Papo VIP: Jaloo, no aquecimento para o Lollapalooza

O músico abre o festival em grande estilo. Saiba o que esperar do show dele amanhã, no Lolla

O Pará vem já há algum tempo com uma cena musical pulsante, com grupos apostando na mistura de gêneros musicais regionais com elementos de música eletrônica e com você não é diferente. De onde nasceu esta sua vontade de mesclar estas duas coisas e em sua opinião por que este processo nasceu no Pará?
A gente mora num lugar muito particular. E foi meio que obrigado a tragar arte do sudeste, por causa da tv e rádio que eram enormes. A Internet, no meu caso – até porque só posso responder isopor mim – abriu os horizontes de referência, criação e até divulgação do meu material. O burburinho começou lá fora até, depois se espalhou pelo sudeste e finalmente os olhos do Pará se voltaram pro próprio umbigo, é aquele velho “santo de casa não faz milagre”…

Você é um artista que já fez muito remix. Qual o grande apelo deste tipo de música? Como fazer com que um remix se destaque de seu original?
Deixei de lado os remixes mas sempre me empenhava em fazer tudo do zero (nada de pack de sampler, o caminho mais fácil – e genérico). Hoje, me preocupo em imprimir verdade e identidade em tudo até no que é dito nas músicas, produzindo e acreditando em som autoral.

Por que Jaloo?
JA-ime ME-lo. O “o”  a mais é só pra aparecer no Google [risos]

Acredita que hoje, o clipe é a melhor ferramenta para divulgar sua identidade musical em um mundo de streaming?
Não acredito na grande produção de clipes, até porque nunca tive tanta grana pra isso, acho que é mais sobre dar o melhor pro público que ja espera o seu melhor. E sobre ter um limão na mão e fazer uma bela de uma limonada.

O que um leigo sobre Jaloo pode esperar de seu show no Lollapalooza?
Diversão. você pode não saber nem do que se trata mas a vontade do lado de cá vai estar no palco. Só depende de você more, se joga!