3 riscos conscientes para correr na sua carreira profissional

Se jogar ao acaso. Isso não não significa que você deva abrir mão do controle da situação. Veja os jeitos certos de apostar

Hard Work

 (Pinterest/Reprodução)

Mesmo uma carreira sólida precisa de uma arejada.

Abraçar o risco do mercado é uma forma de fazer isso.

Achar aquele projeto congelado (e fazê-lo para mostrar serviço) ou mesmo encarar novos rumos profissionais pode ser uma boa.

No entanto, qual é o caminho das pedras para fazer isso da melhor forma?

Confira histórias inspiradoras.

 

1. Use sua vantagem comparativa ao seu favor

Advogado

 (Pixabay/Reprodução)

Sarah Feingold foi uma advogada corporativa que adorava expressar seu lado artístico.

Essa paixão a levou a vender jóias para tirar um dinheiro extra.

Apaixonada pela empresa Etsy, uma espécie de rede social para artesãos, ela resolveu enviar algumas sugestões jurídicas à empresa pelo SAC.

Mesmo ignorada, Sarah não desistiu: entrou em contato com o fundador da companhia, apresentou suas propostas e, logo em seguida, marcou um voo para encontrar o empreendedor.

Por conta de sua resiliência e ousadia, a advogada passou quase uma década como conselheira da Etsy, contribuindo para o negócio com seu diferencial: o uso da lei e da criatividade com um só.

 

2. Inove um produto ou serviço

Dinheiro

 (Pixabay/Reprodução)

No final dos anos 70, os Estados Unidos sofriam com taxas de juros altíssimas, afetando os bancos de forma substancial.

Craig Hatkoff — hoje um investidor de sucesso, filantropo e cofundador do Festival de Cinema de Tribeca — na época, era um profissional recém-formado, trabalhando em um banco de varejo.

E já tinha a corda no pescoço.

Para salvar sua pele, usou as raras oportunidades que tinha para mexer no sistema de empréstimo e fundos do banco, de forma a aliviar o passivo da empresa.

As ideias de Craig, hoje vistas como mantras na área financeira, foram essenciais para que aquele risco de perder o emprego virasse uma promoção.

Na época, a inovação não foi uma ideia de 1 milhão de dólares, mas foi um ponto de virada para o banqueiro.

 

3. Procure oportunidade fora do seu domínio

 (Pixabay/Reprodução)

Não é só o diploma que nos define.

Lisa Aumiller é uma veterinária que resolveu oferecer seus serviços via celular — hoje, a receita anual de seu serviço superam os U$ 5 milhões.

Para chegar ao sucesso, ela constantemente saiu de sua zona de conforto.

Contratou profissionais de diferentes ramos: fashion, para a “moda pet”, também oferecida por sua empresa.

Da área química, para a elaboração de cosméticos e remédios antipulga.

E para impulsionar o negócio, mentes criativas da área de marketing.

Ainda que a ideia principal fosse relacionada à sua formação, ela precisou pisar fora da linha.

Mesclar nosso talento e/ou formação com o lado empreendedor pode ser (e deve ser) uma alternativa.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você