Adiós, Argentina. Hola, Chile y Perú

Servidas por voos diretos a preços cada vez mais camaradas, Santiago e Lima passaram a competir com Buenos Aires nas viagens de fim de semana do brasileiro — em especial daquele que gosta de pagar menos para comer e beber bem

 (/)

SANTIAGO

capital dos vinhos

Santiago não é um lugar fácil. Em dias de sol e ar limpo, os Andes fazem uma moldura espetacular para a cidade, que tem infraestrutura superior a qualquer metrópole do continente. Por outro lado, a geografia favorece o acúmulo de poluição, e tanta civilização pode ser interpretada também como uma certa falta de charme. No fim das contas, Santiago é cheia de bares e restaurantes excelentes, lojas bacanas e é um paraíso para quem gosta de vinho. Existem por aí vários programas não tão bons quanto passar um fim de semana comendo bem, fazendo compras e bebendo carmenère por um preço decente. Há vários bairros bacanas para se hospedar: escolha entre Providencia, Bellavista, Lastarria, Bellas Artes, Las Condes e Vitacura.

O QUE FAZER

Cerro Santa Lucía
O cume de 629 metros do famoso morro, em pleno centro da cidade, oferece uma vista sem igual dos Andes nos dias limpos. A caminhada que leva ao topo, uma combinação de trilhas e escadarias, é ladeada por jardins, fontes, monumentos e capelas. Se for em casal, passe antes numa loja bacana de comida e apronte o piquenique.

Museo de la Memoria y los Derechos Humanos
Numa visita normal a Santiago, é difícil de acreditar que, num passado não tão distante, uma ditadura cometia todo tipo de atrocidades enquanto governava o país com mão de ferro. Aberto em 2010, o museu traz uma mostra arrepiante sobre os assassinatos, desaparecimentos e outros horrores da era Pinochet.
SITE: museodelamemoria.cl

Casas del Bosque
O malucão neozelandês Grant Phelps é o mestre de cerimônias nesta vinícola a apenas 30 minutos do aeroporto de Santiago, no vale de Casablanca. Os passeios guiados, com vinho incluído, custam a partir de R$ 46. O restaurante é uma atração à parte. O chef Álvaro Larraguibel prepara harmonizações impecáveis como o Pinot Noir Gran Reserva com magret de pato, ragu de abóbora e redução de vinho tinto. O menu-degustação de cinco etapas sai por R$ 173.
SITE: casasdelbosque.cl

 (/)

 

ONDE FICAR

Noi Vitacura
Noi, uma rede famosa por hotéis espetaculares em lugares remotos como a Patagônia, o Deserto do Atacama e a Ilha de Páscoa, faz sua primeira incursão urbana na rua de compras mais descolada de Santiago. Veja o mundo lá embaixo enquanto toma os coquetéis mais criativos da cidade no bar da cobertura.
SITE: noivitacura.cl
QUANTO: a partir de R$ 734

The Aubrey
Provavelmente o hotel mais bacana de Santiago, ocupa um casarão espanhol completamente restaurado e a casa art déco adjacente. Foi o primeiro hotel-butique da cidade. O piano-bar merece uma visita mesmo que você esteja hospedado em outro lugar.
SITE: theaubrey.com
QUANTO: a partir de R$ 441

Hotel del Patio

Você não vai abrir mão do estilo nesse hotel com apenas dez quartos, dentro de uma casa do século 19 em Bellavista. O pátio, como o nome leva a deduzir, é muito agradável. Uma vantagem adicional é o fato de você estar a poucos passos da melhor vida noturna de Santiago. SITE: hoteldelpatio.cl QUANTO: a partir de R$ 207


ONDE COMER
Mestizo 
Neste restaurante de arquitetura futurista e premiada, o visual – ele fica dentro de um dos principais parques da cidade, o Bicentenario – é tão importante quanto a comida. O menu, por sinal, é chileno contemporâneo, o que significa pratos como o mero em crosta de jamón serrano.
SITE: mestizorestaurant.cl

