Primeira regra ao chegar numa feira erótica: não lute contra o aspecto brega que tem tudo o que envolve coisas pornôs/eróticas – é assim e pronto (ou por acaso você já viu filme pornô cool?). Segunda regra: esqueça o preconceito e se entregue às coisas que lhe parecem mais bizarras. E lembre: em matéria de sexo a gente nunca sabe o suficiente. Entre naquele clima “só sei que nada sei” (sorry, Sócrates) e acredite que isso vai te levar além.

Vamos ser sinceros, todo mundo quer sempre trepar melhor, esse é um dos grandes objetivos da humanidade. Ainda mais nós, seres ocidentais vivendo sob essa ditadura da putaria, com essa obrigação opressiva de arrasar sexualmente. Então, uma feira erótica é o lugar ideal para isso, a presença de um maior número de pessoas unidas ali com o mesmo objetivo populariza a coisa, torna mais natural você se ver, de repente, pegando num vibrador de 25 cm que gira e dá pirueta como se nada fosse (exemplo hipotético; não vi vibrador que dá pirueta).

Entrei de estande em estande e, confesso, fiquei um pouco deslumbrada com os vibradores, o que me tornou monotemática, não conseguia falar de outra coisa. Fui com duas amigas, e nós, igualmente deslumbradas & monotemáticas, andávamos pelo lugar perguntando às pessoas sobre os tais objetos (o que, aliás, foi meu assunto do mês, meus amigos não me aguentam mais). Então, quando vi a ex-panicat Piu Piu, nada mais natural do que perguntar: você usa algum tipo de brinquedo erótico? Ela achou minha pergunta meio direta e estranha, suponho eu, porque me olhou com uma cara meio desconfiada e, politicamente correta, me respondeu que não, nunca tinha usado, mas, claro, não tinha nada contra etc.

Zzzzzzz. Preguiça. Eu, minhas amigas e minhas sacolas cheias de produtos eróticos saímos do estande frustradas com a resposta. Eu queria ouvir putaria, estava numa feira erótica! Chego na praça de alimentação local. Entre as várias mesas espalhadas e ocupadas por pessoas extremamente normais (que poderiam estar em uma feira de, sei lá, qualquer outra coisa), eu vejo três caras sem camisa, duas loiras de biquíni e uma morena com os peitos de fora. Fui falar com eles e descobri que eram atores pornôs, cada um de um lugar da Europa, e que fariam o show erótico logo mais.

Fiz a mesma pergunta que tinha feito para a panicat, se eles curtiam vibradores. A loira platinada de biquíni me responde “claro!”. O cara ao lado, um loiro forte de olhos azuis, emenda a resposta falando que a loira gostava de vibradores para o clitóris. Continuou, sem que eu perguntasse, falando que tipo de vibrador cada uma gostava e logo contando o porquê, justificando com detalhes anatômicos da buceta (pode falar “buceta”, editor?) de cada uma. Tipo o cara sabia muito. Que incrível. E então eu pensei: “Vem cá!” Estou brincando. Meu pensamento foi um pouco mais profundo: as pessoas ficam tão preocupadas com performances que esquecem de tentar conhecer de fato o outro sexualmente. E essa é a chave do bom sexo. Porque sexo antes de mais nada é sensação, é saber dar prazer e ter prazer. Simples assim.

E foi ali, em frente àqueles homens de sunga e mulheres em trajes mínimos ou peitos expostos que eu tive também o insight: precisamos banalizar mais o sexo. Mas não da forma que dizem que nossa sociedade banaliza, com essa exposição irreal e publicitária, não é isso. Precisamos vê-lo, antes de tudo, como ele é, em sua animalidade, em seu aspecto natural, tirar o peso que ele adquire com as  implicações morais e românticas. E não se limitar, usando toda a infinidade  de possibilidades que a indústria do sexo nos dá. All the way, all the way, all the way, já dizia o velho Bukowski. Mas vamos ao  que interessa. Aqui abaixo vão algumas dicas de produtos testados e aprovados por mim.

1 – SUPPER RABBIT
Você já deve saber que o centro do prazer da mulher é o clitóris, não é? Grandes orgasmos podem acontecer se ela ficar estimulando o clitóris enquanto é penetrada  por você. Então, uma boa ideia (para não cansar seu dedo nem o dela) é esse vibrador para usar a dois. É tipo um anel que vai ao redor do pau (retardando  também a ejaculação) e tem acoplado um coelhinho (não sei o que a indústria erótica tem com coelho, usado em quase tudo) que é onde fica o vibrador que estimula o clitóris. O melhor é a consistência  que é supermacia e nãoinco moda ninguém.

2 – VIBRADOR ROTATIVO VAI E VEM
Novidade. Ele gira, faz um movimento  de vai e vem e tem um estimulador para o clitóris. Só falta falar. Esse é “O” vibrador, o melhor de todos que já testei na minha vida. Minhas duas amigas que foram comigo na feira  testaram e também adoraram (fiz elas testarem na volta da feira aqui em casa num clima vai-no-banheiroe- depois-conta). E onde você entra nessa história? Sabe aquele momento do sexo em que ela está quase gozando, mas você não  consegue esperar e goza antes? Então, o vibrador pode dar essa continuidade por você. Eu sei que ele é incrível, mas não tenha medo, ele não compete com seu pau. Entenda isso de uma vez por todas: nós nunca  vamos preferir um vibrador a um pau, ok? Então, use-o como seu aliado.

3 – VELA HIDRATANTE (DA INTT)
Amei, amei, amei. É uma vela aparentemente comum, que derrete normalmente, porém, se você derrubar a cera na pele, ela não queima. É genial. A moça da Erótika Fair me explicou que isso acontece porque ela tem um baixo ponto de fusão.  É legal por vários motivos. A suposta cera que cai na pele é hidratante, tipo um óleo para massagem que escorre quentinho e confortável com um cheirinho  incrível (a que eu testei era de jasmim). E você ainda pode realizar essa fantasia meio performática de derrubar cera no corpo dela, à lá clipeErotica, da Madonna.

4 – CLIV INTT (GEL LUBRIFICANTE ANESTÉSICO)
Sexo anal: algumas gostam, algumas fingem que gostam para agradar você e a maioria gosta no momento certo e com quem merece. Entrar pelos fundos é uma arte, querido leitor. E uma arte que passa muito pela preparação para o ato. Por isso, na feira  erótica, enquanto a moça de um dos estandes dava explicação sobre os produtos e falou as palavras “anestésico para sexo anal”, os olhinhos das  mulheres à minha volta brilharam todos, sem exceção. E não eram poucos. Incrível, não? O mais legal é que esse gel superlubrificante é apenas levemente anestésico (porque o objetivo também não é não sentir nada, né?). Então, só dá aquela ajuda que você precisa para tornar esse ato mais prazeroso para ela.

FOTO: GABRIEL WICKBOLD REALIZAÇÃO: ANDREA BUENO PRODUÇÃO E ESTILO: ADRIANA BUONO BELEZA: ED GOMES ASSISTENTE DE FOTO: KLAUS MÜLLER AGRADECIMENTOS: CORSELETE FRUIT DE LA PASSION, PULSEIRA PRATA FINA C&A