Saber beber e fazer bom churrasco são artes que você deve dominar

Confira as dicas de especialistas para saber apreciar todo tipo de bebida, escapar da ressaca e curtir o feriado como se deve!

churrasco amigos

 (Shutterstock/Reprodução)

Carnaval tem tudo a ver com bebida, mas só manda bem quem sabe beber. E a velha e boa arte de saber beber tem tudo a ver com muita coisa – não é só tomar sem cair, sabe?

Para curtir o feriado de um jeito bem VIP o ideal é conhecer o seu drinque: como armazenar, quando beber e, claro, evitar a ressaca no dia seguinte (não se esqueça que são quatro dias de folia).

Neste guia, explicamos de maneira bem fácil como aproveitar ao máximo.

E como drinques e carnaval também têm tudo a ver com verão, e verão tem tudo a ver com churrasco, você também encontra uma cartilha para mandar bem como o churrasqueiro oficial do seu grupo.


Breja na palma da mão: Os melhores apps sobre a bebida

 Hora de virar um mestre cervejeiro (Getty Images)

Hora de virar um mestre cervejeiro (Getty Images) (/)

Algumas coisas mudam com o tempo. Outras são para sempre. Beber cerveja é um costume secular e nenhum avanço tecnológico ou mudança social vai mudar isso – ainda mais no Carnaval.

Só que saber apreciar uma cerveja se tornou algo mais palpável para qualquer pessoa com a popularização dos smartphones.

Com apenas alguns cliques, dá para aprender mais sobre a loira gelada que não vai sair do seu lado neste feriado.

Rito de passagem

 

 

Untappd (em inglês) Rede social que reúne avaliações de bares e cervejas do mundo inteiro. Se não quiser beber sozinho, pode ativar a geolocalização do celular e o app mostra outros usuários que estão na área. (Gratuito)

Today’s Beer (em inglês) Como o nome sugere, todo dia o app apresenta uma cerveja diferente para o usuário. Dá para visualizar a garrafa em 360 graus e ele ainda informa o país de origem e o teor alcoólico. Um bom começo para iniciantes. (Gratuito)

BeerSpec (em inglês) Quando conectado ao Untappd, dá para scanear o código de barras da cerveja e obter detalhes da marca, além de criar uma lista de prediletas, que pode ser compartilhada. (Gratuito)

Para iniciados

 

 

BJCP Droid (em português) Com base no BJCP (Beer Judge Certification Program), o app serve de guia para a produção de cerveja, separado por tipos e resenhas sobre sabor, aroma, aparência e impressões gerais. (Gratuito)

Beer Citizen (em inglês) Misto de rede social com banco de resenhas, dá para você listar e avaliar as cervejas que bebe, compartilhar com outros usuários e trocar informações e impressões a respeito delas. (Gratuito)

 RateBeer (em inglês) Outro bom banco de análises de cervejeiros. Ao reunir as opiniões dos usuários, o app lista as 50 marcas mais bem avaliadas de cada país e monta um ranking global. (Gratuito)


Como armazenar suas bebidas de forma correta

Não é só porque é carnaval que tem que beber qualquer coisa que estiver na prateleira do mercado. Muitas vezes, é legal fazer uma farra com o pessoal e apresentar algum rótulo mais refinado.

O problema, como já dizia Tio Ben, é que “grandes poderes trazem grandes responsabilidades”, e aquele seu uísque com idade para dirigir – e preço de três dígitos – irá para o brejo sem os cuidados certos.

Para garantir que você aproveite ao máximo tudo que o mundo etílico tem a oferecer de melhor, falamos com o mixologista Spencer Jr, que comanda o bar Frank, do Maksoud Plaza, e com Lucas Cordeiro, sommelier do e-commerce Wine.

DESTILADOS (UÍSQUE, VODCA, TEQUILA, RUM, CACHAÇA E GIN)

* Quanto tempo a garrafa resiste fechada:
Em tese, a validade de um destilado é indeterminada, mas, depois de mais ou menos vinte anos, a bebida irá perder características marcantes.

