14 livros que Gates e Zuckerberg indicam para você ler já

Energia limpa, geopolítica, Darwinismo... A maioria das obras está — para nossa alegria — disponível no Brasil

Bill Gates

 (Bill Gates/Divulgação)

Bill Gates e Mark Zuckerberg, duas das pessoas mais ricas e bem sucedidas do mundo, dizem que a leitura é parte integrante do seu sucesso.

Gates revelou ao The New York Times que lê 50 livros por ano. Em 2015, Zuckerberg, CEO do Facebook, criou um clube de livros on-line no qual ele lê um livro a cada duas semanas.

Aqui estão alguns dos títulos que a dupla recomendou nos últimos anos.


Criatividade S/A

Livro Criatividade S/A

 (Livro Criatividade S/A/Divulgação)

Nele está a história da Pixar, escrita por um dos fundadores da gigante de animação.

Catmull intercala sua narrativa com valiosos conhecimentos sobre gestão e empreendedorismo.

Ele argumenta em certo momento, por exemplo, que muitas empresas não deram certo porque podaram o espírito criativo de seus funcionários. Segundo ele, a inovação é um gatilho para o sucesso.

“Eu gosto de saber como as pessoas criam grandes negócios [Pixar] e nutrem inovação e criatividade”, disse Zuckerberg para a Business Insider.


O Gene: Uma História Íntima  

o gene livro

 (Reprodução/Divulgação)

A ciência do genoma não é lá um tópico de interesse geral, mas Gates diz que o autor Mukherjee consegue capturar sua relevância para a vida diária das pessoas.

Ele procura responder a grandes questões sobre nossas personalidades.

“Mukherjee escreveu este livro para uma audiência leiga, porque ele sabe que as novas tecnologias do genoma estão a ponto de afetar a todos de maneira profunda”, escreveu Gates.

Mukherjee é o que Gates chama carinhosamente de “ameaça quádrupla” — ele é médico praticante, professor, pesquisador e autor.


Os Anjos Bons da Nossa Natureza: Por Que a Violência Diminuiu 

Os Anjos Bons da Nossa Natureza: Por Que a Violência Diminuiu (de Steven Pinker)

 (Os Anjos Bons da Nossa Natureza: Por Que a Violência Diminuiu (de Steven Pinker)/Divulgação)

Zuckerberg admite que este livro de 800 páginas, rico em dados de um psicólogo de Harvard, pode parecer intimidante.

Mas a escrita é fácil de digerir e Zuckerberg pensa que o estudo de Pinker, de como a violência diminuiu ao longo do tempo, pode oferecer uma perspectiva de mudança de vida.

Gates também considera este um dos livros mais importantes que já leu.


Gang Leader for a Day (de Sudhir Venkatesh)

gang leader for a day

 (Reprodução/Divulgação)

Venkatesh é um professor de sociologia da Universidade de Columbia que, em um experimento sociológico radical, incorporou-se a uma gangue de Chicago na década de 1990.

Zuckerberg diz que a história de Venkatesh é uma inspiração de comunicação e compreensão através de barreiras econômicas e culturais.


Sapiens – Uma Breve História da Humanidade 

Sapiens – Uma Breve História da Humanidade (de Yuval Harari)

 (Sapiens – Uma Breve História da Humanidade (de Yuval Harari)/Divulgação)

Nós não somos a única espécie humana na Terra. Há cerca de 100 mil anos haviam seis, mas os homo sapiens foram os que sobreviveram. Por quê?

“Tanto Melinda quanto eu lemos isso e isso provocou conversas excelentes em nossa mesa de jantar”, disse Gates.

“Harari assume um desafio assustador: contar toda a história da raça humana em apenas 400 páginas”.

Mas Harari não demora no passado. Ele olha para um futuro em que a engenharia genética e a inteligência artificial tornam nossa definição de “humano” ainda mais fluida.

“Eu recomendaria Sapiens para quem está interessado no futuro de nossa espécie”, acrescentou Gates.


 

A Estrutura das Revoluções Científicas 

a estrutura das revoluções científicas

 (Reprodução/Divulgação)

Desde a publicação, em 1962, este olhar sobre a evolução da ciência e seu efeito sobre o mundo moderno tornou-se “um dos livros acadêmicos mais citados de todos os tempos”, de acordo com a Enciclopédia da Filosofia de Stanford.

Zuckerberg pensa que estar ciente dos avanços científicos são os catalisadores da progressão social e consequentemente uma “força para o bem social”.


A Marca da Vitória: A Autobiografia do Criador da Nike  

A Marca da Vitória: A Autobiografia do Criador da Nike (de Phil Knight) 

 (A Marca da Vitória: A Autobiografia do Criador da Nike (de Phil Knight) /Divulgação)

Gates chama o livro de “um recado honesto” a respeito do sucesso.

