Camaro nervoso

Testamos o modelo 2014 do esportivo da GM e sentimos como é ver o resto do mundo pelo retrovisor

Um dos hits da onda de protestos que varreu o país no ano passado – “O gigante acordou” – se aplica bem ao acelerador do novo Camaro SS. Apesar de todo visual esportivo e da cara de mau, o Chevrolet não se comporta como tal durante um passeio despretensioso pelas ruas da cidade. Pelo contrário. Parece que você está dirigindo um sedã de luxo que desliza em silêncio pela pista com uma imponência suave e estável. Aí você pisa. E o gigante acorda. E quem ainda não estava olhando para você se vira rapidamente tentando descobrir de onde vem o ronco cavernoso e gutural emitido pelo motor V8 de 406 cavalos nervosos. Mas neste momento você já está bem lá na frente.

O novo Camaro ficou muito mais agressivo no visual e mais confortável para dirigir. Os bancos têm regulagem elétrica e aquecimento – dispositivo que eu liguei sem querer ao pegar o carro e quase fritei de calor. Apesar da presença do banco traseiro, é um carro para duas pessoas. Duas pessoas de sorte – e de posses –, que precisam desembolsar R$ 107 mil cada uma caso queiram dividir o valor. As cores disponíveis são branca, preta, vermelha e, como não, amarela. E aproveito estas últimas linhas para avisar meus vizinhos que esses carros que ultimamente tenho estacionado na minha garagem são emprestados.