Dê vida à sua comida!

Os temperos que ajudam você a comer melhor e ganhar saúde

temperos

Você consegue imaginar um bife sem cebola ou uma pizza sem orégano? Talvez sim… Mas são esses detalhes que fazem de um simples pedaço de carne ou de uma fatia de pizza sem graça uma refeição de lamber os beiços. E esses detalhes – se é que podemos reduzi-los a isso – mudam a cara dos alimentos sem alterar a quantidade de gordura ou acrescentar calorias de forma significativa a eles. Os benefícios não param por aí.

Os temperos trabalham também a favor da sua saúde. Alguns facilitam a digestão enquanto outros ajudam a prevenir o câncer, evitar doenças cardiovasculares e afastar o envelhecimento precoce. Preparamos uma lista com 14 temperos que vão mudar a cara da sua comida. Se preferir, você pode continuar na velha dupla de sal e pimenta…

ALHO

Consumida desde a Antiguidade, esta planta foi sacaneada por alguns povos que a apelidaram de “rosa fétida’’. Mesmo assim é impossível negar o sabor a mais que ela empresta aos pratos. O ideal é combinar com alimentos já fortes, como carne vermelha e molho de tomate. Evite colocá-la em alimentos mais delicados, pois ela anula seu gosto natural. Prefira consumir o alho cru, que preserva sua substância poderosa, a alicina. Ela ajuda a diminuir os níveis do colesterol ruim (LDL), fortalece o sistema imunológico e está associada ao combate de vários tipos de câncer.

CEBOLA

Ela não é uma unanimidade. Mas seu poder é inegável. Rica em açúcar, ajuda a cortar a acidez de alimentos como o tomate, o que a torna perfeita para molhos. Em carnes também vai bem: sua água impede que os bifes ressequem. O tempo de cozimento, no entanto, deve ser rápido para não torná-la amarga. Mas saiba que é durante o processo de cocção que o açúcar é liberado, eliminando o sabor ardido. A cebola também traz vantagens à saúde. Ela protege o coração, dificulta a ação de bactérias e reduz o risco de câncer.

PÁPRICA

Ela nada mais é que pimentão seco e moído. Tem gosto marcante, com um leve toque adocicado. Combina com carnes, batatas e até ovos cozidos. Em excesso, a páprica deixa qualquer prato amargo, alerta Renato Caleffi, chef do Le Manjue Bistrô, em São Paulo. Mas sua grande qualidade é acelerar a queima de gordura. “As versões picantes têm mais capsaicina, que auxilia o corpo nesse processo”, confirma a nutricionista Roseli Rossi, da clínica Equilíbrio Nutricional, em São Paulo.

LOURO

Se você nunca deu importância a essa folha seca, não sabe o que está perdendo. Primeiro porque a delicadeza do louro permite que ele seja usado para temperar qualquer prato, sem que se sobreponha ao sabor do alimento. Segundo porque é bastante aromático, característica importante no sucesso de um prato. Ainda contém ferro e é rico em vitaminas A e E, que têm propriedades antioxidantes. Use para temperar feijão e marinar carnes. Mas retire-o antes de servir, pois é de difícil mastigação.

CANELA

Com seu sabor intenso e inconfundível, ela tem lugar garantido em todas as páginas de um cardápio: de doces a salgados e bebidas. A versão em pau é mais poderosa e deve ser usada no preparo de alimentos quentes. O calor do processo faz com que a substância aldeído cinâmico, responsável pelo sabor e cheiro, seja liberada. Em pó combina com doces à base de leite, café e chá. Uma pitada é capaz de suavizar o gosto do café e até de cortar o sabor residual de adoçantes, afirma a nutricionista Roseli Rossi. E, se sua memória só associa a especiaria a sobremesas, saiba que ela vai bem com carne bovina e de caça – a culinária árabe está aí para provar.

AÇAFRÃO

Esta planta tem mais que a cor amarela para oferecer a seus pratos. Com gosto suave, ela adiciona um toque floral aos alimentos. “De tão delicado pode ser acrescentado até a sobremesas”, sugere Cris Maccarone, chef do Madame Aubergine Atelier Escola de Cozinha, em São Paulo. Os espanhóis são experts na produção de açafrão, então vale gastar mais para comprar o produto importado, que contém mais manganês, potássio e vitaminas C e E. Também melhora a digestão e o humor.

TOMILHO

Considerado uma versão mais suave do orégano tanto no sabor quanto no aroma, o tomilho é uma das poucas ervas que combinam com os três tipos de carne: vermelha, frango e peixe. Ele ressalta o sabor natural desses alimentos e ajuda a salgá-los. Na versão seca, tem sabor bem mais intenso. “Deve ser usado durante o cozimento, assim libera mais de seus benéficos óleos essenciais”, explica a nutricionista Roseli Rossi. Com ele, você também garante vitamina C, boa digestão e uma arma contra radicais livres.