Liguria
Atulhado de antiguidades e outros badulaques, o salão dessa instituição santiaguina recebe uma freguesia de alternativos, jornalistas e intelectuais. A base do cardápio são os pratos da comida caseira ítalo-chilena, como as machas à la parmesana – molusco do pacífico gratinado com queijo. A carta de vinhos rouba o show.
SITE: liguria.cl

Hosteria Doña Tina
Se a sua intenção é experimentar algo tradicional com preços razoáveis, aqui é o lugar ideal. Alguns clássicos: pastel de
choclo (tipo de torta madalena com milho verde), caldillo de congrio (caldo de peixe) e, claro, empanadas. O potente pisco sour deixa tudo isso bem mais divertido.
SITE: donatina.cl

 (/)

 

ONDE BEBER E DANÇAR

Red 2 One
O hotel W de Santiago é ponto de celebridades, hipsters e astros de rock desde a inauguração, em 2009.
Aberto de setembro a abril, este bar na cobertura dá vista para a cidade, para os Andes e, principalmente, para a piscina. É um mostruário da gente rica e bonita da capital chilena.
SITE: starwoodhotels.com

Centro de Degustación Concha y Toro
A filial urbana da vinícola Concha y Toro é uma opção para quem quer degustar alguns vinhos, mas não tem tempo para sair de Santiago. Não tem o charme da visita a um vinhedo no interior, mas os vinhos são bons e a localização é conveniente.
SITE: vinoscyt.com

Bar the Clinic
Outro covil de roqueiros bêbados – onde você encontra sósias de Morrisey e hipsters diversos. Possivelmente
é o único bar do mundo que tem uma revista de sátira política (theclinic.cl)…ou seria o inverso?
ONDE: Monjitas, 578,
Bellas Artes

 

 (/)

LIMA

capital da boa comida

À primeira vista, Lima passa longe de ser uma ci­dade agradável. Um olhar mais atento des­cobre aos poucos os encantos da “cidade dos reis”, fundada no árido litoral peruano em 1535. Aqui a arquitetura colonial espanhola aparece em abundância, às vezes misturada com ruínas dos incas ou de povos ainda mais antigos. Mas o verdadeiro lance em Lima é a comida. Miraflores concentra os restaurantes descolados: o peixe do seu ceviche veio direto do Oceano Pacífico, logo ali. Lá também é o melhor lugar para se hospedar – outra opção é o bairro de San Isidro, onde moram os ricos e famosos locais.

O QUE FAZER

Museo Larco
O único museu imperdível de Lima abriga uma coleção de cerâmica da era pré-colombiana. Os vasos ilustram os hábitos
da antiga civilização peruana – espere ver sexo explícito e sacrifícios humanos.
SITE: museolarco.org

Peru Fly
Sobrevoe de parapente a costa de Miraflores, com um penhasco que despenca sobre o Pacífico. Os voos são duplos
(com instrutor) e saem todo dia do Parque del Amor, entre 10h e 18h, por cerca de R$ 100.
SITE: perufly.com

Huaca PucLlana
No meio de Miraflores, essa pirâmide de adobe com 25 metros de altura era um importante templo da civilização Lima, que ocupou a costa do Peru no primeiro milênio da era cristã. Faça o passeio guiado durante o dia e volte à noite para o restaurante do complexo arqueológico, onde sua comida típica será servida com vista para um santuário de
1600 anos todo iluminado.
ONDE: Borgoño & Tarapacá, Miraflores

 (/)

ONDE FICAR

Hostal El Patio
Vale cada centavo: um pátio ensolarado – eis o porquê do nome! – dá a impressão de tranquilidade numa área urbana. A decoração é agradável, sem excesso de estátuas incas e folclorismos do tipo.
SITE: hostalelpatio.net
QUANTO: a partir de R$ 108

Duo Hotel Boutique
Hospedagem de charme é algo difícil de se achar em Lima. Já é grande coisa a existência desse hotel-butique com 20 quartos e design moderno em San Isidro, lar da elite limenha. SITE: duohotelperu.com QUANTO: a partir de R$ 275

