Afinal, do que são capazes os potentes notebooks gamers? Testamos o Alienware 15; veja nossas impressões

Conheça a nova cara do entretenimento e as principais diferenças entre um PC gamer e um console da nova geração

Por cerca de duas semanas, testamos o notebook Alienware 15, da Dell, e jogamos The Witcher 3: Wild Hunt “do jeito certo”. Junto às configurações suportadas pela máquina, o game foi optimizado (em questão de definição da tela — Full HD de 15,6″) e a GTX 980M (placa de vídeo, da NVIDIA) fez um excelente trabalho, sem queda de frames por segundo, rodando tudo no máximo na melhor resolução.

Pela primeira vez foi possível sentir a diferença entre um bom hardware (e uma boa plataforma em geral) e um console da atual geração, como o PlayStation 4. Enquanto alguns jogos são feitos exclusivamente para rodar no PC, outros acabam sendo lançados em múltiplas plataformas, e a diferença entre os sistemas fica mais evidente. 

Se você, querido leitor, curte jogar videogame, provavelmente conhece a espetacular série Crysis, trilogia que teve início em 2007 com o lançamento do jogo homônimo. Logo, não pude deixar de testá-lo na poderosa máquina — e o resultado surpreendeu. Ao ajustar as configurações dentro do game para o modo “ultra” (ou seja, tudo no máximo) e optimiza-lo por meio do software incluso no aparelho, notei um leve esforço para rodá-lo, mas a queda de frames não fez diferença no jogo em si.

  (Créditos: Divulgação)

(Créditos: Divulgação) (/)

O curioso é que, assim como outros produtos da linha Alienware, o notebook possui 10 “zonas de iluminação” que podem ser configuradas para acender em cores de sua preferência (ou uma combinação de luzes pré-programada) e ainda ajudar na imersão. Por exemplo, ao ser ferido em um jogo de tiro em primeira pessoa aparecerá a luz vermelha. O teclado também é iluminado — e configurável —, bem como o touchpad.

Junto a um “amplificador gráfico” (ou seja, um drive/dock que pode ser adquirido à parte) você pode conectar uma placa de vídeo mais avançada (como a GTX 1080) e plugar o computador a um monitor externo. Outra opção é conectá-lo via HDMI 2.0 a uma tela maior. Por meio dos programas do Command Center 4.0, é possível configurar os modos de economia da bateria. Você escolhe se quer mais bateria e gráficos medianos ou gráficos no modo “ultra” e menos bateria. É simples: ao ligar o cabo de alimentação (força), a qualidade melhora instantaneamente.

VEJA TAMBÉM:

No site do produto você pode escolher quais opções de hardware prefere: o preço vai de R$7,999 no modelo com a placa GeForce GTX 965M8GB de memória, tela Full HD e processador Intel Core i5 ao modelo mais caro, de R$16,878, com a placa GeForce GTX 980M32GB de memória, tela Ultra HD 4Kprocessador Intel Core i7 — ou seja, uma das melhores configurações do mercado.

Não podemos negar: existem notebooks mais em conta com uma GPU similar (ou até melhor). Contudo, a relação custo-benefício é uma das melhores do mercado, principalmente em relação ao peso, performance e qualidade do hardware e materiais externos (3kg, cor “prata épico”).