Veja 10 jogos de celular que são os principais alvos de hackers

Sejam apps inocentes (como My Talking Tom) ou jogos viciantes (como Pokémon Go), você deve saber que todo cuidado é pouco

Há um tempo fizemos um post sobre hackers, contando alguns dos segredos da internet — com direito a uma conversa com quem entende mais do assunto —, mas dessa vez decidimos abordar um assunto ainda mais próximo de você: o telefone celular.

Se você costuma procurar formas fáceis — e ilegais — de conseguir aplicativos pagos, deve ter bastante cuidado (principalmente tratando-se de sites não conhecidos). De guias de Pokémon Go a algo mais preguiçoso como Minecraft, vale ficar sempre de olho em possíveis ameaças que surgem de links falsos e propagandas enganosas no meio da jogatina.

A seguir, separamos os 10 principais alvos de hackers e sua forma de infecção:

divisao

Champions

app1

Marvel Champions foi o campeão na preferência por hackers: já sofreu mais de 218 mil tentativas de infecção, com o objetivo de roubar dados do usuário e bloquear o celular da vítima. A liberação do aparelho, então, só aconteceria mediante depósito bancário para o cibercriminoso.

Minecraft

app2

O famoso Minecraft, lançado para diversas plataformas nos últimos anos, também está na lista dos mais visados por hackers. Já que ele é pago, muitos optam por meios “paralelos” de baixá-lo — e acabam sendo infectados. Assim, os hackers têm desenvolvido apps, sem custo, que imitam a versão oficial para confundir os usuários e ter acesso aos seus dados. As ameaças são voltadas para o roubo de informações bancárias.

Asphalt 7

app3

O Asphalt 7, game que permite com que o jogador pilote carros de luxo nas cidades mais badaladas do mundo, foi alvo de mais de 144 mil tentativas de ataque. A maioria dos vírus induzem o usuário a se inscrever em programas pagos de SMS, espalhado via mensagens de contatos no Whatsapp.

Need for Speed: Shift

app4

Need for Speed, outro jogo multi-plataformas, foi alvo de mais de 99 mil tentativas de infecção. Assim como o outro, é infectado por links no Whatsapp

Plants Vs Zombies

app5

O jogo Plants Vs Zombies, que faz com que ao usuário defenda o seu jardim de sedentos zombies, foi alvo de mais de 82 mil tentativas de infecção, também transmitido por links de contatos aparentemente confiáveis.

Tetris

app6

O jogo mais popular de puzzle de todos os tempos, Tetris, também foi alvo de harckers, com mais 78 mil tentativas de infecção. Os cibercriminosos aproveitam sua popularidade entre os usuários para espalhar malwares que induzem o usuário a se inscrever em programas pagos de SMS.

Pokemon Go Guide

app7

O app Pokemon Go Guide é um guia que ensina o usuário a melhorar sua performance no jogo Pokémon GO, game mais popular entre os usuários nos últimos tempos. O app sofreu mais de 62 mil tentativas de infecção, em seus vários modelos genéricos, que visavam permitir ao hacker o comando remoto do celular. Com isso, ele poderia realizar transações bancárias, acessar sites entre outros riscos.

My Talking Tom

app8

O game requer que os usuários cuidem do bicho de estimação Tom, tendo mais de 64 mil tentativas de infecção, também transmitia vírus por links de mensagens.

My Talking Angela

app9

A versão feminina do app acima também não escapou da mira dos cibercriminosos. Foram mais de 59 mil tentativas de infectar o usuário — exatamente da mesma forma.

Head Soccer

app10

No jogo de futebol Head Soccer, foram reconhecidas mais de 56 mil tentativas de infecções por de vírus. Se efetivas, as ameaças fazem com que diversos anúncios indevidos apareçam na tela do celular.

divisao

A PSafe, uma startup brasileira líder na produção de apps para segurança e melhor desempenho de smartphones, indica a seguir as principais recomendações para você que costuma baixar games em qualquer lugar — e quer manter seu telefone celular livre de invasores:

Verifique a reputação do app

Ler os comentários, a reputação, os artigos e as avaliações sobre o aplicativo antes de baixar é fundamental para conhecer a marca e a procedência do programa.

Baixe apps de fontes confiáveis

Fontes confiáveis e lojas de fabricantes são sempre a melhor opção, pois os apps são verificados antes de serem disponibilizados para download.

Leia as permissões

Todos os aplicativos possuem permissões, mas observe se um aplicativo simples precisa ter acesso aos seus contatos, por exemplo.

Não modifique o sistema operacional

Ao realizar root (estratégia que possibilita acesso a recursos do Android que por padrão são bloqueados), o sistema fica mais vulnerável e, se algum malware infectar o dispositivo, ele terá mais controle sobre o celular como um todo. Além disso, ao realizar o procedimento em dispositivos, o aparelho perde automaticamente a garantia do fabricante.

Instale um antivírus

O Android é um dos sistemas mais visados por hackers e, por isso, mais suscetível a vírus. Pensando nisso, empresas de segurança oferecem soluções gratuitas de antivírus mobile, como, por exemplo, O PSafe TOTAL. O app da PSafe possui um sistema criterioso de avaliação de segurança e um laboratório de pesquisa de malware ativo, que emite um alerta caso o usuário esteja fazendo uma instalação duvidosa ou tente abrir um link malicioso.

Bluetooth off

Manter o bluetooth desligado enquanto não utiliza, evita que ele seja utilizado para transferência de vírus. Além disso, nunca aceite arquivos enviados de smartphones desconhecidos. Altere a identificação e senha padrão, que vem configurado no aparelho.

Tenha cautela

Além de seguir as dicas básicas de segurança, é importante monitorar o uso do celular enquanto a criança utiliza o aparelho. Nos primeiros contatos com o meio virtual, conversas e orientações são muito mais eficientes que proibições.