Inka Frog
Essa pousada em Miraflores tem decoração discreta com elementos andinos e é muito procurada por turistas estrangeiros. Confortos como TV a cabo e cofres colocam o Inka Frog acima da média das hospedagens nessa faixa de preço.
SITE: inkafrog.com
QUANTO: a partir de R$ 90

 (/)

Astrid y Gastón
Para provar cozinha novoandina – uma abordagem moderna da culinária peruana –, vá direto ao restaurante gastronômico de Gastón Acurio, o chef mais famoso do país, dono também do La Mar. Espere criações fusion como o
cuy (porquinho-da-índia, muito popular no Peru) à moda chinesa. O menu-degustação de 11 pratos sai pelo equivalente a R$ 160. SITE: astridygaston.com

Pescados Capitales
O La Mar, escolha de quase todo turista, é caro e também existe em São Paulo. Prefira essa outra cevicheria, onde o ceviche capital (linguado, atum e salmão com três cebolas e creme de três pimentas) é, só para rimar, excepcional.
SITE: pescadoscapitales.com

El Verídico de Fidel
Alternativa bem mais humilde, numa região pouco amistosa do centro (vá de táxi), é o tipo de lugar que os verdadeiros caçadores de tesouros gastronômicos não medem esforços para garimpar. O leche de tigre – caldo ácido do ceviche, bebido como refresco – é lendário. Vá no almoço, uma vez que os peruanos não comem ceviche no jantar.
SITE: elveridicodefidel.com

 (/)

Aura
No Shopping Larcomar, onde os ricos locais fazem compras, segue a toada das baladas do momento
no mundo todo: se o porteiro achar que você não é cool o bastante, você não entra. Aí migre para o Gotica, dentro do mesmo shopping. SITE: aura.com.pe

Ayahuasca
Funciona numa mansão restaurada de 1860, que logo enche com as mulheres mais bonitas da cidade. Os coquetéis são excelentes e a decoração, surreal. SITE: ayahuascabar.com

Juanito’s
Boteco clássico, aberto 365 dias por ano há 75 anos – menos na Copa do Mundo, que os donos sempre fazem questão de assistir in loco a cada quatro anos. O drinque que mais sai é o chilcano de pisco: pisco, ginger ale e suco de limão.
ONDE: Av. Grau, 274, Barranco

Para quem fica:
os sabores do Chile e do Peru

Três vinhos chilenos

Coyam
A vinícola Emiliana, no Vale de Colchagua, é famosa por seus vinhos de uvas orgânicas. O Coyam, um dos tops de linha, leva algumas variedades tintas: syrah, carménère, merlot, cabernet sauvignon, mourvedre e petit verdot.
R$ 105, em imigrantesbebidas.com.br

 

Gran Reserva Sauvignon Blanc
Um dos melhores brancos da vinícola Casas del Bosque. As uvas são plantadas no Vale de Casablanca, numa área fria próxima ao oceano – isso é ótimo para a sauvignon blanc. Beba como aperitivo ou acompanhando frutos do mar.
R$ 45, em lojadebebidas.com.br

 

EQ Syrah
A Viña Matetic é adepta da agricultura biodinâmica – livre de produtos tóxicos e com alguns rituais sem comprovação científica, mas que denotam um grande cuidado do produtor. O syrah do Vale do Rosario é uma das estrelas da vinícola.
R$ 140, em grandcru.com.br

 

Um pisco peruano

Ocucaje Acholado
Pisco é um destilado de uvas semelhante ao conhaque – só que não passa por madeira, por isso é branco. No Peru, se usam diversos tipos de uva em sua fabricação: quebranta, itália, moscatel,
mollar… A palavra acholado significa que há uma mistura de uvas.
R$ 94,80, em baccos.com.br

 

Um restaurante peruano

Wanchako
Um dos melhores restaurantes peruanos do Brasil fica em Maceió, onde não falta peixe fresco para fazer ceviche.
Para comprar outros ingredientes, como os ajíes (pimentas típicas), a chef Simone Bert faz duas viagens ao ano para o Peru. SITE: wanchako.com.br

 

Matéria publicada na Revista VIP de junho de 2012.