Velozes e Furiosos: U$500.000.000 gastos em cenas de ação

A série ainda contabiliza 169 carros danificados e 132 automóveis e 31 prédios destruídos

Com a chegada do oitavo filme da franquia Velozes e Furiosos chegando, o site de seguros inglês Insure The Gap calculou os custos das cenas de ação da franquia, e fez um verdadeiro levantamento dos custos das extravagâncias destrutivas dos personagens de Vin Diesel, Paul Walker e companhia.

O site calculou um custo total de U$522.561.646 dos danos a carros, locações e afins durante as gravações dos sete primeiros filmes da série. No total foram 169 carros normais danificados, 142 carros normais destruídos, 37 veículos especiais destruídos (o que inclui motos, ônibus, carros de corrida, aviões, helicópteros e veículos militares). Além do números de meio de transportes inutilizados nas gravações, os filmes ainda danificaram 53 prédios e destruíram outros 31.

O carro mais caro destruído pela equipe do filme foi um Lykan Hypersport (na foto do início da matéria), avaliado em cerca de U$3.4 milhões.

O levantamento foi além e fez cálculos separados dos gastos por filme. É curioso notar que a partir do quinto filme Velozes e Furiosos: Operação Rio, a série teve um boom de gastos e destruição por conta de uma mudança na série, que deixou de se focar na questão das corridas de rua e se tornou um filme de ação puro.

Velozes-e-furiosos-gráfico

(Insure the Gap/ Allan Francisco/Reprodução)

Curiosamente, os personagens que mais geraram custos no decorrer dos filmes foram o heróis da história, com gasto total de U$325.661.212 em destruições ante “apenas” U$ 197.453.310 do vilões. Em contrapartida o personagem responsável pelos maiores gastos foi o vilão Deckard Shaw (Jason Statham), que destruiu o equivalente a U$185.766.760.

Velozes-e-furiosos-gráfico2

(Insure the Gap/ Allan Francisco/Reprodução)