MANJERICÃO E MANJERONA

Estas ervas emprestam frescor e combinam com tudo de que os italianíssimos gostam: massa, molho de tomate, carnes e pizza. Elas também facilitam a digestão de pratos densos e gordurosos. Seu cheiro passa a impressão de que o alimento acabou de ser preparado – até por isso prefira as versões frescas às secas. Vale lembrar que embora tenham nomes parecidos e possam ser usados nos mesmos pratos, manjericão e manjerona são folhas de duas ervas distintas. A primeira tem sabor mais acentuado. Com ação antisséptica e desintoxicante, ambas ajudam o organismo a driblar gripes e atenuar náuseas.

CÚRCUMA

Não confunda este tempero com açafrão. Adorada pelos indianos, a cúrcuma é mais picante e levemente amarga. Funciona bem com alimentos neutros, como lentilha, arroz e batata, pois adiciona sabor. Mas também pode ser usada para temperar outros vegetais e carne de carneiro. “A cúrcuma acelera o metabolismo e ajuda a queimar calorias”, diz Renato Caleffi. Para aumentar seu potencial, misture com pimenta, que tem bastante capsaicina.

ALECRIM

Ele é multifacetado: tempera alimentos e dá aroma a fragrâncias de perfume. Acrescente um ou dois ramos desta erva mediterrânea na carne e em legumes neutros, como as batatas, e garanta um sabor mais sofisticado ao prato. No supermercado você compra a versão seca com facilidade, mas a fresca é mais saborosa. Se encontrá-la, não triture muito para não perder seus óleos aromáticos. Dica: um ramo de alecrim dentro do vidro de azeite realça o sabor.

SÁLVIA

Não estamos falando da sálvia alucinógena, considerada por alguns entendidos em drogas a nova maconha. Mas este tempero certamente vai dar um barato a seus pratos. Uma pequena quantidade já é o suficiente para acrescentar perfume e um toque azedo, porém agradável, a carnes, peixes, molhos e cremes. Também vai bem como chá. Mas não deve ser misturada ao alecrim, que elimina totalmente seu gosto, alerta a chef Cris Maccarone.

ORÉGANO

Esta é a única especiaria recomendada pelos chefs de cozinha apenas na versão seca, pois mantém o gosto mais acentuado. Mesmo assim, antes de juntá-lo à receita, Cris Maccarone sugere esfarelar as folhas para intensificar seu sabor. Vale misturar a molhos de tomate, carnes e pizza. Em molhos de cebola crua, usados para temperar salada, ele quebra a acidez. Mas não exagere na quantidade, pois o orégano é espaçoso e coloca seu sabor acima de todos os outros alimentos. Para a saúde, ele garante uma mistura poderosa de substâncias antioxidantes, que evitam o envelhecimento e protegem o coração.

NOZ-MOSCADA

O adocicado da noz-moscada ajuda a equilibrar pratos pesados, feitos com leite e queijo. O clássico bechamel, popular molho branco, por exemplo, não fica completo sem ela. Doces à base de ovos também agradecem sua participação por aliviar o cheiro forte de gema. Mas não carregue na mão. Uma micropitada já é suficiente. Compre o condimento na forma de semente e não na versão já ralada, que muitas vezes vem misturada a outras substâncias, como fubá e até ferragens, alerta o chef Renato Caleffi.

Curry: o temperão das índias

O curry – em português, caril – não é exatamente um condimento, mas sim uma combinação de especiarias e ervas que pode ser usada para temperar carne, frango, camarão e até legumes. Na Índia, seu país de origem, o curry é encontrado em diversas versões. Mas os ingredientes são os mesmos: pimenta, páprica, coentro, cúrcuma, cravo, canela e gengibre. O que varia é a quantidade de cada tempero na mistura, dosagem que dá o toque mais suave ou mais picante. Os especialistas recomendam curry vermelho (com pimenta vermelha) para carne de carneiro, curry amarelo (com pimenta amarela) para marinados e curry verde (com pimenta verde) para frango e camarão. Mas você pode ousar, claro. Para preparar sua versão caseira, misture os temperos e esmague-os até chegar a uma pasta. A cada prato, você descobre um novo sabor.

Deixe o saleiro de lado

Mantenha a pressão arterial em ordem com esse molho para salada, elaborado pela nutricionista Roseli Rossi. Ele mistura várias ervas e, de tão acentuado, dispensa o uso de sal. Misture hortelã, salsa, orégano e pimenta-do-reino com um pouco de azeite e vinagre. Coloque uns fios sobre as folhas.