Sim, é possível ser calvo e sexy! Veja como

Das mais variadas idades e nacionalidades, montamos um time de exemplos que farão você repensar a preocupação com a calvície

Zidane

 (Aitor Alcalde/Getty Images)

Novidades em tratamentos para a calvície e queda de cabelo movimentam um rico mercado mundial.  A competição entre clínicas de calvície esquenta sempre que alguma empresa surge com um  “milagroso” remédio capaz de reverter fios (quase) perdidos.

O que os pré-carecas não percebem é que a solução para o problema pode ser barata, fácil e tranquilizadora. A resposta: assumir o novo visual. Como o próprio título dessa matéria exclama: sim, é possível ser calvo e sexy.

Calma, antes de atirar o primeiro pente — ou pote de gel —, montamos uma Dream Team de “pouca telhas”, que faz muito fã de Elvis Presley querer perder o topete.

Confira:

Zidenine Zidane

Zidane

 (Juan Manuel Serrano Arce/Getty Images)

O nosso primeiro exemplo vem dos campos, mais precisamente, do banco de reserva. O ex-jogador e agora técnico do Real Madrid, Zidane, tirou os últimos anos de carreira como jgoador no clube espanhol para assumir a máquina zero.

Hoje, o melhor treinador do mundo em 2017, segundo a FIFA, exibe com orgulho o novo visal e não é errado dizer que tornou-se uma espécie de “símbolo sexual” dos gramados, já que aparece sempre bem vestido em dia de jogos.

 

Bruce Willis 

Bruce Willis

 (Kevin Winter/Getty Images)

Um homem que não precisa de introduções. Um dos maiores atores de ação de Hollywood, provavelmente foi o primeiro herói (com permissão de Yul Brinner) que disse: “Cheguei, não tenho cabelo e isso não me impede de continuar matando vilões e muito menos é um empecilho para ficar com a mocinha”.

Os que lembram bem dos anos 90 devem ter na memória a intensa negociação do ator com o cabelo. A cada filme, Bruce aparecia com um volume diferente. Uma luta que ele levou até 2007, quando tomou coragem e encarou as gravações de “Duro de Matar 4.0” com a cabeça raspada. Hoje, esse é o seu corte número um.

Andre Agassi 

Andre Agassi

 (Rick Odell/Getty Images)

Depois de ler a autobiografia de Agassi, ficamos convencidos de que o menor dos problemas da vida dele foi a perda das madeixas loiras —  o americano confessou que em 1997 consumiu metanfetamina.

Um dos maiores tenistas de todos os tempos, Agassi diz que começou a reparar na queda dos fios aos 17 anos. E foi assim até os 20, quando comprou uma peruca.

A ideia não foi muito longe: no primeiro torneio usando o adereço, ele percebeu que não dava para correr e competir em alto nível pensando se a peça iria cair em quadra ou não. 

Pela quantidade de títulos que vieram sem seguida, sabemos que ele tomou a melhor decisão no cabeleireiro.

 

Anderson Silva

Anderson Silva

 (Jason Kempin/Getty Images)

Mesmo os mais fanáticos espectadores do UFC nunca deram de cara com um Anderson Silva cabeludo. Isso porque o atleta começou a perder os fios cedo. Pior: ele contribuiu diretamente para uma careca precoce.

Ele confessou em entrevista ao site RG que, aos 20 anos, tentou mudar a cabeleira por conta própria com um creme alisante. Depois de alguns dias a juba despencou. Aí chegou o momento de lidar com uma cabeça pelada.

O tempo passou, muitos títulos no octógono vieram e o look sem pelos virou uma imagem de sucesso.

Dwayne Johnson

Dwayne Johnson

 (The Academy Oscar/Divulgação)

Aqui, você terá que nos permitir uma licença poética. Dwayne Johnson  não é calvo, mas adotou a careca e virou um ícone. Há alguns meses, algumas imagens do ator com penteado afro viraram meme na internet.

Ele não negou o passado e explicou sua decisão de passar a navalha na cabeça: “Eu optei pela careca assim que notei o tamanho do trabalho que dava cuidar das minhas pseudo tranças”. Fez muito bem. Hoje é difícil imaginar The Rock sem a cabeça devidamente lustrada.