Para ouvidos exigentes: a volta das fitas de rolo

O renascimento do vinil não vai bastar para audiófilos abastados. O gravador Ballfinger M 063 é indício da volta ao culto à alta fidelidade da fita de rolo

A ressurreição do vinil criou um culto de jovens audiófilos adoradores do som mais “quente” dos discos em relação a CDs e arquivos digitais. Agora um nicho ainda mais exclusivo de caçadores do áudio perfeito se forma na Europa: os ouvintes de fitas de rolo, cuja qualidade é ainda maior. O lançamento do tape deck Ballfinger M 063 na feira Norddeutsche Hifi Tage, em Hamburgo, em fevereiro, reflete isso. Empresa alemã de design industrial, a Ballfinger hoje produz equipamentos de som de luxo, com visual vintage e recursos eletrônicos modernos. Seu alvo são profissionais de estúdio e “o amante da música ambicioso” – e abastado, uma vez que o preço do M 063 é 27 mil euros. Terá a concorrência de antigos fabricantes como Studer e Revox, que vão retomar suas produções. A Revox já vende na internet fitas de rolo de álbuns de jazz, pop e música clássica por 298 euros cada uma.