Como conservar um vinho depois de aberto

4 dicas importantes para conservar o sabor, teor alcoólico e seu investimento

Vinho

 (Pixabay/Divulgação)

Em algum dado momento da história, quando uma porção de uvas amassadas sofreu uma fermentação acidental, nascia um líquido revolucionário.

Além de ser protagonista de grandes banquetes e roteiros turísticos, o vinho conta com um mercado bilionário e especializado.

Já que de sommeliers e loucos todos temos um pouco, não custa nada pegar umas dicas básicas para cuidar dessa mania tão curiosa e sensorial que vem da experiência de apreciar um bom vinho.

Depois de abrir a garrafa, o que fazer para manter a bebida em sua melhor forma? Mais do que saber escolher na gôndola, conservar o líquido é essencial para não perder o teor alcoólico, o sabor e, claro, seu investimento.

 

 

Gregos e troianos

Taças de vinho branco e tinto

 (Pixabay/Reprodução)

Vinhos exigem cuidados diferentes depois da rolha sacada.

Os brancos, famosos por serem bons acompanhantes de pratos com carnes brancas, costumam – e devem – durar menos depois de abertos.

Após abrir a versão mais clara, ponha na geladeira e consuma em, no máximo, cinco dias.

A solução para os que consomem vários rótulos ao mesmo tempo é colocar alguns acessórios nas gavetas, até para poupar o esforço de devolver a rolha ao buraco de origem.

O vinho tinto é um pouco mais “flexível”.

Se for bem vedado e mantido em um local fresco e sem iluminação, a garrafa pode sim ficar fora da geladeira. Mais: ele costuma preservar boa parte de suas propriedades, com uma vida útil superior a uma semana.

Já que nem todos contam com uma adega climatizada, separar um espaço seco na cozinha ou dispensa é uma boa dica.

 

Tudo cromado

Stooper

 (Pixabay/Reprodução)

A cultura do vinho evolui junto conosco.

Para evitar a empreitada de entuchar os pedaços de cortiça, que muitas vezes não voltam nem com força bruta, surgiu uma tecnologia muito prática.

As tampas de vinho fazem as vezes de rolha e não exigem grande esforço no entra e sai.

Além de garantir que a bebida não oxide e vá para o vinagre, o item aparece em diversos formatos, designs e serve até como decoração.

É ideal para armazenar tanto na geladeira, quanto fora. Claro, respeitando o tempo de cada tipo.

 

Goles high tech

As adegas eletrônicas não são as únicas ferramentas sofisticadas que fazem tudo ficar mais fácil.

Enquanto as tampinhas tradicionais são duras na queda, as versões a vácuo chegam para melhorar a vida dos bon vivants.

Confira como funciona:

 

 

Boa sacada

Rolha

 (Pixabay/Reprodução)

Uma vez que a rolha sair, não jogue fora.

Além de ser um item “colecionável”, a tampa pode sim, em alguns casos, voltar ao bico da garrafa.

Depois de abrir, caso sinta que é possível fechar sem outros acessórios, vá em frente. Principalmente no caso dos vinhos tintos, que ficam bem fora da geladeira.

Também é importante se certificar de que a rolha está bem presa. Em adegas — improvisadas ou não — os vinhos ficam melhor deitados, já que mantê-los em pé pode acabar ressecando a rolha, contribuindo para a “vinagrização” do líquido.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!