Coma numa tacada

Práticos e versáteis, os tacos mexicanos são ótima fast food para os dias quentes: combinam com festa, cerveja e... vida saudável

Tacos

Você não precisa ser um veterano na cozinha para fazer tacos de verdade em casa. Basta seguir uma sequência simples de ingredientes e devorá-los. Não é preciso sentar à mesa, muito menos usar talheres. Este é o tipo de comida para comer sem regras, de pé na cozinha com os amigos, na sala com sua parceira, enquanto degusta uma bela cerveja, de preferência, mexicana, em homenagem ao prato mais popular do país. Para o cenário ficar completo, derrame algumas gotas de pimenta para esquentar o paladar. Rápido e fácil de preparar, o taco está longe de ser uma comida trash, só por causa de sua praticidade. “Isso é mito. O taco reúne todos os macronutrientes essenciais: carboidratos, proteínas e vegetais. O abacate do guacamole ainda é rico em ômega-3, capaz de prevenir o câncer e o colesterol”, explica Maristela Strufaldi, nutricionista do Instituto Longevità, em São Paulo.

Festa Caliente!

O sucesso de um jantar mexicano está na potência da pimenta. Com a temperatura extrapolando os 40 graus, os muchachos capricham nesse tempero que equilibra o calor do corpo, amenizando os efeitos do sol forte. A tradição do Caribe é a pimenta jalapeño (leia-se ralapenho), que já ganhou fama em toda a América do Norte e vem juntando legiões no Hemisfério Norte. Com uma polpa suculenta, garante destaque na preparação de molhos e conservas. “De formato cônico e cor esverdeada, não é uma pimenta muito ardida – perde feio para outra concorrente mexicana, a habanero (considerada a segunda pimenta mais forte do mundo)”, explica o gastrônomo carioca Paulo Lima, formado pela Universidade de Parma (Itália). Caso não a encontre nos supermercados, pode ser substituída pela dedo-de-moça. “Lembre-se de retirar as sementes antes de prepará-las para amenizar o ardido”, completa Paulo Lima. Outro condimento que marca presença no típico taco mexicano é o coentro, que tem o sabor bastante notável. Mas não há receitas fixas. “Sempre que se leva um prato estrangeiro para outro país, é preciso fazer adaptações. Mas é possível equilibrar os ingredientes, sem perder a autenticidade”, diz Omar Morad, sócio do restaurante Viva México!, em São Paulo, que estuda a cultura e a gastronomia mexicana há 20 anos. Você pode variar com aquilo que tiver na geladeira. “Pode ser a carne assada do almoço, um ovo mexido ou até salsicha. No taco vale tudo. Uma versão de sanduíche mexicano”, revela Gustavo Lopes, chefe do restaurante Tacos Mex & Co.

La Birita!

Comida quente casa bem com cerveja. Mas a combinação com as mexicanas não é à toa: “elas são mais amargas e um pouco mais encorpadas, o que ajusta melhor com o sabor apimentado”, diz Lopes. Outra peculiaridade é aquela rodela de limão no gargalo da sua long neck. Os mexicanos usam o limão como um bactericida para limpar qualquer impureza que esteja no gargalo.