Porsche celebra 70 anos da marca com uma exposição histórica na Alemanha

Um 356, considerado o primeiro carro da montadora alemã, aparece em destaque na abertura do museu

Porsche Museum

 (Porsche Museum/Divulgação)

Além das famosas autoestradas sem limite de velocidade, as autobahnen, a Alemanha é considerada o melhor destino de férias para apaixonados por carros justamente por seus museus de coleções preciosas.

Em 2018 você tem outra ótima desculpa para arrumar as malas: os 70 anos da Porsche, que começaram a ser celebrados no último mês de junho com uma exposição especial no tradicional museu da marca, em Stuttgart.

Fundado há dez anos, o Porsche Museum já chama atenção por sua arquitetura arrojada – não poderia ser diferente com uma marca que sempre privilegiou os estudos aerodinâmicos em seus modelos.

Logo na entrada, o visitante se depara talvez com o mais raro e especial deles: o Porsche número 1.

Porsche Museum

 (Porsche Museum/Divulgação)

Em 1948, as autoridades de trânsito austríacas concederam permissão de circulação ao modelo 356/1, o primeiro carro esportivo construído pela empresa fundada pelo engenheiro Ferdinand Porsche, que já tinha grande experiência na indústria, com passagens pela Mercedes e Volkswagen.

É dele o famoso projeto do Fusca, o “carro do povo”. Uma ala do museu, por sinal, trata de mostrar justamente os feitos de seu fundador antes de 1948 – e lá está um Fusca preto para contar parte dessa trajetória.

Os fãs de automobilismo vão se deliciar com a enorme área do museu de mais de 5 mil metros quadrados dedicada às corridas.

Afinal, foram nas competições que a Porsche criou sua mítica imagem – não por acaso, é a maior vencedora das 24 Horas de Le Mans, com 18 triunfos. Estão lá desde os primeiros modelos (das décadas de 50 e 60) até o carro de 2014 com o qual o time venceu as 6 Horas de Interlagos, em São Paulo.

Uma área só de troféus, por sinal, lembra que a marca já atingiu mais de 30 mil vitórias nas pistas do mundo.

Porsche Museum

 (Porsche Museum/Divulgação)

Outra curiosidade é a F1 de 1962, quando os alemães fizeram um time próprio na categoria. No Rally Dakar, a supremacia foi tamanha que, em 1986, até o carro inscrito como suporte (guiado pelos mecânicos do time) chegou em sexto… na classificação geral!

Também chamam atenção os protótipos dos anos 70 – eternizados no filme As 24 Horas de Le Mans, estrelado por Steve McQueen, e que atingiam 400 km/h!

E por falar em McQueen, está lá também no museu outra personagem famosa do cinema: Sally Carrera, a namorada do protagonista da animação Carros.

São muitas novidades em uma história de sete décadas.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você