Papo VIP com Pharrell Williams sobre ‘Estrelas Além do Tempo’

O artista participou da trilha sonora do sucesso que está indicado ao Oscar 2017

O cantor Pharrell Williams se envolveu muito com Estrelas Além do Tempo. Foi coprodutor do filme e também compôs e gravou a trilha sonora. O longa conta a obscura história de três mulheres negras – Katharine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughan (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe) – que foram fundamentais para colocar o primeiro americano no espaço, em 1962. Pharrell falou com a VIP em Los Angeles.

Estrelas Além do Tempo trata bastante de educação. É um assunto que o interessa?

Educação é a ferramenta que nos permite evoluir. Por mais que este filme tenha sido uma alegria de fazer, também foi uma responsabilidade ajudar a mostrar a contribuição feminina para a sociedade. Infelizmente, ela foi grandemente descartada ou até apagada. Só agora temos a oportunidade de contar essa história incrível. As contribuições em matemática, ciência, tecnologia e engenharia que Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson nos deixaram são uma das grandes razões pelas quais estamos aqui e no espaço.

Há um apelo especial para você?

Por várias razões. Primeiro, são três mulheres. E três mulheres negras que eram cientistas, engenheiras, matemáticas. Além disso, passava-se muito perto de onde cresci, na Virginia. E envolvia o espaço e a NASA. Não tinha como eu ficar de fora.

Como é possível não termos ouvido falar dessa história antes?

Porque envolve mulheres. Como eu disse, as contribuições femininas são esquecidas. A história pinta só o lado negativo das mulheres. As pessoas só digerem uma história encabeçada por uma mulher se ela for a rainha má.

Cresceu ouvindo relatos de sua família sobre aquele tempo de segregação, de racismo explícito?

É triste dizer, mas o racismo era parte da visão de mundo porque era permitido. Uma lei ditava o que as pessoas pensavam. Vi sujeitos que não eram, mas se tornaram racistas por causa disso. Era algo que víamos o tempo todo.

E ainda vemos, não?

Está muito acentuado. Não estava assim fazia tempo. Agora está.

Qual sua esperança para o filme?

Que ele inspire um sentimento de unidade. Essas mulheres merecem seu lugar sob o sol, sem sombra, metafórica e literalmente. Se nós, homens, pudermos apoiá-las, acredito que as coisas vão melhorar.

Você sonhava em ir para o espaço quando criança?

Sonhava. Hoje, fico feliz de assistir ao NatGeo na Apple TV ou na Netflix! [risos] Não estou preparado para ir. Sou pai. Vou viver de longe a experiência de Elon Musk [bilionário que pretende levar pessoas para Marte].


A seguir você confere a trilha sonora do filme: