TOP 5 – músicas que eles criaram e que nem eles próprios aguentam mais

A cantora neozelandesa Lorde declarou recentemente que não aguenta mais ouvir seu hit, 'Royals'. Não, não é um caso isolado. Selecionamos outros astros que em algum momento se arrependeram de terem inventado essa ou aquela música

Getty Images

Ninguém aguenta mais ouvir ‘Royals’, da neozelandesa Lorde. Nem a própria Lorde.

Em entrevista à revista norte-americana V, a cantora de 17 anos admitiu que, embora sua música ainda faça sucesso e seja tocada em todo o mundo, deseja que as rádios parem de executar ‘Royals’. A faixa que lhe garantiu dois prêmios Grammy neste ano é um estorvo.

“Eu quero que as pessoas parem de ouvir Lorde o tempo todo nas rádios, porque as coisas estão um pouco loucas neste momento. Quero criar espaço antes de lançar algo diferente”, afirmou.

Na história da música, algumas bandas e músicos renegaram seus hits. Os motivos são diversos. Fizemos uma seleção das maiores músicas rejeitadas por seus criadores.

* * *

1. Thom Yorke odeia ‘Creep’

Depressiva, a música ‘Creep’, lançada em 1992, se conectou aos jovens que não tinham terreno para carpir e se angustiavam com a vida no fim do século 20. O hino da derrota de uma geração. Era tudo o que os pré-emos queriam ouvir, e a música acabou levando o Radiohead ao mainstream – e, provavelmente, alguns jovens ao suicídio.

Mas o Radiohead não queria ser grande. Por isso, Thom Yorke – que, vá lá, talvez esteja no top 10 dos caras mais intragáveis da música – passou a odiar “Creep”. Afinal, todo jovem cantava aquela porra de música!

Em uma longa reportagem da revista Uncut, em 2001, Jonny Greenwood tentou explicar o ódio do seu parceiro de banda pela música que os tornou mundialmente famosos: “Ele não está mais naquele momento emocional, então não gosta de tocá-la.” Tanto que, em 393 shows da banda entre 2000 e 2012, ‘Creep’ foi tocada 26 vezes, segundo o site Citizen Insane.

2. Robert Plant odeia ‘Stairway to Heaven’

Tiozões têm razão: ‘Stairway to Heaven’ é uma das maiores músicas da face da Terra. Foi lançada em 1971 e se tornou tão popular que as pessoas ligavam nas rádios pedindo que ela fosse tocada. E de novo. E de novo. A Rolling Stone colocou a composição no 31º lugar entre as 500 maiores músicas de todos os tempos; a VH1 ranqueou a canção como o terceiro maior rock já escrito.

Para Jimmy Page, ‘Stairway to Heaven’ é “a essência da banda”; para Robert Plant, é uma “porra de música de casamento”.

Plant odiava tanto a música que o escritor Charles R. Cross, em sua biografia da banda, considerou a música um dos maiores obstáculos para a reunião do Led Zeppelin.

3. Liam Gallagher odeia ‘Wonderwall’ (mesmo não sendo dele)

Graças a ‘Wonderwall’ (e um pouco a ‘Don’t Look Back in Anger’ e ‘Champagne Supernova’), o Oasis emplacou o “(What’s the Story) Morning Glory?” que, anos depois, seria reconhecido como o terceiro álbum de maior vendagem no Reino Unido.

A composição é de Noel, mas a interpretação sempre ficou a cargo de Liam Gallagher – também no meu top 10 de caras intragáveis da música. Pois bem, Liam, em vez de ter orgulho por cantar o maior hit da banda, sempre alimentou profundo desprezo pelo papel.

Antes do lançamento de ‘Dig Out Your Soul’, em 2008, a rádio WENN perguntou a Liam como seria o álbum. Ele respondeu: “Pelo menos não há nenhuma ‘Wonderwall’ lá. Eu não posso aguentar essa porra de música!”.

4. Mike D não gosta tanto de ‘(You Gotta) Fight for Your Right (to Party!)’

Puta música. ‘(You Gotta) Fight for Your Right (to Party!)’, dos Beastie Boys, lançada em 1986, foi eleita pelo Rock and Roll Hall of Fame uma das 500 músicas que moldaram o rock.

Mas o que poucos sabem é que Mike D não tem muito orgulho disso. E a culpa nem é dos Beastie Boys.

‘(You Gotta) Fight for Your Right (to Party!)’ é pura ironia. Quando foi escrita, a ideia era tirar sarro da juventude que tinha hinos como ‘I Wanna Rock’, da banda Twisted Sisters, e outras músicas de moleque-criado-a-Toddynho. Mas o tiro saiu pela culatra: a mesma geração a quem a crítica era dirigida se apropriou do hit dos Beastie Boys e fez dela um hino. Mike D comentou: “A única coisa que me chateia é que podemos ter reforçado certos valores de algumas pessoas em nosso público enquanto os nossos próprios valores são completamente diferentes.”

A vida tem dessas coisas, Mike D.

5. Roberto Carlos não canta ‘Quero Que Vá Tudo Pro Inferno’

Lançada em 1965, ‘Quero Que Vá Tudo Pro Inferno’ é um marco na carreira de Robertão. Na época, ele tinha um programa de TV chamado Jovem Guarda, e a música apenas reforçou seu status de fenômeno.

Entretanto, com o passar do tempo, o Rei se tornou cada vez mais carola e mais suscetível ao seu transtorno obsessivo-compulsivo, e isso o levou a banir a música de seu repertório na década de 1980.

Dizem por aí que ele pode voltar a cantar a música. Estamos na torcida.