Encontros demais podem prejudicar sua vida amorosa, diz estudo

Atirar para todos os lados nem sempre é a melhor estratégia para achar a pessoa certa

primeiro encontro

 (Reprodução/Divulgação)

Achar o amor da sua vida talvez seja umas das tarefas mais difíceis.

Ainda que muitas pessoas aproveitem bem a vida de solteiro, podemos dizer que todo mundo quer, um dia, encontrar a cola para o seu rejunte. E isso pode demorar bastante.

Na busca pela pessoa certa, que nos fará acordar com esperança de um mundo melhor e cheio de sentimentos inexplicáveis, vasculhamos várias opções.

E as frustrações, ainda que não planejadas, acontecem.

Mas o que fazer quando não temos em mãos uma bola de cristal precisa, quando faltam detalhes ao tarô ou quando aquela pessoa simplesmente custa a dar as caras?

A resposta nunca é exata.

Mas de acordo com a ciência, ao contrário do que pensávamos, testar vários mapas talvez não o faça chegar ao tesouro.

James Preece, coaching de relacionamentos, explica que o crescimento de aplicativos de encontros gerou uma tendência afoita nas pessoas.

Na ânsia de achar alguém cada vez mais próximo do ideal, “pensamos muito mais nos momentos próximos do que nos futuros”, diz.

E pode ser um futuro de eterna procura.

 

Seja você mesmo

Outro ponto negativo do “overdating” (termo em inglês para quem sai com pessoas demais), é que o excesso de primeiras vezes pode gerar uma pessoa pouco autêntica.

A psicóloga especializada em vida amorosa Madelaine Mason concorda.

Segundo a especialista, é mais provável que você supra suas ansiedades por buscar alguém que ainda não está ali do que realmente aproveite um jantar bacana e de forma casual.

“Essa estratégia [de exagerar no número de pretendentes] distancia você da pessoa que você realmente deseja, além de fazer a outra pessoa perder o tempo dela”, aponta.

Nada pior do que uma situação desconfortável.

Gif encontro

 (Tumblr/Reprodução)

O jeito apressado é uma característica das novas gerações jovens, mas não é exclusividade delas.

Millenials ou não, todos temos o pensamento de que o prêmio deve sempre vir no próximo bilhete. E isso só atrasa seu projeto de vida a dois.

 

Os números do jogo

jogo da velha coração

 (Reprodução/Divulgação)

O amor não é uma ciência exata, mas a matemática ajuda – e muito – em nossa saga até a pessoa certa.

A pesquisadora Hanna Fry revela que, pelas estatísticas, deveríamos dizer não a quase 40% das pessoas com quem nos relacionamos, só para aumentar as chances de acertar em cheio.

Já que por isso em prática é impossível, colocar números altos na sua lista pode gerar um efeito contrário ao de “estou chegando lá”.

Com o passar das falhas, até mesmo sua autoestima pode ser afetada.

Pense só: a cada paixão que for pelo ralo, seu cérebro pode associar que a culpa, na verdade é sua.

Uma vez que nos convencemos de ser a pedra no sapato, a coisa pode degringolar, como uma bola de neve.

Encontros falhos te deixam mais ansioso, o que te deixa menos paciente a cada date e assim por diante.

Por isso, pense bem antes de sair por aí jogando o anzol para qualquer peixe.

A isca pode acabar, a vara quebrar e você perde a chance de fazer sua última e grande pesca da vida.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você