@MelaniaTrump, a futura primeira-dama

Da coluna da Vilma Gryzinski, no site da Veja: “’Viram só o jeito que ela anda? Andar de passarela. Meu Deus, como é bom.’ O microfone estava aberto e Chris Matthews, um jornalista loiríssimo e desbocado, como uma espécie de Donald Trump dos canais de notícias, revelou não só seus sentimentos como os de muitos […]

Da coluna da Vilma Gryzinski, no site da Veja:

“’Viram só o jeito que ela anda? Andar de passarela. Meu Deus, como é bom.’ O microfone estava aberto e Chris Matthews, um jornalista loiríssimo e desbocado, como uma espécie de Donald Trump dos canais de notícias, revelou não só seus sentimentos como os de muitos espectadores masculinos. Melania Trump, deslizando num vestido branco que deveria evocar Jacqueline Kennedy, a mulher mais elegante da história recente, mas lembrava mais o que ela foi – modelo treinada na arte de andar provocantemente –, estava de derrubar a internet no discurso em que o marido celebrou, com inesperada e esperta magnanimidade, sua posição como candidato a presidente pelo Partido Republicano.

A beleza de Melania, com seus inacreditáveis 46 anos, é mais um problema dos muitos que Trump enfrenta. Mulheres bonitas, como a filha e as noras de Trump, todas loiras, altas e de seios grandes, são um trunfo para qualquer candidato. Mulheres deslumbrantes como Melania, ex-modelo nascida na Eslovenia, atrapalham. Ainda mais um candidato que enfrenta rejeição na casa de quase 70% entre o eleitorado feminino, que preferiria um candidato mais conservador e religioso, no caso das republicanas; um sujeito boa praça como Bernie Sanders ou uma mulher que agora só anda de casacos compridos, para disfarçar os quadris, como Hillary Clinton, no caso das democratas.”

m2

Para saber mais, leia este perfil no The New York Times e siga a @MelaniaTrump no twitter para entender o verdadeiro significado do que se convencionou chamar ostenção.

m4

m3

h