Por que a ideia de ser pai pode prejudicar o desejo sexual

A ciência do sexo desvendou por que a paternidade pode ser um drama para os homens -- nem sempre com um final feliz

Homem triste

 (Pixabay/Reprodução)

Pensar sobre o futuro é inevitável.

Por mais realistas que sejamos, é difícil afirmar que negaríamos uma olhadinha na bola de cristal só para saber sobre nossa carreira, vida amorosa e, também, se um dia daremos sequência à nossa linhagem.

Mesmo para os que não são pais de primeira viagem, a ideia de por um pequeno indivíduo no mundo pode trazer preocupações que vão além da superproteção, dos gastos e das noites mal dormidas.

Com a intenção do casal de tentar engravidar, é esperado que o desejo sexual do homem esteja no pico, certo? Errado.

De acordo com um estudo publicado no Boletim da Medicina Sexual e desenvolvido pela Universidade Sapienza de Roma, planejar um bebê está entre os fatores que mais diminuem o tesão masculino, por diversas razões.

A paranoia durante a concepção (da ideia e da criança) é tão grande que, no ato, a ereção duradoura é comprometida, influenciando justamente na fecundação.

Problema nos bastidores

Mas como a maioria dos problemas entre lençóis, a queda do desejo que precede o sonho da paternidade vem do cérebro.

Fillipo Nimbi, pesquisador de Sapienza e integrante do Instituto Sexual Clínico, conta que várias motivos acabam compondo o farol baixo durante as transas.

O primeiro deles se vê na prática. Quando as relações sexuais miram em gerar um novo ser, outros aspectos, como o prazer e o desejo, ficam em segundo plano.

O sexo fica mais processual e objetivo, fazendo com que quaisquer falhas gerem dúvidas quanto à fertilidade de um dos membros do casal.

Além da mecanização da coisa, entra outro ponto inconsciente que preocupa os homem: a possível perda da individualidade sexual.

Pai e filho

 (Pixabay/Reprodução)

Nimbi explica que, na cultura ocidental, a identidade sexual para o homem é tão ou mais importante do que a própria paternidade.

E qualquer ameaça pode ser impactante.

A partir dos estudos desenvolvidos, é até possível entender que o drama antes da vinda da cegonha é totalmente psicológico.

Mas os reflexos físicos, como o ciclo de impotência e pouca libido, entram no pacote.

Nimbi encerra dizendo que, em termos de evolução da espécie, o fato é inusitado. E só mostra que não há limites para a “complexidade da sexualidade masculina”, encerra.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!