Programa de mentoria cultural da Rolex anuncia seus novos tutores

Encerrou nesse final de semana o 8º ciclo do Rolex Arts Weekend em Berlim

Mia Couto e Julian Fuks Rolex O escritor Mia Couto foi o tutor do brasileiro Julián Fuks.

O escritor Mia Couto foi o tutor do brasileiro Julián Fuks. (Rolex/Divulgação)

Atualmente, importantes grifes relojoeiras são fortes incentivadoras e pratrocinadoras de projetos de cinema, arquitetura, literatura, música, artes visuais, teatro e dança.

Nesse final de semana, encerrou-se em Berlim a Rolex Arts Weekend, um festival de artes de dois dias que marcou a iniciativa Rolex Mentor e Protégéde 2016-2017.

Essa é uma ação filantrópica internacional que seleciona jovens talentos em início de carreira e propõe uma colaboração criativa com um renomado artista — são pelo menos 6 semanas de tutoria. 

Nos dias 3 e 4 de fevereiro a cidade alemã recebeu um simpósio de artes e uma série de leituras, conversas, exposições, apresentações e divulgou as parcerias para a temporada 2018-2019.

Os novos mestres serão o arquiteto britânico David Adjaye, nascido em Gana; o músico indiano Zakir Hussain; a coreógrafa canadense Crystal Pite; e o escritor irlandês Colm Tóibín, radicado em Nova York.

Durante esse período, cada dupla de mestre e discípulo será livre para definir as datas e os locais em que se encontrarão, em razão do trabalho que será desenvolvido

Cada mestre recebe honorários no valor de 100.000 francos suíços (algo em torno de 350 mil reais).

Os discípulos, por sua vez, recebem, cada um, um subsídio de 40 mil francos suíços (cerca de 140 mil reais) durante o período de tutoria, além de uma soma para financiar viagens e outras despesas.

Rolex A cerimônia da Rolex Arts Weekend aconteceu Ópera Estatal de Berlim (Alemanha)

A cerimônia da Rolex Arts Weekend aconteceu Ópera Estatal de Berlim (Alemanha) (Rolex/Divulgação)

Ao final do período de tutoria, os alunos se tornam membros da comunidade Rolex de Mestres e Discípulos e podem se candidatar a receber mais 30.000 francos suíços (cerca de 105 mil reais) para a criação de um novo trabalho, publicação, espetáculo ou evento público.

Os membros da comunidade artística Rolex podem também apresentar um pedido de financiamento para a criação de um trabalho em colaboração com outros participantes do grupo.

Essa iniciativa foi lançada pela Rolex há 15 anos e reflete a importância que a empresa confere à transmissão do saber artístico para as futuras gerações.

O Brasil esteve recentemente representado nesse projeto pelo escritor paulistano Julián Fuks. Na temporada 2016-2017, ele teve como mentor por um ano o moçambicano Mia Couto.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!
Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Claudio Brito

    Gostei do programa e torço pelo seu sucesso! O Mentoring precisa ser disseminado largamente e novos mentores precisam ser formados.

    Curtir