* Em quanto tempo consumir depois de aberta:
Em até oito meses – época em que começa a sofrer oxidação e evaporação. Quem não é especialista, porém, só começa a perceber tais mudanças depois de dois anos, mais ou menos.

Ou seja, rola guardar numa boa uma garrafa para mais de um carnaval, combinado?

* Como prolongar a vida útil:
Deixar longe da luz do sol e preservar a garrafa em lugares com pouca umidade.


SAQUÊ

* Quanto tempo a garrafa resiste fechada:
De dois a três anos.

* Em quanto tempo consumir depois de aberta:
Em até um mês.

* Como prolongar a vida útil:
Deixando na geladeira. Se o saquê for ‘premium’ e você demorar mais de um mês para o consumo, separe pequenas garrafas e divida a bebida entre elas, deixando assim menos espaço para a o oxigênio.


VERMUTE

* Quanto tempo a garrafa resiste fechada:
Não tem um período definido, mas pode durar muito tempo, já que se trata de uma espécie de vinho fortificado.

* Em quanto tempo consumir depois de aberta:
Em até um mês.

* Como prolongar a vida útil:
Deixando na geladeira – e, assim como o saquê, vale a pena separar em pequenas garrafas para diminuir o risco de oxidação. O inimigo da bebida é o oxigênio.


CHAMPANHE

* Quanto tempo a garrafa resiste fechada:
Nesse caso, vale a pena seguir a recomendação de cada rótulo.

* Em quanto tempo consumir depois de aberta:
Entre duas e três horas.


LICORES

* Quanto tempo a garrafa resiste fechada:
Também vale a pena seguir a recomendação de cada rótulo.

* Em quanto tempo consumir depois de aberta:
Aqueles com alto teor alcoólico duram mais tempo depois de abertos (dois a três anos), enquanto licores de menor teor alcoólico estragam bem mais rápido: um ano.

* Como prolongar a vida útil:
Conservar longe da luz e de raios ultravioleta.


VINHO

* Quanto tempo a bebida resiste fechada:
Não existe um tempo padrão para a guarda do vinho, e sim uma estimativa, já que ele é um produto sem data de validade.

Fatores que afetam essa resistência incluem origem, estilo de vinificação, uva e como ele é mantido e produzido, por exemplo.

Grande parte das garrafas é feita para consumo rápido, até cinco anos a partir da safra, mas há também aqueles (cerca de 10%) que são feitos especificamente para serem guardados por mais tempo.

* Em quanto tempo consumir depois de aberta:
O ideal é que o consumo aconteça no mesmo dia, à exceção do vinho do porto, que dura mais.

Alguns com indicação de idade, por exemplo, podem durar até quatro meses. É importante notar também que, logo depois de aberto, já ocorrem modificações que levam à perda das características originais da bebida. Certos vinhos tintos duram dois ou três dias na geladeira, mas oxidam muito rápido ao entrarem em contato com o ar.

* Como prolongar a vida útil da bebida:
Se a garrafa estiver aberta, deve ser levada para a geladeira. Um dispositivo que aumenta um pouco a durabilidade de vinho aberto são as bombas a vácuo, desenhadas especificamente para esses tipos de garrafa.

* Há uma diferença entre os tipos de vinho e o tempo de vida de cada um?
Vinhos tintos em geral têm um tempo de guarda maior do que brancos, espumantes e rosés.


Diga adeus a ressaca (ou como acordar inteiro na quarta-feira de cinzas)!

Se você bebeu muita CERVEJA…

Os vilões
A desidratação e a fermentação, que causam distensão abdominal e desconforto.

Os antídotos
Para combater a distensão abdominal e os gases, tome chá de erva-doce, digestiva, com linhaça, anti-inflamatória e antioxidante. Já para a desidratação, água de coco com manjericão. “O primeiro é isotônico. O manjericão é diurético e dá sabor”, diz a nutricionista Fúlvia Hazarabedian, de São Paulo.

