Turismo Proibidão

Um guia para fazer no exterior programas que são fora da lei no Brasil

Fumar maconha em Amsterdã
O impasse legal sobre a proibição ou não de turistas nas famosas coffee shops – “cafeterias”, um eufemismo para lugares que servem maconha – da Holanda foi resolvido da seguinte maneira: cada cidade decide o que fazer. Amsterdã, é claro, optou por per­­­­­­­­­mitir estrangeiros. As coffee shops vendem pequenas quantidades (até 5 gramas) de cannabis para serem fu­­­­­madas lá mesmo, além de comidas “tur­­­­binadas”, como cookies e space cake (co­­­­nhecido por aqui como bolonha, bolo de maconha). Há dezenas de lugares assim na parte central da cidade – você encontra uma lista no site coffeeshop.freeuk.com – além de ou­­­­tros estabelecimentos afins. As smart­­ shops vendem cogumelos alucinógenos e smart drugs (drogas sintéticas que não são ilegais porque ainda não deu tempo de legislar sobre elas). As head shops têm cachimbos, papel e toda a parafernália da maconha, mas não a erva em si. As grow shops são especializadas em sementes e outros materiais necessários pa­­­­­­ra o cultivo da cannabis.

Fazer supermercado e ir ao banco peladão na França
Cap D’Agde é uma cidadezinha como qualquer outra do litoral mediterrâneo da França, só que não. Dentro da cidade, há a chamada Vila Naturista, uma outra cidade semi-independen­­­­­­­te onde, pelo menos no verão, todo mun­­­­­do anda pelado e faz tudo pelado: vai ao açougue, ao banco, pega ônibus… A vila tem 2 quilômetros de praia nudista. Dentro dela, há dois hotéis, uma pousada, um camping e quatro conjuntos de apartamentos para a temporada. Você pode se di­­­vertir num dos seis clubes de swing. Informações em capdagde.com (em francês e em inglês).

turismoproibido_

Dirigir a mais de 200 km/h na Alemanha
Não que isso seja permitido em qualquer trecho de uma autobahn (autoestrada) da Alemanha: em mais de metade da extensão dessas rodovias, há limite de velocidade. E é bom respeitá-lo porque a polícia alemã não brinca em serviço. Mas nem é preciso conhecer uma palavra do idioma germânico para saber quando está liberado afundar o pé no acelerador: uma placa com cinco listras diagonais indica as zonas em que não há multa por correr demais. Agora, a brincadeira não tem graça se você sair do aeroporto com um carrinho 1.0. Felizmente, as locadoras alemãs estão preparadas para o cliente que quer voar na autoestrada. A Avis tem uma seção só de carros luxuosos e potentes (avis.de/prestigecars). E a coisa nem é tão cara assim: um Porsche Boxter, que atinge 266 km/h e faz de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos, custa a partir de ¤ 159 por dia.

Curtir a jogatina no Uruguai
Dos países do chamado Cone Sul, o Brasil é o único que proíbe a exploração do jogo em cassinos. Dá para ar­­­­­riscar uma roleta ou um carteado a di­­­­­­nheiro em Puerto Iguazú, do lado argentino das Cataratas do Iguaçu, ou no Paraguai. Mas a jogatina é mais profissional no Uruguai, onde você pode escolher entre cassinos estatais e privados. No primeiro time (veja a lista no site casinos.gub.uy), há casas de jogo na capital Montevidéu e em Rivera, bem na fronteira com Santana do Livramento, Rio Grande do Sul. Em Punta del Este, principal des­­­­­tino turístico do país, o hotel e cassino Conrad (conrad.com.uy), particular, é o mais grandioso: são 75 mesas e 500 caça-níqueis num am­­­­­biente de 3400 metros quadrados que funciona 24 horas por dia. Escolha entre pôquer, roleta, black jack, bacará e sete e meio.

Caçar javalis no… Brasil
Pouca gente sabe, mas a lei brasileira – em geral intransigente com caçadores – permite a caça esportiva do javali europeu. Esses animais, trazidos para a criação e o abate, acabaram escapando de algumas fazendas em algumas partes do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Como outras pragas, os bichos destroem plantações e se reproduzem velozmen­­­­­­­te, por isso foi autorizada sua caça no país. Quem tiver interesse pode en­­­­trar em contato com a Federação Gaú­­­­­cha de Caça e Tiro (fgct.com.br), que congrega vários clubes regionais – estes, por sua vez, organizam as ca­­­­­­­­­çadas. Tenha em mente que você vai precisar ter um registro de caçador, afiliar-se a algum clube e, caso consiga matar algum animal, não poderá le­­­­­­vá-lo com você (para evitar o co­­­­mércio clandestino de carne). /