Aprenda a preparar sete drinques clássicos com gim

Negroni, Dry Martini, Aperol Spritz... o destilado à base de zimbro ganhou a vez no universo da coquetelaria

Gim Dry Martini, Gin Giz, Negroni, Aperol Spritz, Long Island Ice Tea, Watermelon Gin e Cubo Mágico, coquetéis famosos feitos com gim.

Dry Martini, Gin Giz, Negroni, Aperol Spritz, Long Island Ice Tea, Watermelon Gin e Cubo Mágico, coquetéis famosos feitos com gim. (Julia Rodrigues/VIP)

Todo clássico traz consigo um rastro de história e lendas. Com o gim, destilado responsável por mais drinques clássicos do que qualquer outra bebida, o negócio é assim também.

No século 16, quando a Inglaterra se uniu à Holanda em batalha contra a Espanha, os ingleses notaram que os aliados holandeses antes de guerrear bebiam um líquido suspeito que os deixava mais relaxados e, ao mesmo tempo, endiabrados. O que era genever, bebida local à base de zimbro, rapidamente ganhou apelido de “coragem holandesa”.

Muitas décadas depois, em terras britânicas, foi cria­­­do o gim, bebida de produção fácil, rápida e barata, na qual do antigo genever os ingleses mantiveram o forte aroma do óleo de zimbro e o alto teor alcoólico (que varia de 42% a 52%). E acrescentaram infusões de ervas e diversas especiarias, que variam de uma marca a outra.

Hoje há cerca de 250 marcas de gim no mundo, e a alquimia empregada em sua fabricação é impressionante. O escocês Botanist, para citar um exemplo, usa 31 ervas.

No século 18, o gim foi levado ao Novo Mundo e no 19 estabilizou-se como bebida refinada, para verdadeiros gentlemen. No século seguinte, a partir dos anos 1970, começou a perder espaço com o grande boom da vodca, o destilado mais consumido no planeta.

Valendo-se do seu sabor neutro e de investimentos maciços em publicidade, ela relegou ao gim o status de bebida com um mero gosto de remédio.

Mas eis que recentemente o gim foi resgatado. Virou a bebida da vez no universo da coquetelaria. Uma volta à tradição. O start foi dado com o investimento de marcas no mercado de luxo. O reconhecimento mundial não demorou.

O Tan­­­­­­­­queray Nº 10, o único gim a entrar no World Spirits Hall of Fame, ganhou em 2010 o International Spirits Challenge, uma competição mundial entre destilados. O Hendrick’s conquistou o mesmo título no ano passado.

“É nítido o aumento de pedidos de coquetéis com gim, por homens e mulheres. Os brasileiros também estão redescobrindo a bebida”, diz Alexandre D’Agostino, barman do bar paulistano Spot e autor das receitas destas páginas.


Gim Tônica

Gim Tônica

 (Julia Rodrigues/VIP)

Ingredientes

■ Uma parte de gim para duas de tônica
■ 1 gomo de limão-siciliano ou taiti
■ Gotas de bitter

Preparo
Em um copo longo ou uma taça de vinho grande cheia de gelo, sirva o gim e a tônica. Esprema o limão, que pode ser substituído por grapefruit. Para dar um toque especial, use um twist de limão-siciliano (casca espremida e adicionado ao copo), gotas de orange bitter ou algum outro bitter ou até mesmo um ramo de alecrim ou manjericão.


Negroni

Negroni

 (Julia Rodrigues/VIP)

Ingredientes

■ 30 ml de Campari
■ 30 ml de vermute tinto doce
■ 60 ml de gim
■ 10 ml de Aperol
■ 1 gomo de laranja

Preparo

Em um copo baixo cheio de pedras grandes de gelo, misture os ingredientes, esprema um gomo de laranja e um twist de laranja.


Long Island Ice Tea

Long Island Ice Tea

 (Julia Rodrigues/VIP)

Ingredientes

■ 15 ml de gim
■ 15 ml de tequila
■ 15 ml de rum
■ 15 ml de cointreau
■ 15 ml de vodca
■ 1 colher (chá) de açúcar
■ 25 ml de suco de limão
■ Coca-Cola até completar

Preparo

Bata todos os ingredientes, menos a Coca, em uma coqueteleira cheia de gelo. Sirva em um copo longo com gelo e só então complete com a Coca.


Dry Martini

 (Julia Rodrigues/VIP)

Ingredientes

■ 100 ml de gim (depende do tamanho da sua taça e sua sede)
■ 10 ml de vermute branco seco
■ Gotas de orange bitter

Preparo

Gele um mixing glass com pedras grandes de gelo e o vermute. Descarte o líquido. Coloque o gim e orange bitter e misture por aproximadamente 20 segundos ou até que esteja bem gelado. Coe martíni em uma taça. Use um twist de limão-siciliano e decore com uma azeitona (Alexandre segue o ritual de furá-la 11 vezes).


Watermelon Gin

Watermelon Gin

 (Julia Rodrigues/VIP)

Ingredientes

■ 50 ml de gim
■ 50 ml de suco de melancia fresco
■ 1 colher (chá) de açúcar
■ 10 ml de suco de limão-siciliano
■ 5 folhas de hortelã

Preparo

Macere o suco de limão com a hortelã e o açúcar e bata em uma coqueteleira com gelo e os demais ingredientes. Sirva em um copo baixo com gelo e decore com um ramo de hortelã.


Gin Gizz

Gin Gizz

 (Julia Rodrigues/VIP)

Ingredientes

■ 50 ml de gim
■ 2 colheres (chá) de açúcar
■ 25 ml de suco de limão-siciliano
■ Club soda até completar

Preparo

Bata todos os ingredientes, menos o club soda, em uma coqueteleira com gelo. Sirva em um copo longo com gelo e complete com o club soda.


Aperol Spritz

Aperol Spritz

 (Julia Rodrigues/VIP)

Ingredientes

■ 50 ml de Aperol
■ 10 ml de gim
■ 1 gomo de limão-siciliano
■ 30 ml de club soda
■ Espumante seco para completar (de preferência um bom prosecco)

Preparo

Em uma taça grande de vinho cheia de gelo, coloque todos os ingredientes deixando o espumante para o final. Misture e sirva.


Infusão caseira de bebidas

O barman Spencer Jr., do paulistano Frank, faz no bar infusões em gim com lavanda e alecrim e dá dicas para você fazer as suas próprias criações em casa, sejam elas com gim, vodca, cachaça ou outro destilado. Use frutas, legumes, ervas, pimentas, chás ou o que der na telha.

A mais acessível das técnicas de infusão é deixar a bebida com os sólidos em um pote hermético – pode ser uma garrafa de boca larga com tampa –, em local escuro e fresco. Prove diariamente a bebida até chegar ao ponto desejado.

Quanto maior o teor alcoólico da bebida, mais rápido ela “puxará” o sabor dos ingredientes. A quantidade de sólidos que você utilizar também interfere nessa equação. O ideal é começar com ingredientes cujo sabor você tem familiaridade.

Frutas frescas podem ser usadas, mas o resultado final terá um teor alcoólico menor do que a bebida original. Não se esqueça de retirar sementes, cascas e a pectina (parte branca) de limões e laranjas. As frutas secas não alteram o teor alcoólico.

Quando a infusão estiver pronta – ou seja, quando atingir o sabor que você deseja –, coe o líquido usando um coador de café ou tecido para uma garrafa ou jarra.