‘Artista do Desastre’, um ótimo filme sobre o pior filme já feito

Tributo trash comandado por James Franco recria os bastidores de "The Room", o suposto piro filme de todos os tempos

Artista do Desastre

 (Youtube/Reprodução)

Com estreia prevista para 25 de janeiro, Artista do Desastre é dirigido e estrelado por James Franco, que decidiu contar a história de The Room, produção de 2003 que fãs de cultura trash consagraram como “o Cidadão Kane dos filmes ruins”. Ou seja, o pior da história.

O roteiro se baseou no livro The Disaster Artist (ainda inédito no Brasil), escrito por Greg Sestero, um dos atores de The Room, e pelo jornalista Tom Bisell.

A partir do livro, James reconstituiu os bastidores de The Room e reproduziu fielmente algumas cenas.

Franco também atuou como o surreal criador de tudo: Tommy Wiseau, roteirista, produtor, diretor e ator daquele desastre.

No final da década de 90, Wiseau era um excêntrico que pedia água quente nos restaurantes e não a bebia, usava dois cintos nas calças porque dizia ser confortável para seu traseiro e fazia mistério sobre sua procedência.

Nessa época, conheceu Sesteros, um aspirante a ator — que, em Artista do Desastre, é interpretado por Dave Franco, irmão de James.

Ninguém sabe direito como Wiseau reuniu 6 milhões de dólares para The Room.

Ele tinha o sonho do filme autoral, mas pouca noção de cinema. Criou uma obra com roteiro esburacado e atuações péssimas, erros técnicos, falas mal redubladas e a reciclagem de uma mesma cena de sexo.

A ruindade fez The Room virar cult, visto e revisto por grupos que riam da comédia involuntária (era para ser um drama).

Artista do Desastre é reflexo desse culto e conta com participações de Seth Rogen, Sharon Stone, Melanie Griffith e Bob Odenkirk — além do Tommy Wiseau real, que faz um certo Henry numa cena-surpresa.

 

Outras obras inspiradas nos Filmes B

#Ed Wood (1994)

Ed Wood

 (IMDB/Reprodução)

O personagem-título ostentou por anos o título de “pior cineasta de todos os tempos”, com longas com roteiros absurdos, atuações péssimas e produções mambembes.

Maior exemplo: calotas de carro simulando discos voadores em Plano 9 do Espaço Sideral (1959).

Ruim, mas ingênuo, Wood encantou muita gente boa. Um deles foi o diretor Tim Burton, que fez essa cinebiografia.

Um filme de qualidade estrelado por Johnny Depp. E que deu o Oscar de coadjuvante para Martin Landau, pelo papel do ex-astro de terror Bela Lugosi.

 

#O Retorno de Sweetback (2003)

O Retorno de Sweetback

 (IMDB/Reprodução)

Desencantado com os estúdios de Hollywood, o ator Melvin Van Peebles partiu para a via independente.

Sofreu para captar recursos, mas conseguiu dirigir e estrelar Sweet Sweetback’s Baadasssss Song em 1971.

Era um policial com elenco predominantemente negro que inaugurou o subgênero blaxploitation.

Três décadas depois, Mario Van Peebles homenageou o pai neste filme que reconstitui a luta dele para filmar.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!