Como Che Guevara, líder comunista, se tornou um ícone pop

O inimigo ideológico mais cultuado e consumido no mundo capitalista teve sua gravura reproduzida em camisetas, tênis e até biquíni

Camiseta com imagem de Ernesto Che Guevara numa barraca de ambulante. (Reprodução/VIP)

Ernesto “Che” Guevara foi uma das figuras históricas mais importantes do século XX, peça fundamental do regime socialista em Cuba em 1959.

Após sua morte, em 1967, o revolucionário tornou-se um ícone pop e sua imagem agora é apropriada pelo sistema ao qual se opunha.

Sua história já foi explorada diversas vezes por Hollywood, enquanto sua clássica gravura é reproduzida em camisetas, tênis e até estampa de biquíni. Confira abaixo:

Cinema

O argentino fascina Hollywood desde sua morte em outubro de 1967, aos 39 anos. O primeiro filme foi Causa Perdida (1969), com o galã Omar Sharif.

Depois, houve o Che de Antonio Banderas no musical Evita (1996); Diários de Motocicleta (2004), que ganhou o Oscar de canção original; e a dupla Che: O Argentino e Che 2: A Guerrilha (2008), com Benicio Del Toro.

Mas agora a vez é do cinema japonês: em outubro, estreia Ernesto, sobre um nipo-boliviano que participou da derradeira guerrilha de Guevara – o ator que faz Che é cubano.

 


Futebol

Camisa do Madureira Esporte Clube com estampa de Che Guevara

(Divulgação/Reprodução)

O tradicional e modesto Madureira, do Rio de Janeiro, fez uma camisa especial com o rosto de Guevara em 2013. Era para comemorar os 50 anos da excursão do time a Cuba, onde confraternizou com ele.

No lançamento, houve encomendas de mais de dez países. E, em julho último, a peça foi incluída na exposição The Art of the Football Shirt, em Londres. O fabricante WA Sport ainda oferece a camisa por R$ 109 em seu site.

Além do Madureira, o nome dele batizou a torcida organizada do Panserraikos, da segunda divisão da Grécia, e um time juvenil na Argentina. Ah, sim: Maradona tem uma tatuagem de Che no ombro.


Moda

Gisele Bündchen

(Rex Features/Reprodução)

A camiseta com o rosto de Che já ficou corriqueira em vários países, usada por anônimos na multidão e por celebridades como o rapper Jay-Z e o príncipe Harry, do Reino Unido.

Mas o guerrilheiro já foi usado no mundo fashion em outras peças, como um tênis da Converse, uma bolsa Louis Vuitton e um biquíni usado por Gisele Bündchen ao desfilar na São Paulo Fashion Week de 2002 – no ano passado, Gisele participou de um evento da Chanel em Havana e colocou na cabeça uma boina igual à que Che Guevara usava.


Publicidade

Delta Push Up Bra

(Divulgação/Reprodução)

A imagem de Che é uma das mais utilizadas por publicitários para vender de tudo. Em julho, a empresa imobiliária britânica The Cigar Factory anunciou um novo prédio de luxo em Bristol com um painel que estampava Guevara de óculos escuros e charuto.

E, nos últimos dez anos, ele apareceu em propagandas nos Emirados Árabes Unidos, Israel, Suíça, Rússia, Singapura, Índia, Colômbia e, é claro, Brasil. Aqui Che ajudou a promover óculos, canal de TV, site, escova de pelos e até escola de publicidade.