ceder para a Fox a maior parte dos direitos de merchandising, Groening recusou porque as histórias de Binky eram seu ganha-pão garantido. Mas prometeu criar novos personagens.
  • A lenda que vários contam: Groening criou os cinco Simpsons rabiscando e arrematando o desenho enquanto esperava pelo início da reunião.
  • Groening batizou a família com os nomes da sua própria: o pai Homer, a mãe Marge (encurtado de Margaret) e irmãs chamadas Lisa e Maggie. Não usou Matt para o moleque travesso da família porque achou que iria pegar mal na reunião. Trocou por Bart.
  • Bart já era Bart Simpson para Groening desde o segundo grau, quando ele se meteu a escrever um romance. Na história imaginada pelo autor, Bart era filho de Homer Simpson – nome que Matt pegou emprestado de um personagem do livro O Dia do Gafanhoto, do escritor Nathanael West.
  • O esboço de Groening era em preto e branco. A pele amarela dos Simpsons foi ideia da desenhista Gyorgyi Peluce, da equipe de animadores.
  • As esquetes dos Simpsons acabaram fazendo mais sucesso que os quadros da estrela da série. Em 1989, a Fox decidiu dar à família de Springfield seu próprio seriado com episódios de meia hora em horário nobre – algo que ninguém ousava fazer desde Os Flintstones nos anos 60.
  • Para a série própria, foi criada uma equipe maior. O comandante dos roteiros era o experiente Sam Simon, que criou a maioria dos principais habitantes de Springfield. Simon e Groening nunca se deram bem e o roteirista saiu em 1993. Como indenização, recebeu parte dos direitos da série. Ganhou entre 20 milhões e 30 milhões de dólares por ano até morrer em 2015.
  • Os Simpsons, a série, estreou em 17 de dezembro de 1989. Meses depois, já era uma mania nos Estados Unidos. Ou melhor, uma Bartmania, já que o menino travesso era o astro na fase inicial. O merchandising era todo em torno de Bart – cerca de 1 milhão de camisetas com a figura dele eram vendidas por dia na época.
  • Com 28 temporadas, Os Simpsons são a série de animação em horário nobre com mais tempo no ar – terá pelo menos mais duas, de acordo com o contrato recém-renovado. Também é recordista em número de convidados especiais.
  • Em poucos anos, Bart deixou de ser o destaque e Homer tornou-se um ícone – mesmo que seja um adulto algo estúpido. Seu bordão de espanto “D’oh!” foi tão disseminado que acabou dicionarizado (como “doh”) no Oxford English Dictionary, o principal da língua inglesa.
  • A série já ganhou 36 Emmys: 10 de melhor programa de animação, 20 de melhor atuação de voz, dois de melhor canção e quatro de melhor conquista individual em animação.
  • O recém-lançado livro TV (The Book) elegeu as 100 melhores séries americanas da história. Em 1º lugar, Os Simpsons.
  • Os Simpsons – O Filme, de 2007, arrecadou 527 milhões de dólares em todo o mundo. No Brasil, foi visto por 2,2 milhões de espectadores e teve bilheteria de 17 milhões de reais.

 

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!