Papo VIP: 6 perguntas para The xx

Atração do Lollapalooza Brasil em março, trio inglês lança seu terceiro álbum de indie eletrônico

O trio inglês The XX será uma das principais atrações (ao lado de Metallica, The Strokes e The Weeknd) do festival Lollapalooza Brasil, marcado para 25 e 26 de março no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. E o grupo virá embalado por I See You, seu terceiro álbum, lançado em 13 de janeiro.

O indie eletrônico característico do The XX se reflete nas melodias com repetições e nas batidas uniformes. As faixas Dangerous e Performance são as mais bem desenvolvidas musicalmente. E On Hold, que já foi divulgada em novembro, é o primeiro sucesso.

Conversamos por telefone com Jamie xx, produtor, percussionista e cabeça do trio, que já se apresentou no Brasil em 2013.


Vocês serão uma das maiores atrações da próxima edição do Lollapalooza Brasil. Quais são suas expectativas para o show?

Ainda não sabemos o que esperar. Ao mesmo tempo em que estamos ansiosos, temos medo, pois não fizemos o álbum com essa noção de tocá-lo ao vivo. Isso será um desafio.

Ao vivo, você toca discos de vinil em vez de só “dar play” numa gravação. Ainda é assim?

Sim. É nosso alicerce. E aprendi muito sobre como me portar no palco. Me apresentar por conta própria [Jamie iniciou carreira solo em 2015] me ajudou. Comecei a curtir o momento.

Como foi voltar a gravar com a banda em I See You?

Nossa amizade é muito importante para o jeito que fazemos música e como agimos. Nos reunimos em diferentes locais em vez de ficar em uma única sala em Londres. Compartilhamos nossas composições em vez de manter tudo só para nós. Tentamos ser mais abertos.

Como foi sua evolução pessoal, comparando o primeiro álbum [de 2009] com este?

O período entre 18 e 28 anos de idade é importante na vida de todos. É nessa fase que você aprende quem você é e a se sentir confortável em sua própria pele. Evoluímos como pessoas e nos tornamos músicos melhores e mais confiantes.

Como equilibraram músicas calmas e agitadas no álbum?

Tentamos nem pensar muito. Apenas aproveitamos o momento no estúdio. E tentamos não ser específicos nas letras, para que as pessoas possam interpretar como preferirem.

Na primeira vinda ao Brasil, deu tempo de conhecer São Paulo e Rio?

Sim, um amigo me mostrou diversos locais no Rio. Só não tivemos tanto tempo para conhecer São Paulo. Tomara que dê desta vez.


Ouça, na íntegra, o álbum: