6 sinais de que você está viciado em tecnologia

Ficar 24h por dia hiperconectado pode parecer comum na atualidade, mas também revela um lado sombrio da dependência tecnológica

Vicio tecnologico

 (Wikipedia Commons/Reprodução)

Podemos dizer sem medo de errar: é impossível viver sem tecnologia.

Para ler este texto, por exemplo, você precisa estar conectado a um smartphone ou a um computador, que são verdadeiros companheiros de rotina de quase todo ser humano no mundo.

Mas mesmo imersos nesse mundo hiperconectado e cheio de gadgets, precisamos ligar a luz de alerta quando nossos comportamentos começam a depender demais dos aparelhos.

Afinal de contas, não somos robôs (pelo menos por enquanto).

Veja alguns indícios de que você precisa fazer um detox tecnológico:

 

1. Será se vibrou?

celular

 (Pixabay/Reprodução)

Já sentiu um negócio dentro do bolso da calça e logo em seguida foi verificar as notificações do celular mas, para sua surpresa, não encontrou nada?

Fique tranquilo, até agora a ciência não detectou um WhatsApp do além.

O que acontece é uma ação de reflexo do seu corpo, principalmente quando você está à espera de uma mensagem importante.

Por ser uma confusão da cabeça, é um sinal de compulsão por redes sociais, mostrando que não custa nada deixar o celular desligado ou no silencioso durante os momentos fora do trabalho ou quando nada urgente estiver no caminho.

 

2. A ansiedade nossa de cada dia

ansiedade

 (Pixabay/Reprodução)

Se você costuma ter o famigerado “siricutico” quando fica muitas horas (ou até minutos) sem dar aquela olhadinha na tela brilhosa do seu celular, aqui vai uma má notícia.

Ainda que o termo “vício” seja associado a discursos clichês e de senso comum, há de fato uma razão científica por trás da dependência nos aparelhos.

Um dos motivos que explica essa relação vital entre aparelho e ser humano são os constantes estímulos que temos ao receber um like ou ao zerar um joguinho enquanto pegamos o metrô.

Conforme acostumamos nosso cérebro a esses impulsos, criamos uma espécie de abstinência tecnológica, que nos rende ansiedade, inquietação e até níveis de irritabilidade quando as mãos estão longe dos celular.

 

3. Tudo ao mesmo tempo

multitarefa

 (Wikipedia Commons/Reprodução)

Você gosta de assistir ao jornal local enquanto manda o balanço da empresa no celular e olha os resultados da rodada no seu tablet?

Bom, ainda que essas habilidades exijam um nível apurado de coordenação motora, não costuma ser uma prática muito boa a longo prazo.

Além de não fornecer o nível adequado de atenção a cada tarefa, virar um polvo tecnológico gera perda de concentração e, claro, não contribui em nada com seu sossego.

 

4. Oi? Que dia é hoje?

celular casal

 (Pixabay/Reprodução)

Os viciados em tecnologia tendem a perder interesse e aderência ao mundo real (e não é só jogando Second Life).

Terceirizar os problemas da vida e se afundar em redes sociais, games, streaming e até sites de notícia são atitudes que podem te jogar em uma espessa bolha.

Além de priorizar a vida virtual aos compromissos profissionais, familiares e amorosos, mergulhar nesse mundinho dos pixels pode um indício de depressão, segundo estudos. 

 

5. Bronze de luz

luz de celular

 (Wikipedia Commons/Reprodução)

Ao menos que você seja adepto de livros digitais lidos na praia, saiba que o uso extremo dos gadgets também pode fazer mal à parte física.

Para começar, a falta de vitamina D. Nem mesmo o melhor dos aplicativos charlatões ou a saga de um cavaleiro pelo deserto em seu game vai te render os níveis básicos de luz do sol.

Para não ficar com a pele fraca e sem saúde, vale fazer uma visita ao mundo lá de fora (ele existe, ok?).

A sobrecarga de telas e mais telas também podem gerar alterações no sono e no humor, fazendo ser ainda menos tentador dar um pulinho no parque para tomar um ar.

 

6. Reclusão total

Homem triste

 (Pixabay/Reprodução)

O resultado conjunto de ansiedade, crises socais, alterações na rotina e hiperdependência digital cria verdadeiros zumbis.

A somatório desses efeitos, se não for tratada, por literalmente fazer você virar um escravo tecnológico, carecendo de tratamento médico especializado.

Portanto, se você sentir que algo do que foi descrito possa resumir seu dia a dia, é hora de ligar a luz de alerta.

E desligar todo o resto.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você