Comida vegana pode não ser tão saudável quanto se imagina

Esse hamburgão da foto pode ser mais calórico e ter mais sódio do que aquele x-tudo do boteco pé-sujo da esquina

(Pixabay/Reprodução)

O senso comum pode ser uma armadilha, e pode causar mais erros do que acerto. Quando se trata de alimentação, nós já trouxemos aqui um exemplo de um senso comum que pode ser nocivo para quem busca alimentação saudável.

Agora o novo mito a ser quebrado é o de que comidas veganas são sempre mais saudáveis. A nutricionista britânica Amanda Ursell visitou restaurantes em Londres em busca de pratos veganos e os comparou com similares que levam produtos de origem animal.

O resultado da pesquisa mostrou que, apesar de levar apenas ingredientes plant based, alguns destes pratos são mais calóricos que seus irmãos carnívoros.

É importante frisar porém, que é possível (e até mais fácil) preparar pratos saudáveis com ingredientes veganos, a questão da pesquisa é justamente criticar essa associação direta, colocando na balança que não é apenas o ingrediente que define o valor nutricional do prato, mas também seu modo de preparo.

Para a análise, a nutricionista visitou estabelecimentos conceituados de Londres. A primeira avaliação foi este macarrão de ragu de lentilha de 610 calorias, mais de 100 calorias a mais que um espaguete a bolonhesa

“Lentilha é um produto com menos calorias do que carnes vermelhas magras, mas é provável que o chef colocou muito óleo e azeite no prato para igualar a lentilha em textura e sabor em relação a carne”, explicou a especialista.

Outro prato analisado foi o Yasai Itame, uma espécie de sopa com noodles asiática, que é febre em Londres. Na versão vegana, o frango é substituído por tofu, o que faz com que a refeição passe de 820 para 842 calorias.

(Wagamama/Divulgação)

De acordo com Ursell, a mudança se dá justamente pela substituição do tofu, que é frito antes de ser colocado no bowl.

Depois foi a vez da análise da pizza vegana da cadeia de restaurantes Pizza Express. A vegan giardiniera pizza, de 825 calorias, não faz frente a uma clássica marguerita, com 729.

Por último foi a vez do bom e velho hambúrguer. Dessa vez, a comparação foi entre a versão vegana e a irmã vegetariana, com vantagem para a segunda, com 113 calorias a menos que a primeira: 598.

Apesar da caloria não ser o única fator a ser levado em consideração na hora de definir o quão saudável é um alimento, é um bom indicativo de seu valor nutricional e como foi realizada a sua preparação.

Questão salgada

(Sean Gallup/Getty Images)

Não são só os pratos veganos que estão na mira dos nutricionista, mas também alimentos que usam ingredientes vegetais para subtituir carne. O alvo em questão é a boa e velha salsicha.

A CASH (Consensus Action on Salt and Health), organização britânica que se define como “um grupo preocupado com os efeitos do sal na saúde”, realizou seu estudo anual sobre as salsichas vendidas no Reino Unido, alimento cujo consumo foi de 175.713 toneladas na região no último ano.

Em um comunicado à imprensa, a organização liberou os resultados de sua “sausage survey 2017”, divulgando uma série de produtos com altos índices de sódio, incluindo produtos que não levam carne.

Uma das citadas na pesquisa por conta do mau resultado foi a Quorn’s 4 Best of British Sausages, uma das mais vendidas do segmento, que apresentou 1,9 g de sal a cada 100 g de salsicha: o que representa 2,2 g de sal a cada duas salsichas.

O resultado é uma quantidade de sal maior do que metade de uma pizza marguerita da Pizza Hut.