Limite para vida humana é estabelecido em novo estudo

Expectativa de vida aumentou nos últimos 30 anos, mas a idade máxima atingida pelos mais velhos não mudou

idade teto holanda

 (Pixabay/Fonte padrão)

De acordo com o estudo recém-publicado pela Universidade Tilburg, na Holanda, a idade máxima que alguém pode atingir foi estabelecida para 115 anos e 8 meses para mulheres e 114 anos e um mês para homens.

Como informa a equipe de John Einmahl, professor no Departamento de Econometria da universidade, foram analisadas informações de 75 mil holandeses que morreram entre o final dos anos 1980 e 2017.

Em uma declaração de Einmahl a uma agência de notícias francesa, “em média, as pessoas vivem mais [a expectativa de vida aumentou], mas o limite de idade dos mais velhos entre nós não mudou nos últimos trinta anos”.

O antigo teto pode até ter mudado, principalmente ao levar em consideração que o número de holandeses que completam 95 anos quase triplicou. Porém, apesar de a média mundial estar em 71 anos (de acordo com análises de 2015), mesmo com melhor nutrição, avanços tecnológicos na medicina e melhores condições de vida, acredita-se que não podemos envelhecer além deste limite estabelecido.

Os holandeses tiveram essa ideia logo após pesquisas americanas, feitas ano passado, mostrarem um teto similar, mas com uma diferença: o estudo americano afirmou que, de 1995 para 2016, a idade limite havia até abaixado – fato contestado posteriormente por outros cientistas.

A estatística criada foi nomeada de Extreme Value Theory, ou Teoria de Valores Extremos, que mede dados de ocorrências como a expectativa de vida local e potenciais desastres.

O limite calculado valeria para a maior parte da população mundial, mas com algumas exceções: até hoje, já foram documentados 17 casos de pessoas que passaram dos 115 anos de idade.