Os 10 maiores erros ao comer comida japonesa

Não exagere no shoyu e não se preocupe em fazer barulho ao saborear um bom lámen

(Divulgação/Reprodução)

Para quem imagina que dominar os hashis seja a única técnica precisa para não dar vexame em um restaurante japonês, aqui está nosso alerta: há outros deslizes (bem comuns) que são reprovados pelos nipônicos.

Nossa tarefa é ajudá-lo a aproveitar melhor sua próxima ida ao restaurante e aprender a respeitar a gastronomia deles. Na lista abaixo estão os maiores erros relatados à britânica Independent por chefs japoneses renomados.


Mergulhar niguiri no shoyu

O certo é usar uma espécie de pincel para umedecer o peixe com o molho de soja. Aqui no Brasil, é muito comum embebedar o arroz com o molho. Mark Edwards, chef do Nobu London, diz que o condimento deve ser usado apenas para acrescentar sabor ao prato e pode acabar mascarando gostos se colocado em excesso.


Comer o gengibre junto com o sushi

A especiaria na culinária japonesa serve para limpar seu paladar ao intercalar sushis com diferentes tipos de peixes, e não como um complemento do prato.

O chef Nobu Matsuhisa, do Nobu Shoreditch, explica que “se quiser provar um sushi de salmão depois de comer um de atum, você deve consumir o gengibre para limpar sua boca e assim não confundir os sabores”.

Além disso, saiba que o daikon (nabo) e o shiso não servem apenas para enfeitar o prato. “Devem ser consumidos e ainda ajudam na digestão”, diz o chef e restaurateur Andrew Kojima.


Saborear lámen educadamente

Lámen

(iStock//Os 10 maiores erros ao comer comida japonesa/Reprodução)

Não se preocupe em fazer barulho e também não tente cortar o macarrão do caldo.

“É educado fazer barulho ao saborear o lámen. Isso mostra respeito ao chefe e ajuda a esfriar o macarrão para não queimar sua boca”, ensina Shane Zhao, chef do Issho, de Londres.


Preparar o matcha com água fervente

O chef James Shillcock explica que a água quente demais irá queimar as folhas e dar um gosto amargo à bebida.

Ele também recomenda mexer bem para que não fique nenhum grumo e garantir que seu kit para preparação do chá seja de qualidade.


Exagerar no shoyu

“Utilize somente o necessário”, ensina Zhao. Misturar wasabi e shoyu também não é aconselhável.

Segundo Nobu Matsuhisa, os condimentos fortes irão mascarar os sabores delicados do sushi e, portanto, sua experiência com o prato não será tão agradável como deveria. 


Comer sushi gelado

O arroz preparado na hora precisa estar macio e aquecido, afirma Andrew Kojima. É o calor ajuda a acentuar o sabor do peixo.


Não manusear corretamente os hashis

Posicionar os palitinhos verticalmente enquanto come uma tigela de arroz lembra os japoneses de um costume tradicional em funerais. Shunpei Yamaguchi conta que os hashis são colocados assim em uma tigela com o cereal durante o evento fúnebre.


Tomar sopa de missô com colher

Kojima explica que as sopas japonesas são mais finas, servidas em recipientes menores e podem ser apreciadas sem a necessidade de talheres. Isso mesmo, você pode tomar diretamente da tigela.

Ele também afirma que o dashi, caldo usado como base para a sopa não deve ser congelado para que não perca seu aroma fresco.


Não sirva seu próprio saquê

(GettyImages//Reprodução)

No Japão, é costume servir os outros primeiro, e eles, por sua vez, servem o seu. “Torna a ocasião especial e é mais sociável”, afirma o especialista Ken Ohashi.

Ele menciona também que muitos acreditam que o saquê aquecido tem um sabor acentuado, no entanto, a bebida deve sempre ser servida fria.


Beber saquê com pratos preparados com arroz

Zhao conta que tradicionalistas acreditam que não se deve consumir o saquê com pratos feitos com arroz, uma vez que a bebida é feita com o mesmo cereal e isso confundiria os sabores na boca.