Preparação do chá
Amasse uma colher de sobremesa de semente de linhaça dourada com uma de grãos de erva-doce. Coloque em recipiente com 300 ml de água fervente. Coe e sirva. Para uma lata de cerveja, beba 200 ml do chá; para seis latas, entre 800 ml e 1 litro.

Preparação do suco
Bata um raminho de manjericão com 200 ml de água de coco e sirva gelado. Para uma lata de cerveja, beba entre 150 e 200 ml do suco. Para seis latas, 800 ml.


Se acabou exagerando no UÍSQUE…

O vilão
Obviamente, o grande problema na ingestão de muito uísque é a quantidade de álcool etílico que você bota para dentro do organismo, que é bem alta (40%) e deixa seu fígado sobrecarregado.

O antídoto
Chá de cardo-mariano. Você precisa de uma bebida que auxilie o processo de limpeza do fígado. “Esse chá é capaz de combater os radicais livres provocados pela bebida alcoólica no fígado”, explica a nutricionista Fúlvia. Ele pode ser encontrado em lojas de produtos naturais. “A bebida deve ser feita com a parte da fruta seca”, completa.

Preparação do chá
Coloque uma colher de chá cheia de cardo-mariano em 200 ml de água. Ferva por oito minutos. Para três doses de uísque da noite anterior, beba o antídoto três vezes ao longo do dia seguinte da bebedeira.


Se virou muitas doses de CACHAÇA…

O vilão
Há um certo risco quando a cachaça é produzida em alambiques artesanalmente. “As leveduras fermentam e a manutenção incorreta pode causar contaminação”, explica Fúlvia. Além disso, a combinação do açúcar com as toxinas da cachaça pode causar retenção de líquido, deixando você inchado.

O antídoto
Suco diurético. Aposte na melancia com gengibre. “O primeiro alimento é diurético e ajuda a hidratar. Já o segundo é antioxidante e termogênico, ajudando na circulação”, explica Fúlvia. Você pode beber no dia seguinte ou depois da farra.

Preparação do suco
Bata uma fatia de melancia com duas lâminas de gengibre e um pouco de água. Sirva gelado. Tomou uma dose de cana, beba de 250 a 300 ml do suco; três doses, de 500 a 750 ml.


Faça o churrasco perfeito

Em qualquer feriado, principalmente com tempo bom, o brasileiro corre para a churrasqueira mais próxima. No carnaval não é diferente.

Mas a diferença entre um bom churrasqueiro e um churrasqueiro VIP é aquele detalhe que chama a atenção de todos os convidados – inclusive, e principalmente, a mulherada.

Por isso, reunimos um conjunto de recomendações fundamentais para um grande churrasco, com a consultoria da chef Letícia Massula, do açougue Feed, em São Paulo.

1. A escolha da carne

O maior segredo do churrasco, segundo a chef gaúcha Clarice Chwartzmann, é o mais simples: começa pela melhor carne que você puder adquirir. O legal é ter um açougueiro de confiança, para garantir a procedência e conseguir cortes específicos ao seu gosto. Por isso, além dos cortes, preste atenção nas raças disponíveis.

2. A seleção de armas

Cinco utensílios básicos para começar o churrasco:

  • A faca do chef: de pelo menos 8 polegadas, de preferência inteiriça e bem afiada.
  • A tábua de carne: dê preferência às de material sintético. As de madeira facilitam a junção de micróbios e bactérias nas fendas.
  • O pincel: de silicone, para untar com azeite, óleo ou manteiga, ao seu gosto.
  • A pinça: importante para manusear a carne sem perfurá-la, mantendo as fibras intactas.
  • O borrifador: para apagar as chames que subam à grelha (o que importa para o churrasco é o calor da brasa, não a altura da chama).

Como afiar: dê preferência sempre à chaira, que amola mais uniformemente do que as conhecidas pedras de amolar.

