Devagar e sempre: caminhada pode queimar mais gordura que corrida

Personal trainer de celebridades americanas explica a taxa de gordura que você queima nas duas atividades

Quem vê de fora tem a impressão que quem corre geralmente tem mais benefícios da prática do exercício do que quem apenas caminha. Se o seu objetivo é perder peso, saiba que isso não passa de uma impressão. 

Segundo Harley Pasternak, nutricionista canadense e treinador — para não chamar de “guru fitness” — de famosos como Kim Kardashian, Ariana Grande e Lady Gaga, entre as duas opções, andar é a melhor maneira de queimar gordura.

O especialista diz que os exercícios cardiovasculares de alta intensidade, como correr ou fazer uma aula de spinning, até detonam mais calorias por minuto. Mas, dessa taxa calórica, apenas uma porcentagem pequena é de gordura.

O fisiologista brasileiro Givanildo Holanda explica que uma hora de caminhada queima em média 480 calorias, das quais 70% são de gordura. Enquanto que o mesmo tempo de corrida queima o dobro de calorias, das quais apenas 30% ou 40% são de gordura.

A explicação? Ao acelerar o ritmo, é exigido mais força do organismo. Mas, em contrapartida, diminui a contribuição da gordura como fonte de energia.

O gasto predominantemente fica por conta da queima de carboidratos.

bradley-cooper-andando

Por outro lado, uma caminhada exige uma voltagem menor e, com isso, a predominância é de trabalho aeróbio (o organismo usa o oxigênio no processo de geração de energia dos músculos).

Pasternak estudou os hábitos alimentares dos países mais saudáveis ​​do mundo e garante que, embora as dietas desses países sejam diferentes, os habitantes desses países fazem muitas caminhadas.

Segundo o estudo, andar diariamente entre 10 mil e  14 mil passos por dia é o suficiente para começar a perder peso.

“As pessoas querem saber como conseguimos dar forma aos corpos mais bonitos do mundo …  Não sendo sedentário”, explica o Coach.

Fome: o vilão secundário

Crédito: Divulgação (Reprodução/Divulgação)

Pasternak diz que existe uma relação direta entre a intensidade do exercício aeróbico e seu apetite. Quanto mais intenso for seu treino, mais fome você terá. Ou seja, a chance de você repor rapidamente as gramas perdidas é enorme.

“As pessoas quando saem de uma aula de spinning estão vorazes. É provável que elas ataquem a primeira comida que encontrarem pela frente, mesmo que ela seja carregada de açúcar”, afirma Pasternak.

Há também o risco de lesão em exercícios físicos mais extremos.

O treinador alerta para a síndrome do estresse repetitivo (tendinite, bursite, epicondilite), que afeta músculos, nervos e tendões.