Daiquiri é o próximo drinque-sensação do verão

Depois do aperol spritz, negroni, moscow mule e gim-tônica, a receita latina e cheia de frescor é o novo queridinho nos bares do país

(Felipe Gombossy/Reprodução)

Depois do movimento que despertou o interesse brasileiro pela cerveja artesanal, a coquetelaria vem conquistando espaço e, com isso, novos drinques ganham força.

Primeiro foram os hipsters com o negroni, tradicional aperitivo italiano, feito com partes iguais de gim, Campari e vermute tinto. Um dos clássicos da coquetelaria mundial.

O moscow mule é outro lendário, criado nos anos 40, mas que vem enchendo canequinhas acobreadas bares afora. Porém, a moda não é nova.

“Em 2012, no Brasserie des Arts [em São Paulo], chegamos a vender 6 mil deles em um mês. O recorde foi mais de 580 em um dia”, diz Marcelo Serrano, bartender da Companhia de Gastronomia e Cultura (CGC), grupo que engloba os bares Quintana, Veríssimo e Botica, entre outros.

Só foi necessária uma adaptação à brasileira: Serrano finalizava o drinque, ainda em 2009, com espuma de gengibre para suprir a falta de ginger beer no mercado. Isso acabou virando padrão para o serviço em quase todos os bares até hoje.

O coquetel que está no auge da popularidade é o britânico gim-tônica, mas não a receita tradicional com gim, água tônica e uma rodela de limão, servido em copo longo.

O G&T nacional adotou a cultura espanhola de servi-lo em copo balão e “temperado” com especiarias, cítricos e até gim infusionado.

A maior prova do sucesso foi a explosão de marcas de gins brasileiros nos últimos 18 meses, em versões com botânicos nacionais e zimbro.

O novo escolhido

Spencer Amereno, bartender do Frank Bar, em São Paulo, titubeia. “É difícil falar qual vai estourar em consumo, pois as tendências que vimos até agora vieram de outros países. Espero muito que seja algo criado por aqui e com cachaça, de preferência.”

É uma boa aposta, afinal a cachaça está passando por um processo de renovação de identidade. O rabo de galo, coquetel que leva cachaça e vermute, assumiu ares sofisticados, com ingredientes nobres e processos que incluem, inclusive, o envelhecimento em barris de madeira.

Vale ressaltar o gengibre como um ingrediente-chave em muitas cartas de coquetéis, talvez estimulado pelo relativo sucesso do penicillin, coquetel que, além do gengibre, leva dois tipos de uísque.

Um bar que trabalha bastante com esse insumo é o Guilhotina, também de São Paulo, do bartender Márcio Silva.

Ele sim faz uma aposta certeira: o próximo drinque mais consumido será o daiquiri, feito à base de rum. “O coquetel é muito versátil e o destilado tem sabor familiar ao paladar brasileiro, pois é feito de cana-de-açúcar, assim como a cachaça.”

A bartender americana Julie Reiner, que tem uma consultoria de coquetelaria em Nova York, profetizou essa volta do rum desde janeiro, no lançamento do calendário Campari, em Roma.

Tai Barbin, que comanda o bar Nosso, no Rio de Janeiro, é outro grande entusiasta – basta ver sua extensa carta de drinques com o destilado.

Néli Pereira, do Espaço Zebra, em São Paulo, também o coloca entre seus favoritos. “O rum pode ter uma performance similar à trajetória do gim aqui no Brasil.”

Nós não vamos ficar em cima do muro: acreditamos que o daiquiri tem potencial para ganhar muitos fãs brasileiros.

É um drinque que permite grandes variações, pode ser servido gelado em uma taça, on the rocks ou até mesmo frozen.

Além disso, apesar de sua receita ser simples (rum, suco de limão, açúcar e gelo), assim como na caipirinha, a combinação funciona bem com frutas e especiarias.

O fundamental é encontrar o equilíbrio entre acidez, diluição e dulçor. Na próxima visita a seu bar ou restaurante favorito, faça o teste: peça um daiquiri.

Ou faça o seu em casa. Veja duas sugestões de receitas:

Daiquiri nº1 Natural

Daiquiri nº1 Natural

(Divulgação/VIP)

Ingredientes

■ 50 ml de rum
■ 15 ml de suco de limão
■ 10 ml de xarope de açúcar

Preparo

Para fazer um xarope artesanal, deixe ferver por três minutos duas medidas de água com uma de açúcar. Espere esfriar. Na coqueteleira, bata todos os ingredientes com gelo. Coe o líquido para uma taça e sirva.


Daiquiri com manjericão e mel

Daiquiri com manjericão e mel

(Divulgação/VIP)

Ingredientes

■ 75 ml de rum
■ 15 ml de suco de limão
■ 5 ml de mel líquido
■ 3 folhas de manjericão

Preparo

Na coqueteleira, bata todos os ingredientes com gelo. Coe duas vezes para uma taça e sirva.


* Marcelo é publisher do Difford’s Guide Brasil.