Três facas de chef que testamos e aprovamos para churrasco:

De cima para baixo: Zwilling Twi Pollux 8 polegadas a partir de R$ 255 / Victorinox SwissClass (com sulcos), 8 polegadas a partir de R$ 245 / Tramontina Century 8 polegadas a partir de R$ 140 (Imagens: Divulgação)

 3. A grelha e brasa

Como preparar o fogo para o churrasco:

“Um dos erros mais comuns no preparo da brasa é fazer um monte de carvão no centro. O  ideal é espalhar o carvão no leito da churrasqueira, com no máximo 10 cm de espessura”, diz a chef Letícia Massula.

A distância entre a grelha e a brasa deve ser entre 12 e 15 cm, em posição levemente inclinada (o que ajuda a irrigação da carne pelos sucos, no ponto mais quente da churrasqueira).

Atenção: o fogo precisa ser iniciado 45 minutos antes de os primeiros cortes irem à grelha. “É esse o tempo perfeito para a formação da brasa, que deve estar com uma película esbranquiçada na superfície.”

4. Os momentos de precaução

Cuidados importantes no pré-assado para manter o sabor dos cortes.

  • Nunca leve carne ainda gelada à grelha, pois isso dificulta a cocção e obtenção do ponto desejado.
  • A carne deve estar em temperatura ambiente, por isso a retire da geladeira pelo menos 30 minutos antes de mandá-la à churrasqueira.
  • Se a peça estiver embalada a vácuo, deixe-a respirar por dez minutos fora da embalagem.
  • Seque a carne com papel-toalha antes de levar à grelha, para tirar o excesso de sangue.
  • Unte a grelha com óleo, azeite ou manteiga, para preservar as fibras da superfície do corte e formar uma bela crosta.

5. A carne no fogo

Começou a assar… e agora?
Paciência. “Um dos maiores inimigos do bom churrasco é o cara que insiste em ficar virando a carne”, diz a chef. Isso prejudica a formação da crosta e a cocção interna. Alguns pontos fundamentais:

  • Esqueça o papo de “selar” a carne rápido de todos os lados. Preservar todos os sucos é tentador, mas a ideia não se realiza na prática.
  • Posicione a grelha levemente inclinada para que o suco circule dentro da carne e evite que o excedente se acumule em torno do corte.
  • Disponha as peças de carne de maneira intercalada, jamais sobrepostas. O espaço de circulação de ar quente entre os cortes vai ajudar a formar a crosta. Quanto maior o espaço entre as peças, maior o controle do ponto.

Que ponto é o quê?
O tempo estimado serve de guia, mas o melhor jeito de verificar o ponto da carne ainda é o olho do churrasqueiro. Abra pequenos talhos e verifique aos poucos. Os principais são:

  • Até 3 minutos: cortes mais finos (como fraldinha)
  • Entre 4 e 6 minutos: carnes magras (como o baby beef)
  • Entre 7 e 9 minutos: carnes altas e gordas e/ou com osso (picanha, chorizo, ancho e prime rib)
  • Entre 12 e 15 minutos: peças inteiras (picanha, maminha, contrafilé)

6. E o tempero?

Sal é tudo (mas fique à vontade para incrementar). Existem três tipos principais de salga, escolha o seu.

  • Prévia: com sal fino, uma hora antes de levar à grelha. Perde-se suco, mas não o suficiente para prejudicar o sabor.
  • Na hora: com sal grosso moído ou pilado, pouco antes de levar ao fogo. Perde-se mais líquido e o sabor se torna mais intenso.
  • Pós-grelha: com flor de sal, sal fino ou grosso moído, antes de cortar a carne. É o método em que se perde menos suco e o sabor é o mais fidedigno à carne.

DICA: Carne pronta? “Deixe-a descansar um pouco (peças grandes por até 10 minutos, envoltas em papel-alumínio), para que o calor residual termine de cozinhar o centro sem saturar a crosta. Além disso, à medida que esfria, ela retém melhor os próprios sucos. Na hora de servir, lembre-se: corte sempre no sentido da fibra”, recomenda a chef Letícia.