Ganhe todos em volta dela

A melhor amiga

O RISCO: para ela, você é um canalha, como foram todos os caras que o antecederam. “Ela tem um instinto de proteção sobre a amiga, quer defendê-la de possíveis decepções”, diz a psicóloga Jussania Oliveira, autora de Relacionamento, Sexo e Ejaculação.

COMO AGIR: mostre o que você tem de melhor. Mas não finja: as mulheres têm um dom quase sobrenatural para notar isso. Seja simpático, mesmo se ela for resistente. “Saiba ouvila. Mulheres têm necessidade de falar e homens, pouca vontade de ouvir. Mas dar atenção a ela vai te dar pontos”, conta Jussania.

A mãe

O RISCO: é a sogra. Precisa dizer mais?

COMO AGIR: seja delicado com ela, apareça sempre. “Mostre-se presente, mas não seja puxa-saco. Não tem nada mais fora de moda do que isso”, diz a antropóloga Mirian Goldenberg, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro. “O pior que pode acontecer é fingir ser algo que não é.” Por isso, se você está mesmo a fim da filha dela, mostre que não tem medo de
compromisso. E também que sua situação financeira está ok – a sogrona vai sentir firmeza.

O cachorro

O RISCO: você não tolera aquele monte de pêlos malcheirosos. Mas as mulheres que têm cão o vêem como o próprio filho. “Não é só você que tem de gostar dele. O bicho também tem de ir com a sua cara”, diz Alexandre Rossi, veterinário especialista em comportamento.

COMO AGIR: é simples. Suborne o bichinho. “Sempre que chegar na casa dela, dê um petisco para o cão. Um ossinho, um biscoito… Ele vai associar você a coisas boas, vai gostar da aproximação”, diz Alexandre.

O ex-namorado-atual-amiguinho

O RISCO: ele tem medo de ser esquecido definitivamente agora que você apareceu e vai te encarar como um rival em potencial.

COMO AGIR: homens são competitivos. “Se ficar tentando mostrar que é melhor que ele, ela vai achar que você está com ciúme e é inseguro”, diz Jussania. Tente achar coisas em comum entre vocês (fora ela, claro. Pode ser o time de futebol). “Peça a opinião dele. Ele vai se sentir importante e pode virar um aliado.”

O amigo gay

O RISCO: ela ama esse cara. Ele é sensível, a escuta, tem dicas de baladas e de moda incríveis. E ele percebe quando ela corta o cabelo.

COMO AGIR: antes de qualquer coisa, fuja do estereótipo. “Nem sempre o amigo gay é bonzinho, frágil, fofoqueiro e ingênuo”, diz o escritor Fabrício Viana, autor de O Armário. Se você for bonito, ponto pra você. Se a beleza não é seu forte, seja simpático. E se ele te der uma cantada? “Não se desespere nem banque o machão. Diga apenas que não é sua praia.”