Oscar VIP 2013

Como de praxe, a nossa premiação é muito mais quente, divertida e inteligente do que aquela feita pelos velhinhos da academia

Oscar VIP 2013

Melhor namorada perfeita
Jennifer Lawrence em O lado bom da vida
No filme, a atriz interpreta Tiffany, uma viúva precoce de 20 e poucos anos que tenta superar a morte do marido fazendo sexo com todas as pessoas do escritório (inclusive as mulheres). Quando finalmente conhece o cara que é capaz de ajudá-la a se ajeitar, prova que pode ser uma namorada perfeita: é muito gata, entende tudo de futebol, dança bem, gosta de beber, sabe agradar os sogros e é tão boa de discussão que deve ser um prazer perder um bate-boca para ela.

Melhor perseguição
Looper

Looper foi um dos grandes filmes do ano. O gênio do diretor Rian Johnson não foi lembrado pela Academia, mas vai ser devidamente reconhecido aqui. A versão mais velha do looper Seth é enviada para ser morto pelo seu eu mais jovem. Consegue escapar, mas os mafiosos do presente capturam o jovem e vão arrancando, um por um, todos os seus membros, fazendo o Looper mais velho ficar sem mão, sem perna e sem ter como continuar fugindo. O conceito de viagem no tempo foi usado para criar uma perseguição incrivelmente original.

Melhor nudez
Nadine Velazquez em O Voo
O filme que garantiu uma indicação ao Oscar de melhor ator para Denzel Washington também dá um presentão para a gente: a atriz Nadine Velazquez, completamente nua, demorando uns bons e lindos segundos para achar e vestir sua calcinha ao acordar.

Melhor chuva de bala
Skyfall

O ano de 2012 marcou a volta de James Bond em um filme cheio de recordes. Skyfall é a melhor bilheteria da franquia e o filme mais elogiado do agente britânico. Com um terceiro ato bem diferente do que se espera de um Bond, o agente é encurralado em uma mansão pelo vilão Silva, que chega de helicóptero e descarrega centenas de balas num lugar já ardendo em chamas. A fotografia é tão bem cuidada que essa sequência forma o caos mais plasticamente bonito do ano.

Melhor amigo da galera
Ben Affleck em Argo
Argo é um filme competente, mas seu sucesso nas premiações pode ser considerado desproporcional à sua qualidade. Até o próprio Ben Affleck, ao aceitar o Globo de Ouro de melhor diretor no mês passado, admitiu que quem merecia mesmo o prêmio era Paul Thomas Anderson, diretor de O Mestre.

Melhor filme injustiçado
O Mestre

Concorre em apenas três categorias: ator, ator coadjuvante e atriz coadjuvante. Não deve ganhar nenhuma. Mas, se o Oscar primasse pela justiça, O Mestre levaria esses e mais os de melhor filme, fotografia, roteiro original, direção e edição. O filme, que conta a história do líder de uma seita tentando domar um discípulo arredio, é o mais original da temporada e o único que realiza o sonho de todo homem por breves segundos: ver todas as mulheres à frente nuas em pelo.

Músicas cool demais para o Oscar
O prêmio de melhor canção é o mais brega do Oscar. Este ano, deve ganhar Adele, com o tema um tanto irritante de Skyfall. Ao lado, três músicas que, se tivessem sido indicadas, dariam ótimas performances para animar um pouco a cerimônia:

Dull Tool, Fiona Apple
Depois de lançar um dos grandes discos de 2012, The Idler Wheel, ela ainda teve inspiração para gravar música inédita e animada para a nova comédia de Judd Apatow, Bem-Vindo aos 40.

Who Did That To You, John Legend
A melhor entre as músicas inéditas da sensacional trilha de Django Livre faria a plateia do Oscar acordar do marasmo em dois segundos.

Looking for a Sign, Beck
Jeff e as Armações do Destino, lançado em vídeo no Brasil, é um drama engraçado sobre dois irmãos que não se bicam. O folk de Beck é uma das melhores baladas que ele já fez. Merece sua atenção.

Oscar VIP 2013