Estudo revela que brasileiro ouve quase 5 horas de música por dia

Além do tempo, pesquisa avaliou os hábitos musicais e de consumo dos entrevistados no país

O brasileiro ouve muita música.

Foi essa a principal conclusão do estudo All About Music, que investigou os hábitos musicais dos brasileiros e como ele consome esta vertente cultural.

Em um momento em que o Brasil é uma das principais rotas de artistas internacionais, a música mais do que nunca é um fator econômico importante.

Hoje, é possível escutar música de diversas formas, podendo acessar lançamentos em questão de segundos graças aos serviços de streaming.

Por conta disso, aparelhos com conexão a internet são os favoritos dos brasileiros na hora de escolher um som.

(All About Music/Reprodução)

Curioso notar também que, mesmo com o retorno dos discos de vinil, a vitrola ainda é o meio menos usado para se escutar música — mas ainda é mais usada do que os CD-players, que nem figuram mais na lista.

Por conta da facilidade de se escutar música, o brasileiro consome ela mais do que nunca. Quase um quarto da população do país escuta, diariamente, 4 houras ou mais de música.

(All About Music/Reprodução)

Muito destes números podem ser explicados pelos locais onde se escuta a música.

Segundo a pesquisa, 64% dos brasileiros preferem quando estão se locomovendo. Ou seja, a má qualidade de nossa infraestrutura de transporte público pode explicar os altos números de fones nos ouvidos dos passageiros.

Muitas pessoas demoram mais de duas horas para chegar em casa. Uma viagem de ida e volta, por exemplo, consome 4 horas do dia, todas elas um pouco melhores por causa da música.

(All About Music/Reprodução)

Fidelidade

A pesquisa também investigou como o brasileiro consome a música além do som.

Foi atrás de entender como funciona o mundo dos produtos licenciados e quais gêneros rendem mais dinheiro para os artistas fora da óbvia renda disco/shows.

Talvez por uma questão histórica, o rock é o gênero que o fã mais compra produtos relacionados a seus ídolos.

O fenômeno pode ser explicado por uma tradição no gênero que vem desde a beatlemania, na década de 60, até o boom dos licenciados com bandas como Kiss, na década de 80 — isso sem falar das camisetas de banda, que já se tornaram ícones de moda.

(All About Music/Reprodução)

Curiosamente, os gêneros mais escutados no Brasil —  pagode/samba, axé e sertanejo — são aqueles que os fãs menos compram produtos ligados a artistas.

Outro ponto abordado pela pesquisa foi a relação de marcas de cerveja com a música, e ganharam aquelas que estão associadas aos maiores festivais do Brasil.

(All About Music/Reprodução)

Em primeiro lugar ficou a Heineken, cerveja oficial do Rock in Rio, seguido por Skol, cerveja oficial do Lollapalooza, empatado com Budweiser, exceção a regra, mas que tem uma linha publicitária muito focada em música.