Como saber se acham você atraente só pelo tom da sua voz

Nossa entonação pode se transformar em um verdadeiro detector de atração

Pessoas conversando

 (Pexels/Reprodução)

O papel da voz humana nos relacionamentos exige uma verdadeira aula de história.

Para entender como e por que usamos nossos dotes de fala em questões interpessoais, é preciso ir além de nossos tempos de civilização.

Primeiro, vamos às diferenças físicas entre os gêneros. Historicamente, mulheres costumam ter um tom mais alto ou agudo. Os homens, por outro lado, são mais conhecidos por uma voz mais grave.

Essas características acentuadas entre os dois foram fundamentais para a evolução da espécie. E como progresso biológico e flertes têm tudo a ver, os sons que saem da boca são elementos importantes para apontar os sinais.

Pense em um Tinder pré-histórico.

Após conseguir sinal de wi-fi a muito custo, você encontrou o par da vez e marcou um encontro em uma caverna descolada.

Ao chegar lá, deu de cara com um parceiro atraente, com o porte físico ideal e uma clava de madeira bem cuidada. Restava começar o papo.

Nos primórdios da raça humana, a cartilha já estava bem definida. Homens deviam usar tons mais baixos para, em uma tacada só, atrair mulheres e continuar esbanjando uma vantagem física diante dos concorrentes.

Já as mulheres aumentavam suas chances de um match com uma voz mais “ardida”, o que remetia aos traços de feminilidade.

 (Youtube/Reprodução)

O estudo que comprova a trama dos casos longínquos é do setor de psicologia da Universidade Estadual de Nova York.

A pesquisa começou a dar a trilha de como usamos nossa voz em momentos, digamos, recheados de hormônios.

Durante o período fértil, mulheres podem modificar a sonoridade instintivamente para excitar o parceiro. Homens costumam alterar o tom quando o ambiente de sedução é comprometido, respondendo um vozeirão.

Com isso, já é possível traçar diagnósticos e detectar o quanto de atração existe em uma conversa. Vozes cheias de textura, acompanhadas de muitos movimentos de face podem não esconder o interesse.

Outro motivo que ajuda a identificar “de ouvido” o feeling da coisa é a convergência fonética, termo traduzido direto do inglês.

Esse comportamento é resumido pela tendência de igualar entonações, trejeitos e até palavras usadas por alguém com quem conversamos muito.

Mesmo sendo um fenômeno mais popular entre casais ou pessoas com muito tempo de convívio, uma simples conversa inédita de meia hora pode igualar as falas. E aí que entra outro dado importante.

Artigos relacionados ao tema afirmam que temos o hábito de imitar as vozes de pessoas que nos atraem. Ainda que notar isso não seja tão fácil.

Que tal fazer o teste logo no próximo encontro? Nem mentiras, nem verdades: a voz pode ser um verdadeiro detector de atração

Newsletter Conteúdo exclusivo para você