A cueca high-tech que se adapta ao corpo e controla o mau-cheiro

As cuecas da Tommy John buscam acabar com peças incômodas e desconfortáveis

Era uma questão de tempo para que isso acontecesse. O processo de “premiunização” do mundo já chegou a vários aspectos da sociedade, como no café e suas mil opções de cápsulas e nas roupas esportivas, cada vez mais tecnológicas e inteligente.

Com um mercado que movimenta anualmente U$8 bilhões, não seria diferente. Prepare-se para repensar as suas cuecas, é isso que a Tommy John propõe. O escritório cool de Lower Manhattan pretende explorar um mercado até então estagnado, propondo produtos que não são mais meros trapos que ficam entre seu corpo e sua calça.

As cuecas da marca trazem o que há de mais novo em tecnologia de moda, com uma extensa lista de vantagens: controle de umidade, zonas frias, cós ocultos e até um sistema “quick draw” para facilitar o acesso (o tipo de coisa que você vai agradecer a existência na hora certa).

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

A marca também busca uma mudança de paradigma. Ao vender produtos premium, a Tommy John vai contra uma tendência masculina de não gastar muito nesse tipo de peça. Para reverter o quadro, apostam em um tecido de melhor qualidade, aumentando o tempo de vida da peça, e na inclinação do homem moderno de ficar mais tempo solteiro — o que acarreta em maiores gastos pessoais e na valorização da imagem.

Cada cueca custa entre U$25 e U$70