O que aprendemos com o trailer do novo filme de Wolverine

O filme "Logan" é (até agora) o título que encerra a trilogia do herói — e tem tudo parece ser um dos melhores filmes da Marvel

Ontem veio a Marvel e seus Guardiões da Galáxia parte 2, hoje a Fox liberou o primeiro trailer de Logan, o último filme da trilogia de Wolverine (pelo que foi divulgado até agora, pelo menos), que claramente traz uma nova apresentação dos populares filmes de super-heróis.

Assista-o a seguir:

A canção que acompanha o trailer é Hurt, de Johnny Cash — cover da banda Nine Inch Nails —, considerada a mais triste de todos os tempos, dá o tom pesado que imaginamos que Logan terá pela frente. A escolha não foi aleatória, afinal o diretor James Mangold já trabalhou em Johnny & June, o filme biográfico de Cash. Ele explica:

“A música dele [Johnny Cash] nos separa, de certa maneira, do tipo metodologia comum, bombástica e explosiva de alguns filmes de super-heróis”

O diretor ainda completa que a ideia é convocar o público certo, ao deixar o tom cômico característico da Marvel um pouco de lado.

Ao longo do vídeo vemos os personagens em circunstâncias mais próximas de nossa realidade, e essa é exatamente a intenção dada pela produção do filme. “Eu vi isso [explorar o avanço da idade e a solidão] como uma oportunidade (…) vimos estes personagens em ação, salvando o mundo, mas o que acontece quando eles se aposentam a carreira deles acaba?” diz o diretor em entrevista à revista Empire.

Vemos, em determinado momento, o nosso “herói” em um funeral — o que bate mais ainda na tecla de que trata-se do filme de um ser humano, não de um “onipotente” super-herói.

Pelo que sabemos, e pelo que todos podem perceber ao assistir ao trailer, Logan trata-se de uma adaptação mais séria e sombria da HQ de Mark Millar (lançada em oito edições entre os anos de 2008 e 2009), denominada Velho Logan. Não por acaso, Wolverine parecer ser interpretado de um jeito completamente diferente de Imortal (filme de 2013) e X-Men Origens (de 2009), uma franquia que não foi bem recebida pelos críticos e possivelmente pode ser vista com outros olhos a partir de agora.