De que o caminho para o tal nunca é uma linha direta, mas um caminho sinuoso, cheio de desentendimentos, reflexões e sentimentos feridos.

“Eu conversei com Knight algumas vezes ao longo de vários anos”, disse Gates. “Ele é super legal, mas ele também é calmo e difícil de conhecer. Aqui Knight abre o que poucos CEOs estão dispostos a entregar”.


String Theory: David Foster Wallace on Tennis

string theory

 (Reprodução/Divulgação)

Não, esse livro não fala sobre a “teoria das cordas”.

Trata-se de uma coleção de ensaios de Wallace que gira em torno do tênis, jogo favorito do autor.

Gates diz que ele está tentando voltar ao esporte depois que alguns pequenos assuntos profissionais (como começar uma das maiores empresas de tecnologia do mundo e se tornar um famoso filantropo) entraram no caminho.


Porque falham as nações

Porque falham as nações (de Daron Acemoglu and James Robinson)

 (Porque falham as nações (de Daron Acemoglu and James Robinson)/Divulgação)

Publicado pela primeira vez em 2012, é uma visão geral de 15 anos de pesquisa do economista do MIT, Daron Acemoglu, e do cientista político de Harvard, James Robinson.

Os autores argumentam que os “governos excludentes” usam controles para impor o poder, enquanto “governos inclusivos” criam mercados abertos que permitem aos cidadãos gastar e investir dinheiro livremente.

Eles também dizem que o crescimento econômico nem sempre indica a saúde a longo prazo de um país.

O interesse de Zuckerberg pela filantropia cresceu em paralelo com sua riqueza nos últimos anos. E ele assumiu ter escolhido este livro para entender melhor as origens da pobreza global.


O Problema dos Três Corpos 

o problema dos três corpos

 (Reprodução/Divulgação)

A recente tradução em inglês desta obra Sci-fi ganhou o Prêmio Hugo de 2015 pela melhor romance.

A trama: uma raça alienígena decide invadir a Terra depois que o governo chinês envia secretamente um sinal para o espaço.

Zuckerberg escreveu que, se você precisasse de uma leitura divertida, esse é o campeão.


Rational ritual 

Rational ritual (de Michael Suk-Young Chwe)

 (Rational ritual (de Michael Suk-Young Chwe)/Divulgação)

Zuckerberg diz que este livro de Michael Suk-Young Chwe, economista da UCLA, pode ajudar as pessoas a usar melhor as mídias sociais.

“O livro trata do conceito de ‘conhecimento comum’ e de como as pessoas processam o mundo, não só com base no que sabemos, mas também no que conhecemos através de compartilhamentos”, escreveu Zuckerberg.

A ideia de Chwe pode parecer complicada, mas vale o esforço para entender a psicologia por trás das interações em público e como as comunidades e rituais ajudam na formação de identidades.


Ordem Mundial (de Henry Kissinger)

Ordem-Mundial-Henry-Kissinger

 (Reprodução/Divulgação)

Valioso trabalho geopolítico, essa obra explica como um país faz para adquirir vantagem sobre outro.

É um livro adequado para uma era em que o conflito global às vezes pode parecer impossível de resolver.


The Grid: The Fraying Wires Between Americans and Our Energy Future 

The Grid: The Fraying Wires Between Americans and Our Energy Future (de Gretchen Bakke) 

 (The Grid: The Fraying Wires Between Americans and Our Energy Future (de Gretchen Bakke) /Divulgação)

Crescendo na área de Seattle, Gates teve seu primeiro emprego na escrita de software em uma empresa que forneceu energia ao noroeste do Pacífico.

Ele aprendeu quão vitais as redes de energia são para a vida cotidiana, e ele diz que “The Grid” é um lembrete de qual maravilhosa é a engenharia e do quanto dependemos do avanço da tal.

“Eu acho que essa é uma edição fundamental para entendermos porque devemos investir num futuro com energia limpa”, falou em 2016.


The Idea Factory: Bell Labs and the Great Age of American Innovation 

theideafactory_300dpi

 (Reprodução/Divulgação)

Os atuais nativos do Vale do Silício podem discordar, mas Gertner discute em “Idea Factory” que a era de ouro da inovação aconteceu mesmo de 1920 a 1980 dentro dos muros dos laboratórios de Bell da AT & T.

Gertner conta a história de algumas das maiores invenções do século, incluindo a máquina de fax, a transmissão de TV de longa distância e a introdução da tecnologia de celular.

O futuro começou lá atrás, cravou Zuck.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você